Cinema

Capitão América – O Primeiro Vingador

Por  | 

Chegou hoje aos cinemas mais uma adaptação de um super-herói da Marvel. o Capitão América. O mais patriota de todos os personagens de banda desenhada apresenta-se nos ecrãs como o verdadeiro herói Americano, embora tenha faltado mais confronto num filme em que a acção ocupa lugar de destaque.

httpv://www.youtube.com/watch?v=vWePR6NMZ0U

Realizado por Joe Johnson e com argumento de Christopher Markus e Stephan McFeely. O filme conta-nos a história do franzino mas corajoso Steve Rogers (Chris Evans) quase apresenta em vários postos de recruta como voluntário para o exército Americano.  A sua aparência pouco saudável aliada aos seus problemas de saúde que tem resultam sempre numa nega. Até que um dia Steve é aceite num programa experimental do exército onde é transformado num super herói sem precedentes – o Capitão América. O super-herói terá de unir esforços com os seus aliados mais próximos Bucky Barnes (Sebastian Stan) e Peggy Carter (Hayley Atwell) para derrotar o maléfico vilão Caveira Vermelha (Hugo Weaving) e a sua organização HYDRA.

Se de repente vemos tratada a imagem e o ambiente da segunda Guerra Mundial, tudo isso fica rapidamente em segundo plano dando lugar a uma panoplia de efeitos especiais bem ao nível do século XXI. Mesmo o protagonista deixa de ser um herói de época para dar lugar a todo um conjunto de tecnologias bem modernas.

Perdeu-se o clima de época mas ganhou-se o espectáculo visual. Porque Capitão América vive exactamente de todo o aparato tecnológico que consegue atingir um nível de qualidade bastante satisfatório. Mesmo o uso da tecnologia 3D, que em muitos casos tem sido considerada desnecessária, neste caso é um ponto forte. Capt America_final

Acaba ainda por ficar de lado todo o patriotismo do mais americano de todos os héróis da Marvel. Toda a coragem e bravura do personagem fica quase que escondida atrás de artifícios visuais diversos. Faltou um pouco de confronto directo entre o herói e o vilão para dar mais entusiasmo à acção.

O argumento é ele também forte, a supervisão da Marvel ajuda à qualidade da película, e a interpretação do protagonista Chris Evans está adequada ao filme. Hugo Weaving está perfeito no seu papel de vilão. Destaque ainda para a banda sonora da autoria do veterano Alan Silvestri.

O fim, embora tenha vindo de encontro à vontade do espectador, revela-se algo inesperado. Deixa-se no ar a hipótese de continuação depois confirmada quando, após os créditos, se observa um preview do próximo filme de super-heróis The Avengers em que vários super heróis da Marvel terão de unir esforços para salvar o mundo.

Capitão América vale por si só a ida ao cinema. É sem dúvida um bom produto e que promete bons resultados de bilheteira.


Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.