Destaques

“Doce Tentação” estreia hoje na TVI

Estreia hoje o novo projeto de ficção nacional da TVI. Consagrando-se como uma das telenovelas mais promovidas, desde sempre, pela estação de Queluz de Baixo, Doce Tentação, da autoria de Sandra Santos, revela-se com um elenco muito bem conseguindo, reunindo algumas das caras mais conhecidas da ficção portuguesa, com novos grandes talentos descobertos em Morangos com Açúcar (Ricardo Sá, Lia Carvalho, Rui Andrade) e ainda algumas das mais recentes “aquisições” para a exclusividade: falo, claro, de Miguel Guilherme.

Resumo do episódio de estreia

Há doze anos atrás na Ribeira das Flores, o casal Carlos e Alice decide ir a casa de Antónia com intuito de recuperar a Quinta das Maçãs que outrora lhes pertenceu. Antónia mostra-se uma mulher altiva e muito fria que não está disposta a entregar os bens que Carlos a acusa de ter roubado. Antónia ordena que Elias, o motorista da quinta, expulse o casal. Francisca assiste a tudo, o que a deixa com a ideia que a mãe fez algo de errado.

Furioso, Carlos segue a grande velocidade, na estrada da Ribeira, disposto a contar toda a verdade à Vila. O carro entra no largo e, apesar do alerta de Alice para travar, os travões não respondem. Mais tarde, o Padre Adérito comunica a Tiago que os seus pais, Carlos e Alice, faleceram num acidente de viação.

Após o funeral Tiago relembra Antónia que Alice e Carlos morreram depois de terem estado com ela. Antónia desculpa-se, afirmando que os pais dele morreram num lamentável acidente e que não teve qualquer culpa. Tiago acusa Antónia de ter cortado o cabo dos travões do carro de Carlos e jura que o irá provar.

Passados doze anos…

Esperança, uma rapariga delicada e dona de uma beleza angelical, avisa Jeremias, seu padrasto, que ele nunca a irá tratar como tratou a sua mãe. Jeremias pede ao seu guarda-costas, Gabriel que leve Esperança dali. Fausto, homem de confiança de Jeremias, sugere “calarem” de uma vez a enteada, pois poderá arranjar-lhe sérios problemas.

Gabriel propõe a Esperança fugir para a Suíça, pois é perigoso fazer frente a Jeremias, mas a jovem diz ter provas que incriminam o padrasto.

Durante as Festas da Nossa Senhora das Flores, no largo da vila, Efigénia, uma senhora mística e de grande coração, que ajudou Tiago quando os pais deste faleceram, é empurrada sem intenção pelo Padre Adérito. Nesse momento, sente-se uma enorme tensão entre os dois.

Mais tarde, Esperança retira do bolso uma carta que a sua mãe lhe deu antes de morrer com um código. Diante de um cofre Esperança insere esse mesmo código e abre o cofre, retirando do seu interior uma pasta com fotos de Alice, Carlos e Tiago. Fausto entra e surpreende a enteada de Jeremias.

Fausto arrasta Esperança, encapuzada, para uma avioneta onde já se encontra Gabriel à espera. Jeremias dá ordem a Gabriel para eliminar Esperança, que entra em pânico. Gabriel mostra-se reticente, mas Fausto avisa-o que não pode falhar.

Francisca pede desculpa a Tiago e este aproveita o momento para perceber o que a jovem pretende dele. Francisca afirma que ele sabe muito bem, mas Tiago afirma que nunca vai querer nada com ela. Francisca, exasperada, afirma que a família dela não teve nada a ver com a morte dos seus pais, mas Tiago não acredita. Tiago tenta evitar Francisca, mas esta afirma que o ama e beija-o apaixonadamente. Tiago liberta-se de Francisca e, nesse instante, abate-se sobre eles uma tempestade e o dia transforma-se em noite.

