Cinema

Óscares 2012: Melhor Argumento Adaptado

Óscar de Melhor Argumento Adaptado é um dos mais importantes prémios oferecidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, e vem sendo entregue desde 1929. Como o próprio nome indica, o Óscar é atribuído ao argumentista responsável pela adaptação de uma história originalmente de uma outra fonte (um romance, uma peça de teatro, um conto, uma série televisiva ou em, alguns casos, outro filme).

Conheça os nomeados deste ano:

httpv://www.youtube.com/watch?v=r6qfFmrDa18

“Os Descendentes”

(Alexander Payne, Nat Faxon e Jim Rash)

KauiHartHemmings é a autora do romance “Os Descendentes”, adaptado ao cinema pela mão do também realizador AlexanderPayne, e da dupla de escritores, NatFaxon e JimRash. Humanizando situações dramáticas com algumas pitadas de humor, a adaptação do argumento procurou alternar entre estes dois ingredientes à partida contrários, de modo a tornar o filme mais descontraído e afável. Este toque é muito próprio de AlexanderPayne, que utilizou um estilo semelhante em “Eleição(1999), “As Confissões de Schimidt (2002)  e Sideways – Entre umas e outras(2004). Se o filme sair vencedor no dia 26 de fevereiro, será o primeiro Óscar da dupla e o segundo da carreira de Payne, que em 2004 arrecadará o prémio nesta categoria com o filme “Sideways”.

“A Invenção de Hugo”

(John Logan)

John Logan foi o responsável pela adaptação da história de Brian Selznick. A aventura de Hugo começou há cerca de cinco anos atrás, quando Martin Scorsese, o realizador do filme, enviou o best-seller de Selznick para Logan. A dupla já se havia juntado anteriormente em “O Aviador” (2004), e John Logan deixou-se render pela história do pequeno órfão que vive dentro de uma estação de comboios. O guionista procurou manter a essência da narrativa, mas com um pouco mais de ação e movimento. Deste modo, vemos Hugo a passar por túneis, dentro dos gigantes relógios da estação de comboios, entre muitas outras. Curiosamente, o guionista tem outra história sua nomeada este ano: o filme de animação “Rango”.

“Os Idos de Março”

(George Clooney, Grant Heslov e Beau Willimon)

A história de Beau Willimon foi adaptada, produzida e realizada por George Clooney. Na elaboração do argumento, Clooney juntou-se ao criador original da peça e a Grant Heslov, ambos parceiros de longa data de outros projetos.

Moneyball

(Argumento: Steven Zaillian, Aaron Sorkin; história: Stan Chervin)

A história de Stan Chervin, baseada no livro de Michael Lewis, chegou ao grande ecrã pelas mãos dos argumentistas Steve Zaillian e Aaron Sorkin. Esta é quarta nomeação de Chervin, que esteve nomeado em 1990 com o filme “Despertares” e em 2002 com “Gangs de Nova Iorque”. Em 1993, ele levou mesmo a estatueta dourada para casa com o filme de Steven SpielbergA Lista de Schindler”. No ano passado, Aaron Sorkin também recebeu a sua primeira nomeação (e vitória) com “A Rede Social”.

A Toupeira

(Bridget O´Connor, Peter Straughan)

Baseado no livro de 1974 “Tinker, Tailor, Soldier, Spy de John le Carré, “A Toupeira” chega-nos pelas mãos de Bridget O´Connor e Peter Straughan. Apesar do autor do livro não ter participado no filme, apoiou toda a transposição da história para as salas de cinema. O escritor chega mesmo a aparecer no filme como figurante, numa cena que retrata uma festa de Natal.

Categorias
Cinema

Comentários