Estado da TV

Estado da TV # 3

Seja bem-vindo à minha crónica de opinião semanal no Propagandista Social.

Um voto para a RTP!

Foi na noite de Domingo que Portugal assistiu a mais uma maratona eleitoral nas três estações generalistas e mais uma vez foi a RTP1 a cantar a vitória nas audiências.

Na verdade, já não é surpresa que nos momentos politicos decisivos os telespectadores recorrem tradicionalmente à televisão pública. O mérito que explica essa tendência é todo das últimas direcções de informação da RTP que consistentemente têm criado uma imagem de rigor, confiança e seriedade que sobrevive junto dos telespectadores apesar das mudanças nos pivots e nos comentadores.  No entanto, nas eleições legislativas do passado Domingo, a RTP conseguiu superar-se a si própria, apresentando uma emissão ágil, graficamente apelativa e com uma forte componente de interactividade ancorada nas redes sociais (twitter) como aliás se exige nos tempos actuais. A presença de público tornou a emissão mais dinâmica e a coordenação entre os jornalistas dentro e fora do estúdio foi impecável. O convite a José Eduardo Moniz para comentar os acontecimentos da noite foi uma decisão inteligente que deu alguma acutilância à noite da RTP.  De realçar ainda o facto de ter sido a estação pública a primeira a anunciar a demissão de Sócrates do cargo de secretário geral do PS, demonstrando a rapidez de resposta dos profissionais da RTP. Por tudo isto não hesito em considerar que a televisão pública apresentou a emissão mais arrojada e estimulante da noite eleitoral.

Do lado das privadas as grandes expectativas caíam sobre a TVI já que se tratava da primeira emissão eleitoral sob os comandos de José Alberto Carvalho e de Judite de Sousa. E a respeito disso digo sem rodeios que a estação de Queluz falhou rotundamente. Muitas falhas técnicas, falta de coordenação e lentidão nas resposta marcaram a noite na TVI. Se não fosse a presença valiosa de Marcelo Rebelo de Sousa e de António Vitorino, a desgraça teria sido quase total. Em relação à SIC pouco há a dizer, apenas que teve uma emissão competente apesar de monótona e sem surpresas.  Será que ninguém pensou em convidar Manuela Moura Guedes para comentar os resultados das eleições? Teria feito toda a diferença.

Até para a semana!

Filipe Vultos

Categorias
Estado da TVRubricas

Farmacêutico de formação, químico de profissão, com interesse no mundo do audiovisual e da televisão em particular. Tenho uma visão crítica e analítica sobre a televisão em Portugal estando especialmente atento às estratégias de programação e de promoção.

Comentários