Tiago está a tentar trazer Zeus, o seu cavalo, para um local mais seguro, quando ouve um barulho ensurdecedor e olha para o céu onde passa uma avioneta. Tiago assiste a um corpo cair do aparelho, até que é atingido por Esperança.´

Na manhã seguinte, Tiago acorda com Esperança debaixo do pára-quedas e recorda-se do que aconteceu. Fica fascinado com a beleza da jovem ao ponto de não conseguir parar de a admirar. Francisca e Adérito lideram o cortejo que procura por Tiago e, ao entrarem na clareira, deparam-se com os restos do pára-quedas. Tiago dá sinal de vida, mas Esperança afirma não se lembrar de nada, nem mesmo do seu nome.

Efigénia trata de Esperança e diz-lhe que ela pode ficar em sua casa até recordar quem é e de onde vem. Esperança pergunta porque é que Efigénia está a ajudá-la e esta afirma que sente que ela é uma boa rapariga. Efigénia, sem saber que nome chamar à jovem, decide baptizá-la de Esperança.

Tiago surpreende um ladrão em sua casa, mas ao tentar detê-lo, este atira-lhe um objecto à cabeça, conseguindo fugir. Tiago apercebe-se de um restolhar na floresta e pensando ser o ladrão que está de volta, atira uma faca que acerta em Esperança.

LEIA A SINOPSE…

Esperança caiu dos céus. Ninguém sabe quem é, de onde veio, nem porque está em Ribeira das Flores. Tiago nunca teve muito na vida. Desde pequeno que toda a gente lhe vira as costas e agora que já é um homem, todos aprenderam a receá-lo. Não tem motivos para confiar em ninguém, muito menos numa rapariga misteriosa que nem sequer sabe o próprio nome.

É na fictícia vila de Ribeira das Flores, durante a Festa da Santa Padroeira que se dá o insólito. Contra todas as previsões meteorológicas, rebenta uma enorme e violenta tempestade. No meio da tormenta, o povo refugia-se em casa e na igreja, pondo os bens a salvo, trancando tudo e receando uma catástrofe. Destemido, Tiago é o único que enfrenta a tempestade. No meio da floresta, um ruído ensurdecedor sobressalta-o. É surpreendido pela aproximação de uma avioneta que desafia a tormenta e com a queda do aparelho. Embrulhada num pára-quedas estragado, Esperança despenha-se sobre Tiago, atingindo-o com demasiada força. Ficam ambos inconscientes, como mortos.

O dia seguinte amanhece soalheiro e os ribeirenses saem finalmente à rua, ainda assustados com a intempérie da véspera. Todos se encaminham para a floresta, esperando ver o pior. E ninguém está preparado para encontrar uma bela e misteriosa rapariga nos braços de Tiago.

Esperança acorda sem saber onde está e sem saber de onde veio, ou como foi ali parar. Não se lembra sequer do próprio nome. Extremamente sensível, Esperança liga-se de imediato a Tiago. Mas ele é um homem arredio, quase selvagem, e por mais que ela tente aproximar-se, ele não confia nela.

Tiago Marques Flor é dono de um pequeno terreno que herdou dos pais e que trabalha com as próprias mãos, fazendo disso o seu sustento. Perdeu os progenitores aos 16 anos e, desde então, ficou sozinho no mundo. Tiago sabe que a vida dos seus pais era muito diferente do que aquela que herdou. Os seus antepassados fundaram Ribeira das Flores e os Marques Flor foram, outrora, uma família poderosa e influente. No entanto, de um dia para o outro, as coisas mudaram. Alvos de uma chantagem, que Tiago desconhece, os pais perderam tudo para a família Vieira da Silva.

Crescendo com a amargura dos pais, Tiago transformou-se num homem lutador, duro e desconfiado que culpa instintivamente os Vieira da Silva pelo marasmo que os arruinou. Nunca conheceu outra vida para além da que leva com bastante sacrifício. Na vila, os homens receiam-no e as mulheres desejam-no em segredo. Tiago é um homem de poucas palavras, imprevisível, que gosta de se manter à distância. Ninguém se atreve a faltar-lhe ao respeito, porém nas suas costas são incontáveis as calúnias que se inventam. Quando Esperança aparece em Ribeira das Flores, Tiago fica fascinado. Ela é de uma doçura que ele nunca conheceu e sente-se irremediavelmente atraído. No entanto, a sua natureza desconfiada esforça-se por lutar contra estes sentimentos. Tiago nunca teve nada de mão beijada e o amor que Esperança lhe oferece é demasiado bom para ser verdade.

