Moda

Quando a Moda caminhou pelas ruas de Lisboa

Moda no sentido mais puro e poderoso da palavra e tantos exemplos de beleza “fabricada” marcaram presença em diferentes lugares na noite de 8 de Setembro, com o ambiente recheado de milhares de pessoas e sons bem elevados, provenientes de diversas colunas à entrada das lojas em Lisboa para acolher a segunda edição do “Fashion’s Night Out”.

Os estabelecimentos situados no Chiado, Avenida da Liberdade, na Rua Castilho e no Príncipe Real mantiveram-se abertos até às 23 horas, ao contrário de todos os outros dias durante o ano, para promover a cidade e fomentar o comércio em épocas de crise económica, com celebridades, profissionais e apaixonados da área a dinamizar as ruas. A minha aventura e descoberta de pormenores, que fizeram muitos portugueses perderem a cabeça ao longo das lojas realizou-se com o escritor do blogue de moda “PfashionRoyalty” (http://pfashionroyalty.blogspot.com), Pedro Rei, e com outros conhecidos que decidiram espreitar as novas tendências e oportunidades que as diversas lojas ofereciam no serão mais comentado em terras lisboetas. Houve oportunidade de conhecer ou simplesmente cumprimentar outros apaixonados por moda, como foi o caso da Vanessa Santos, do blogue “Pure-Lovers” (http://pure-lovers.blogspot.com), do Zé Brandão, do “2x Nº1” (http://duas-vezes-numero-um.blogspot.com) ou da Carolina Flores, que contém o “last minute dreams” (http://lastminutesdreams.blogspot.com) perto da loja “Stradivarius”.

O roteiro do evento dirigido pela “Vogue”, uma das mais influentes e poderosas indústrias no mundo da moda, começou pelo Chiado. Alguns dj’s à entrada das lojas ou no seu interior conferiam um ambiente de celebração aos estabelecimentos, como se a quantidade exorbitante de pessoas dentro de um estabelecimento estivesse simplesmente a celebrar a elegância de uma peça de roupa ou a extravagância de um acessório. A “Blanco” era como um concurso de quem escolhe a melhor peça a um preço baixo, com cocktails nas mãos com cores vivas, na tentativa de atrair os olhares para todos os pormenores ou simplesmente para atrapalhar os simplistas de espírito. Balões brancos a elaborarem publicidade à loja não faltavam nos braços das pessoas era apenas uma das diversas formas de que as lojas pensavam para se distinguirem, serem únicas.

Em mistura com a música, as paragens em montras da “Bershka” e não só revelavam montras vivas, com diversos manequins a usarem roupas da marca. Na “Pull and Bear” do Chiado houve lugar para sessões fotográficas em que máscaras ocultavam os rostos de quem passava pela rua e destacava as peças usadas, dando o pódio à elegância material. A beleza em todas as formas e sentidos saiu à rua na segunda edição do Fashion’s Night Out, sem quaisquer tipos de preocupações agrafadas e um sorriso desenhado em qualquer ser humano (sempre com sacos de compras em cada mão).

A moda escorreu pelas ruas de Lisboa, especialmente pelo Chiado já que foi o lugar em que estive mais presente. Não existe qualquer dúvida de que a maioria das pessoas anseia pela edição do próximo ano e como Anna Wintour disse “There is something about fashion that can make people very nervous”. E tem razão, cara Anna Wintour, apesar de qualquer tipo de beleza ainda houve oportunidade para cheirar algum nervosismo no ar, porque se alguma rapariga partisse um dos saltos e deita-se horas e horas de preparação pelos esgotos das ruas será que ainda existiria um fio de elegância para os olhares alheios?

Podem visualizar um resumo do evento a partir deste vídeo:

David Monteiro Pimenta

Categorias
Moda

Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.

Comentários