Cinema

Óscares 2012: Categoria Melhor Direção Artística

Óscar de Melhor Direção Artística reconhece as conquistas na direção de arte de um filme. Até 1946, a categoria era denominada de decoração de interiores.

O diretor de arte desempenha um papel fundamental na concretização de toda a parte estética de um filme, coordenando a montagem dos cenários e todos os restantes adereços necessários à cena (guarda-roupa, maquilhagem, efeitos especiais).

Fique a par dos cinco nomeados deste ano na categoria de melhor direção de arte.

httpv://www.youtube.com/watch?v=tIROO9zJlE4

O Artista

(design de produção: Laurence Bennett; decoração do set: Robert Gould)

Um dos aspetos mais interessantes na direção artística do filme é a leveza e naturalidade de todo o ambiente. Existe um trabalho bem orquestrado e orientado no sentido de autenticar todo o enredo, com uma aposta no cuidado com os detalhes até à última cena.

Harry Potter e os Talismãs da Morte – Parte 2

(design de produção: Stuart Craig; decoração do set: Stephenie McMillan)

O mundo fantástico de Harry Potter conta com cenários avassaladores, de uma beleza e imaginação meritórias de elogio. Já esteve nomeado três vezes nesta categoria, e conta agora com a quarta indicação. O trabalho artístico é evidente durante a visualização dos filmes, e acresce-se nas cenas iniciais no Banco de Gringott, bem como na batalha em Hogwarts onde se protagoniza o desfecho da saga. Um prémio que seria justamente entregue, não só por este filme em específico, mas como uma premiação de todo o trabalho realizado pela direção artística desde que o pequeno feiticeiro passou para o grande ecrã.

A Invenção de Hugo

(design de produção: Dante Ferretti; decoração do set: Francesca Lo Schiavo)

É a décima indicação de Dante Ferreti, e o trabalho efetuado em “A Invenção de Hugo” juntamente com a sua esposa, Francesca Lo Shiavo, é fenomenal. Ao reconstruirem uma Paris dos anos 30, a direção artística revela estar à altura da genialidade de Martin Scorsese. Existem cenas verdadeiramente extraordinárias, verdadeiras obras-primas pela mão do casal.

Cavalo de Guerra

(design de produção: Rick Carter; decoração do set: Lee Seales)

Cavalo de Guerra“, de Steven Spielberg, regressa aos Estados Unidos rural dos anos 1910 e a uma Europa a braços com a Primeira Guerra Mundial. Os cenários transbordam emoção e realismo, sendo que todos os elementos se articulam com o espírito do filme. Um trabalho bem concretizado e de evidente talento por parte de Rick Carter e Lee Seales.

Meia-Noite em Paris

(design de produção: Anne Seibel; decoração do set: Hélène Dubreuil)

Woody Allen tentou passar-nos a magia de Paris, e a dupla tornou possível o sonho do realizador. O filme é absolutamente extraordinário em todos os cenários, especialmente quando retornam à época de 1910. Uma atenção e cuidado com todo o ambiente do filme que torna mais do que merecida a nomeação.

Categorias
Cinema

Comentários