Quem não gosta nem um bocadinho da chegada de Esperança é Francisca Vieira da Silva. É a primeira a assumir-se contra a presença de Esperança em Ribeira das Flores. Rica e nada escrupulosa, Francisca domina a vila. Ninguém fala sobre isso, mas quase toda a gente faz as suas vontades. O certo é que ela possui algo que lhe foi deixado pela sua defunta mãe (Antónia Santinho Vieira da Silva) que lhe permite reinar Ribeira das Flores, juntamente com o seu padrinho, o temido Ricardo Sequeira. Mas nem ele conhece o trunfo de Francisca, que sempre desejou Tiago. Apaixonou-se por ele quando era uma adolescente, tentou seduzi-lo, mas ele recusou-a. Isto feriu-a no seu orgulho de mulher e ela não o esquece até hoje. As persistentes recusas de Tiago só a fazem querê-lo ainda mais. Tenta convencê-lo de que a sua família nada teve a ver com a falência dos Marques Flor, mas Tiago não acredita, não quer nada com gente da “espécie” dela, e está determinado em descobrir a verdade. Contra tudo e contra todos.

Francisca percebe que Esperança é uma ameaça muito antes de realizar os sentimentos que Tiago começa a ter por ela. Mas quando se apercebe que Esperança está prestes a roubar-lhe o amor do homem que sempre quis, Francisca perde a cabeça e tenta afastar a rival de qualquer maneira. Está disposta a tudo, desde abusar da influência que tem sobre as pessoas da vila, a usar esquemas maquiavélicos e perigosos. Francisca jura que se Tiago não for seu, também nunca será de Esperança! Conta com o apoio de Miguel, seu irmão adoptivo, nesta luta hercúlea.

Miguel reconhece a beleza de Esperança assim que a vê. Altivo e habituado às atenções das mulheres mais belas, acha-a demasiado simplória e inferior a si. Quando Francisca o manda aproximar-se de Esperança e investigar de onde ela vem, Miguel “obedece” contrariado. Mas aos poucos percebe que ela é diferente das outras mulheres e isso cativa-o mais profundamente do que esperava. Começa então a tentar seduzi-la. Achando que ele é bem-intencionado, Esperança cede àquilo que considera ser uma amizade sem segundas intenções.

Quem se enfurece com a aproximação dos dois é Tiago, que faz de tudo para alertar Esperança para o verdadeiro carácter de Miguel. E se a rivalidade entre Tiago e Miguel já era lendária na vila, a partir daqui torna-se visceral.

Tem início uma luta sem tréguas pelo coração de Esperança.

Ribeira das Flores é também palco de outras histórias paralelas a este enredo. Desde o bêbado que é procurado pelo filho, e que afinal não é quem se pensa; das princesas falidas que tentam a todo o custo recuperar a riqueza perdida, com a matriarca a empurrar as filhas para um marido rico; do merceeiro que quis poupar a filha do desgosto de saber que foi abandonada pela mãe, que inventou que esta partiu numa missão humanitária e que agora terá que lidar com o regresso dela; do padre que esteve para casar e que vive às turras com a ex-noiva; da solteirona pudica que se vê disputada por dois homens; do rapaz simples e humilde que é rejeitado pelo pai e alvo fácil de gozo; até ao jovem activo e desportista que descobre que tem uma doença e terá de aprender a lidar com ela.

Categorias
DestaquesTelevisão

Se o Jornalismo não se pode considerar uma ciência temos certamente de olhá-lo como uma arte. A arte de saber contar estórias e marcar a história. Estudante de Jornalismo (ESCS-IPL)

Comentários