Singular

Singular: Tarik Chand

Aquando da aposta na ficção nacional a  TVI transforma o talento individual em recompensa colectiva abrindo, por um lado, a uns pelos olhares dos outros, os horizontes àqueles que são dotados de talento em artes performativas e, por outro lado, desnudando a riqueza artística de Portugal. Tarik Chand, um actor polivalente – dadas as capacidades de representar, cantar e dançar – que dá vida a “Javi”, personagem conhecida por deixar o convencional de lado e lutar para ultrapassar as barreiras dos costumes étnicos,  fala-nos da sua experiência ao integrar no elenco de Morangos com Açúcar nesta edição do Singular.

Leia a entrevista integral em “Continuar a Ler”.

1 – A profissão de actor sempre foi um desejo?

A profissão de actor sempre foi um fascínio para mim e poder representar é uma grande sorte.

2 – Como artista, qual foi o melhor elogio que alguma vez recebeste?

Enquanto actor, o melhor elogio que recebi foi dizerem que sou muito natural a representar.

3 – Na série Morangos com Açúcar, qual é a visão geral da personagem? Sei que interpretas o papel de Javi, um rapaz de etnia indiana que se debate contra os costumes para atingir os seus próprios objectivos e manter-se ao lado do seu amor, Sandra. Mas, o que é mais importante sobre esta personagem para ti?

O mais importante nesta personagem é a força de vontade que o Javi tem e independentemente da cultura que tão vincadamente o marca, ele luta contra tudo e todos para atingir os seus fins, mantendo (quase) sempre a perseverança e a calma, quase ao estilo de Gandhi.

4 – Onde procuras inspiração para as tuas produções artísticas?

A inspiração surge de todos os lados. Ver os outros trabalhar, apreciar uma música ou assistir a uma performance de dança para mim serve de inspiração. Todos os dias tenho o privilégio de poder ser inspirado por alguma coisa ou por alguém. Basta saber apreciar as coisas mais simples que nos rodeiam.

5 – Que balanço fazes da tua vida de actor?

Há pouco li um slogan que dizia “o saldo da felicidade é sempre positivo” e a verdade é que a minha vida de actor só me tem proporcionado coisas boas e, por isso, só posso dizer que o saldo é mais que positivo.

6 – Que conselho dás a todos os que, tal como tu, procuram vencer na área da representação?

O melhor conselho que posso dar é acreditem até ao fim, e lutem pois ninguém o fará por vós.

7 – Para além da representação, tens outros projectos?

Sim, existem projectos paralelos, nomeadamente em dança, mas de momento não vou revelar nada… fiquem atentos! (risos)

8 – Portugal é muito rico em Arte e, consequentemente, em artistas. Mas facto é que a Arte está abandonada no país e são poucos os que conseguem notoriedade pelo seu talento. Como artista que és, o que achas que deveria ser feito para mudar esta realidade?

Isto acontece porque a arte é pouco incentivada e apoiada em Portugal. Deveriam haver mais apoios e formas de incentivar as várias faixas etárias a valorizar a arte.

9 – Quem gostarias de ver entrevistado numa próxima publicação do Singular?

Adorava ver uma entrevista ao grande Sr. Miguel Guilherme do qual sou grande fã! Obrigado por esta entrevista e aqui fica o link para a minha página oficial de facebook http://www.facebook.com/pages/Tarik-Chand/153699207999540

Agradeço ao Tarik pela sua receptividade, disponibilidade e boas lições aprendidas com esta entrevista.

Quanto a si, caro leitor, relembro que poderá sugerir artistas cujo trabalho que gostaria de ver destacado neste espaço enviando-me mensagens para a Caixa dos Segredos ou para [email protected].

Vamos juntos lutar contra o abandono da Arte em Portugal e provar, de uma vez por todas, que o talento existe… basta saber apreciá-lo e atribuir-lhe o devido mérito!

Categorias
Singular

Comentários