Destaques

“Até à Verdade” estreia a 7 de Janeiro na SIC

E se na TVI é certo o regresso de Depois da Vida, com Iva Domingues, já em Janeiro, na SIC o novo formato Até à Verdade estreia no primeiro sábado de janeiro, a 7 de Janeiro, com a apresentação de Rita Ferro Rodrigues.

Depois de algum tempo fora dos ecrãs, Rita Ferro Rodrigues regressa à antena da SIC com um programa de late-nightAté à Verdade tem como mote principal os crimes, sobretudo homicídios e este novo formato apresenta reportagens com os Médiuns nos locais suspeitos onde ocorreram os crimes, onde podem ter sido vistos nos últimos momentos de vida, ou onde habitavam as vítimas, entrevistas aos familiares e amigos das vítimas onde possam dar a sua versão dos acontecimentos. Nesta mesma peça há um enquadramento jornalístico que refere a versão das autoridades/Media. Fazem-se reconstituições dos crimes, de forma ficcionada.

image

Há ainda a entrevista em Estúdio a familiares/amigos (caso aceitem estar presentes em estúdio). A sessão com os Médiuns e um ou dois familiares/amigos das vítimas e, por fim, os comentários de Francisco Moita Flores sobre a tipologia dos casos e os casos em particular e as reportagens dos Médiuns nos locais. Com a ajuda de médiuns na resolução de situações mais complicadas, este novo programa promete ir bem fundo num formato nunca antes visto na televisão portuguesa.

Brian Robertson e Simon James são professores universitários em Arthur Findlay em Inglaterra, uma das mais antigas e reputadas escolas de ciências psíquicas em todo o mundo. Desenvolvem atividade como congressistas e médiuns e é neste âmbito que colaboram com polícias científicas internacionais na procura da respostas para crimes difíceis de resolver.

Veja a apresentação do programa:

httpv://www.youtube.com/watch?v=ZIejtRqDzAA

O primeiro grande caso do programa a ser investigado será o do homicídio de Carlos Castro, quando faz precisamente um ano em que morreu, nesse dia, brutalmente assassinado em Nova Iorque.

Categorias
DestaquesTelevisão

Se o Jornalismo não se pode considerar uma ciência temos certamente de olhá-lo como uma arte. A arte de saber contar estórias e marcar a história. Estudante de Jornalismo (ESCS-IPL)

Comentários