Destaques

Fado poderá vir a ser nomeado para um Óscar

Foi no filme “José & Pilar” que Camané, reconhecido fadista português, interpretou “Já não estar”, um fado com letra de Manuela de Freitas e música de José Mário Branco.

O documentário de Miguel Gonçalves Mendes foi a razão pela qual a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA decidiu considerar o fado “Já não estar” como um dos 39 temas candidatos a uma nomeação para o Óscar de “melhor canção original”. Esta notícia surge semanas depois de o Fado ter sido considerado, pela UNESCO, Património Imaterial da Humanidade.

O documentário que Miguel Gonçalves Mendes fez sobre o escritor português, Nobel da literatura em 1998, sobre o processo criativo e sobre a relação entre José Saramago com Pilar del Río, sua mulher, e com os leitores e o mundo, foi também considerado um possível candidato à nomeação para o Óscar de “melhor filme” por ter tido estreia comercial nos EUA e por ter estado pelo menos sete dias consecutivos em cartaz. Para além desta possível nomeação, “José & Pilar” é ainda o candidato de Portugal a uma nomeação para o Óscar de “melhor filme estrangeiro”.

Mas, e porque a ficção portuguesa ganha cada vez mais território, o filme “Mistérios de Lisboa”, de Raul Ruiz, foi também selecionado para integrar a lista dos 265 candidatos a nomeação para o Óscar de “melhor filme”.

A 84.ª edição dos Óscares decorrerá a 26 de fevereiro em Los Angeles, mas os nomeados serão divulgados a 24 de janeiro.

Categorias
DestaquesPalcos & Letras

Se o Jornalismo não se pode considerar uma ciência temos certamente de olhá-lo como uma arte. A arte de saber contar estórias e marcar a história. Estudante de Jornalismo (ESCS-IPL)

Comentários