Destaques

SoundCloud: “Rihanna & Chris Brown: quanto mais me bates mais gosto de ti”

Ela prometeu que a nova colaboração ia ser “chocante”. E foi mesmo. Rihanna lançou o novo single do álbum “Talk That Talk”, um remix de “Birthday Cake”. Até aí tudo pacífico. Mas as águas agitam-se quando o mundo soube que a colaboração seria a pessoa que agrediu Rihanna há precisamente 3 anos. Seria a pessoa contra quem ela apresentou queixa. Seria a pessoa que foi julgada e condenada a cinco anos de liberdade condicional, 180 dias de trabalho comunitário pelo ataque e impedido de se aproximar da cantora.

Despachemos já um assunto: a vida “privada” de ambos. Poder-se-á dizer “o que interessa é a música e não podemos julgar as suas vidas”? Em parte é verdade. Mas a meu ver não é possível pensar dessa forma por várias razões. Mas a principal: Rihanna nunca escondeu o episódio de violência doméstica. Antes pelo contrário. A cantora nunca evitou falar no assunto e até o usou (sim!) para seu benefício. Recorde-se que depois do sucedido vimos uma Rihanna com uma postura completamente diferente. Aquela que antes era a intérprete de “Pon De Replay”, “Hate That I Love It”, “Umbrella”, “Take a Bow” e adiante, todas elas músicas “fofinhas” e coloridas, tornou-se a intérprete de músicas como “Hard”, “S&M”, “Russian Roulette”, “Rude Boy”, “Cockiness”, faixas bem mais agressivas e sexuais. O registo adoptado pela artista depois do triste caso mudou radicalmente. A cantora surgiu com uma postura de super-mulher – aproveitando a vitória do infeliz caso de que foi vítima – considerando-se ela própria como um exemplo para todos aqueles que são vítimas de violência doméstica. Isto para dizer que quando Rihanna passa a sua vida pessoal e supostamente privada para o lado público e profissional, quando usa episódios menos felizes da sua vida para faturar, os admiradores, não admiradores, críticos, colegas, amigos e até desconhecidos têm legitimidade para julgar as suas ações. É ingrato? Talvez. Mas é a condição de ser uma estrela mundialmente reconhecida.

Pessoalmente por mais que tente perceber esta estratégia, não consigo. Ainda que digam que esta é apenas uma aliança musical, é inevitável pensar numa reaproximação mais afetiva entre Rihanna e Chris Brown. Podíamos pensar apenas numa aproximação afetiva. Mas em “Birthday Cake” (e falando na música em si!) ouvimos Rihanna a dizer a Chris coisas como “Eu sei que queres morder isto… vou fazer de ti a minha cadela” ou “Lembras-te de como fazias isto?/Lembras-te de como encaixavas?/ Ainda queres beijar”; e Chris a dizer a Rihanna: “Eu quero f**** agora/ Já passou muito tempo, eu estou a perder o teu corpo”. Ora quem ouve isto, pensa em amizade? Ninguém é tão inocente ao ponto de pensar que foi um acaso, ainda para mais quando o produtor da música diz que a colaboração com Chris foi ideia de Rihanna! Para ser racional e direto, o objetivo era chocar, chamar à atenção e fazer dinheiro. E conseguiram-no.

Para mim a questão torna-se mais complicada de perceber quando o mundo se sensibilizou com as imagens da cara de Rihanna após o episódio de violência. Episódio esse que lhe valeu muitos admiradores! Ora, será que esses fãs, não verão esta parceria com maus olhos? E aqueles que já eram fãs antes do sucedido? Das pessoas com quem contactei, a reação não foi muito agradável. E tal como essas, terão com certeza surgido muitas vozes indignadas que se fizeram ouvir redes sociais fora. São aliás pessoas que preferem não ouvir a música de Rihanna e Chris Brown, e que consideram esta parceria uma desilusão.

Se esta parceria tem algo mais para além do escândalo e do dinheiro, eu não o consigo visualizar. E a maior parte dos críticos também não. Chegam mesmo a preferir deixar os julgamentos para os amantes da música, o que para críticos sedentos de opinar é no mínimo estranho. E ainda só ouvimos metade da história: já se fala no vídeo de “Birthday Cake”, onde Chris Brown também deverá estar presente. Depois de os ouvirmos, preparem-se para os vermos juntos! Para além disso, não acredito que esta seja apenas uma parceria musical (embora o deseje!). Penso que mais cedo ou mais tarde veremos fotos de Chris e Rihanna de novo envolvidos numa relação que fará as delícias de uns e a repulsa de outros.

Resta-nos esperar pelos próximos capítulos da novela “Rihanna & Chris Brown: quanto mais me bates mais gosto de ti”. A saga continua dentro de momentos. Até à próxima semana!

Categorias
DestaquesMúsicaRubricasSoundCloud

Media student, workaholic, tv-radio-web addicted, fashion victim, music lover. A life enjoyer.

Comentários