Destaques

Grammy 2012: o melhor e o pior da Red Carpet

Todas as cerimónias de entrega de prémios são um autêntico desfile de glamour e elegância. As Red Carpets são quase tão importantes como a cerimónia em si, visto que é a oportunidade dos artistas se demarcarem dos demais através da sua indumentária. Os Grammy não são diferentes.

Considerados como os prémios mais importantes do meio musical, a sua plateia é composta por caras bem conhecidas e adoradas do público. No entanto, o seu estatuto de estrelas não impede que se cometam alguns crimes de moda, deixando ecoar a dúvida “será que não se viu ao espelho!?”. O Propagandista Social esteve atento à passadeira vermelha e traz-lhe os melhores e os piores da noite dos Grammy.

Os melhores

Após terem corrido rumores que davam como certo que nunca mais iria arrasar os palcos com a sua voz, Adele prova o contrário deixando o mundo a seus pés. Para além da sua voz poderosa, a cantora mostrou que tem também um gosto apurado. Visivelmente mais magra, a britânica encantou num elegante Armani preto, favorecendo a sua fisionomia. Os lábios rouge e o cabelo loiro complementaram o look sofisticado.

A noite foi também de Taylor Swift. Para além de ter vencido nas categorias de “Melhor Música Country” e “Melhor Performance Country”, foi também uma das mais elegantes a desfilar na passadeira vermelha. A cantora optou por um vestido de seda no formato cauda de sereia, da autoria do estilista libanês Zuhair Murad. O tom nude e os detalhes dourados combinaram na perfeição com a maquilhagem sóbria. O sofisticado coque deu o toque final e provou que Taylor deixou de ser uma menina para passar a ser uma mulher.

Embora não tenha conseguido vencer nenhuma das categorias para a qual estava nomeada, Carrie Underwood mostrou que o glamour faz parte do seu dicionário. Mostrando estar atenta às tendências desta Primavera/Verão, a cantora country brilhou num longo vestido branco de Gomez-Gracia, ornamentado com lantejoulas e aberto nas costas. Sem necessidade de qualquer tipo de acessórios, Carrie escolheu muito bem ao optar apenas por uns brincos simples e uma clutch preta brilhante. Mantém-se a máxima, menos é mais.

Depois de algum tempo afastada dos holofotes mediáticos, Paris Hilton voltou e arrasou. A herdeira mais famosa dos Estados Unidos esteve deslumbrante numa criação de Basil Soda. Os ornamentos e o cinto em tons de dourado no elegante vestido branco combinaram na perfeição com o seu habitual cabelo loiro.

Gwyneth Paltrow é já considerada por muitos como um ícone de elegância e perfeição, sabendo sempre como ser bonita e ao mesmo tempo simples. Como não podia deixar de ser, a atriz marcou pontos nos Grammy. Stella McCartney soube conjugar a sensualidade e o glamour ao vestir Gwyneth num maravilhoso vestido preto com um pormenor bastante interessante no peito. Mais uma vez o cinto dourado foi escolhido para dar brilho e completar a indumentária. A ausência de joias foi uma boa aposta pois remete a atenção para o mais importante: o glamour do vestido.

Kelly Rowland será eternamente associada às Destiny’s Child, banda onde começou a sua carreira juntamente com Beyoncé. Com o passar dos anos a cantora tem vindo a refinar o seu gosto, e nós adoramos. Vestindo Alberta Ferretti, Kelly impressionou pela beleza da simplicidade. Apresentando um corte direito e um elegante pormenor na parte superior, o vestido assentou-lhe que nem uma luva. Sem dúvida uma excelente aposta.

Depois de surpreender todos ao aparecer loira, Rihanna tirou proveito da sua atual condição para demarcar-se nos Grammy. Embora não fuja às tonalidades mais verificadas, este não é apenas “mais um” vestido preto, ou não fosse da autoria de Giorgio Armani. A cantora deixou pouco à imaginação e revela todo o seu sex-appeal com um estrondoso decote e uma abertura no vestido até meio da coxa. Mais uma vez a combinação com acessórios em tons de dourado saiu vencedora, com especial enfoque na lindíssima clutch Jimmy Choo. Desta vez “Good Girl Gone… Good”.

Os piores

Para todos os que tinham esperança na Nicki Minaj, nem o Papa a salvou. A rapper apresentou-se num vestido/capa Versace feito à sua medida. Tendo como clara inspiração o catolicismo, a cantora não deixou nada ao acaso. Na sua chegada triunfal fez-se acompanhar por um homem vestido de Papa, criando de imediato burburinho em torno da cena. Toda esta teatralidade faz os mais críticos falar de uma “wannabe-Gaga”. Será?

Muitas vezes designada como sex-symbol, desta vez Fergie não tirou o melhor partido do seu corpo. A criação de Jean Paul Gautier suscitou um enorme choque visual. Partindo do princípio que a cantora queria demarcar-se, conseguiu… Pelas piores razões. A escolha da transparência rendilhada num laranja forte foi explosiva quando combinada com lingerie preta. Como se não fosse o suficiente, as enormes argolas douradas tiraram toda a réstia de elegância que poderia sobrar a Fergie. Demasiado é a palavra que melhor resume este look.

A cantora americana Bonnie McKee também mostrou que o bom-gosto tinha tirado férias. Da autoria de Falguni & Shane Peacock, este género de armadura que nem Gladiador deu a sensação que o Carnaval tinha chegada mais cedo para Bonnie. Os dourados do vestido conjugados com as franjas amarelas e o cabelo tingido gera uma enorme dispersão visual, nada benéfica para a cantora. Teremos aqui mais uma seguidora atenta do padrão Gaga?

D’manti podia ser patinadora artística, mas não é. A cantora, tal como Bonnie McKee, confiou o seu look a Falguni & Shane Peacock. Coincidência ou não, ambos fracassaram. Demasiado curto, o vestido deixava a sensação que podia subir a qualquer minuto. A mistura de penas vermelhas com missangas, contas metálicas e lantejoulas é tão intensa que até nos faz pensar que não pode haver pior. Quem nos dera…

Quando se pensava que não podia haver mais nenhum tiro no pé, eis que surge Sasha Gradiva. A cantora russa marcou presença com um acessório no mínimo… diferente: metralhadoras! Esta “brincadeira” de Sasha cobriu o seu braço direito todo, desde o ombro até à mão. Embora o vestido apresente uma cor e um corte bonitos, as atenções foram inevitavelmente para o adereço. Passo a expressão “saiu-lhe o tiro pela culatra”.

Anne Vyalitsyna, modelo da Victoria Secret e namorada do vocalista dos Maroon 5, Adam Levine, esteve menos bem nesta cerimónia. Embora a sua beleza natural seja inegável, a verdade é que a escolha do vestido não foi feliz. O seu desenho demasiado revelador deu a sensação que faltava tecido ou que estava diretamente ligado à roupa interior. Hot body, wrong dress.

Categorias
DestaquesModa

Comentários