Cinema

Sarah Jessica Parker regressa com “Não sei como ela consegue” (crítica)

Kate Reedy (Sarah Jessica Parker) é uma empresária de sucesso que tenta dar sempre o melhor de si em tudo o que faz.

Para além de procurar evoluir na sua carreira profissional, é casada e mãe de dois filhos ainda pequenos que exigem muito de si. Tudo isto pareceria muito comum, não fosse o facto de Kate ser extraordinariamente boa a equilibrar tudo isto, como um malabarista, e conseguindo sempre concluir as suas intermináveis listas de tarefas. Tem uma carreira profissional de sonho, que a leva a ter que viajar frequentemente e a “obriga” a trabalhar com um poderoso homem de negócios (Pierce Brosnan) que exige muito do seu tempo e a leva a desleixar o seu papel de mãe e esposa.

Este filme é uma adaptação da obra “I Don’t know How She Does It“, que ilustra a nossa sociedade e as famílias contemporâneas de forma perfeita, mostrando que as mulheres podem ser excelentes profissionais e excelentes mães ao mesmo tempo, não tendo que abdicar da sua felicidade.

Sarah Jessica Parker, a Carrie de “Sexo e a Cidade” ilumina a tela com o seu sorriso e com uma divertida interpretação, interpretações essas às quais já nos habituou, num registo muito semelhante aos outros papéis por si interpretados.

O realizador de “Não sei como ela consegue” é Douglas McGrath, e o filme estreia dia 20 de Outubro nas salas de cinema de todo o país.

Nota: 3/5

Veja aqui o trailer:

httpv://www.youtube.com/watch?v=TdcrMbkJVG4

Categorias
CinemaDestaques

Jornalista Estagiária numa publicação mensal e amante de Cinema e da Cultura nacionais

Comentários