Destaques

Filipe Melo, o artista dos sete ofícios!

Filipe Melo é músico, realizador, e agora autor de uma das melhores bandas desenhadas alguma vez feitas em Portugal. Em 2010 lançou em conjunto com Juan Cavia “As incríveis Aventuras de Dog Mendonça e  Pizzaboy”, com prefácio de John Landis, realizador de Thriller de Michael Jackson. No início deste mês lançou o segundo livro desta saga, e hoje concedeu uma entrevista ao Propagandista Social.

Filipe começou a sua carreira como músico, tendo estudado no Hotclube de Portugal e no Berklee College of Music, em Boston.

  ´

Em 2003 fundou a sua própria produtora e realizou a curta “I’ll see you in my dreams” vencedora do FANTASPORTO em 2004. O realizador diz que sempre foi apaixonado por cinema “em pequenino, sabia os diálogos da Fúria do Herói de cor. Nunca estudei cinema, mas fui aprendendo muito sobre o assunto como auto-didacta, a sacar argumentos da net e a compará-los com os filmes, e a ler alguns livros sobre o assunto. Cresci numa geração que passava os dias a ir aos videoclubes alugar cassetes beta e VHS”. A ideia para escrever uma BD sobre zombies nazis surge segundo o autor, quando decide escrever um argumento tributo aos filmes que via em miúdo. “Gremlins, o Enigma da Pirâmide, o “Big trouble in little china”, o história interminável, regresso ao futuro… A lista podia continuar. Queria também escrever um guião com a mais clássica estrutura da viagem do herói – o famoso monomito. Foi uma mistura de exercício com uma vontade de pôr cá para fora um tributo a um género de filmes que adoro.”

Filipe conseguiu que John Landis e George Romero escrevessem os prefácios dos seus livros, estes que são dois dos maiores pontos de referência no seu trabalho como realizador e autor “São pessoas que tiveram uma influência directa na minha maneira de ver as coisas – inspiraram-me muito e foram essenciais para que eu tentasse sempre fazer aquilo que mais gosto. Cresci a ver os filmes de ambos, e conhecê-los foi um privilégio e uma honra.”. Depois de verem o seu trabalho e ficarem impressionados, concordaram em escrever os prefácios. “Conheci-os através dos organizadores do MotelX, que serviram de ponte para lhes falar sobre o livro e mostrar algumas pranchas”.

 

 

Filipe já ganhou vários prémios, tanto a nível nacional como internacional, mas teve que abrir caminho para o seu trabalho através do seu esforço e persistência. Quando questionado sobre se os apoios concedidos à Cultura em Portugal são suficientes, Filipe afirma que estes existem de facto, mas que nem sempre são geridos da melhor forma.  “É triste para mim perceber que um novo cineasta, que queira fazer uma longa metragem, não tem para onde se virar para conseguir financiamento. Tem de conseguir fazer as coisas pelos seus meios, porque não há uma indústria que confie. Isto obriga a que um artista se transforme num guerrilheiro, num lutador durão, o que é bom, mas por vezes cansa porque estamos sempre preocupados com como arranjar dinheiro em vez de estarmos preocupados com o que realmente é importante que são as histórias que contamos.”

O músico e realizador irá tirar umas férias, merecidas, e diz que para já não tem mais projectos “Farei um shut-down temporário nos próximos meses, para recuperar a forma no piano, para passar tempo com as pessoas de quem gosto. Com a idade, vai-se ficando mais piegas e começa-se a dar prioridade a outras coisas… mas espero que, com a pausa, apareçam ideias boas”.

O primeiro livro de Filipe Melo e Juan Cavia “As incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy” irá ser lançado em Março por uma famosa editora americana, a Dark House Comics.Filipe concedeu-nos a capa em primeira mão e mostramo-la aqui a todos os seus fãs.

 

capa em 1ª mão

Categorias
DestaquesPalcos & Letras

Jornalista Estagiária numa publicação mensal e amante de Cinema e da Cultura nacionais

Comentários