Cinema

“The Iron Lady” – Crítica

A Dama de Ferro é um retracto intimista de Margaret Tatcher, uma mulher controversa que lutou para vencer num mundo de homens e que conseguiu ser a única primeira-ministra do Reino Unido até à data.

The Iron Lady” (no título original) mostra uma Tatcher muito mais humana do que poderíamos esperar. A debilidade física e a demência da britânica, exploradas neste filme, talvez sejam a causa da “humanização”, mas Margaret Tatcher é de facto diferente neste filme. Meryl Streep é sem dúvida a pessoa ideal para interpretar o papel, e faz-nos acreditar que é ela a primeira-ministra britânica. A arrogância, a altivez, a ambição e a quase insensibilidade da personagem são perceptíveis (como se poderia esperar da pessoa retratada), mas Streep dá-lhe uma luz diferente. Uma mulher intensa que quer fazer a diferença no mundo, custe o que custar (que neste caso, são a sua vida familiar e os “sentimentos”).

Phyllida Loyd, a realizadora da fita, é eficiente, porém o filme não causa “espanto”, sinto-me até tentada a dizer que não é nada de especial. Há uma exagerada exploração da demência de Tatcher que é quase desnecessária, e que poderia dar lugar a momentos mais importantes e que mereciam mais destaque. O humor negro típico dos britânicos é muito bem-vindo. A cena em que Tatcher se apercebe que o leite está muito caro, é deliciosa. Recordemo-nos que foi Margaret quem aboliu a distribuição gratuita de leite nas escolas britânicas, e esta cena e a seguinte, em que discute o preço com o seu falecido marido, resultam numa crítica muito inteligente às suas políticas anti populistas.

A fotografia e a banda-sonora são boas, mas também não são extraordinárias. Extraordinária, é na minha opinião, apenas a interpretação de Meryl Streep que vai arrecadar (será?) o Óscar mais uma vez.

Pela interpretação de Meryl Streep, apenas, atribuo 4 estrelas ao filme, ela merece!

[xrr rating=4/5]

Veja aqui o trailer do filme:

Categorias
CinemaDestaques

Jornalista Estagiária numa publicação mensal e amante de Cinema e da Cultura nacionais

Comentários