Destaques

Moda Lisboa Freedom – Crónica Dia 8 (1º Dia)

Arrancou no passado dia 8 de Março mais uma edição de Moda Lisboa, evento que volta a dinamizar a capital, com intuito de mostrar as propostas dos estilistas para a próxima estação fria que se avizinha daqui a uns tempos.

Desta vez, o tema é Freedom, remetendo para a liberdade criativa como componente fundamental para a revitalização conceptual e para a adoção de novos modelos de criação. Eleva-se assim a Moda enquanto agente de mudança e motor de crescimento e desenvolvimento económico e social, defende-se a criatividade e a sua liberdade, liberta-se de preconceitos e avança-se, sem medos.

Várias novidades marcaram a 38ª edição do Moda Lisboa, desde a localização da tenda, desta vez sediada na Praça do Município, a adição de mais uma sala de desfiles (a sala B, localizada nas instalações do BPI da Praça do Município), até à disposição da grande sala do Pátio da Galé que apresenta um novo percurso de passerele em forma rectangular.

Ao chegar ao local da grande festa da moda, é impossível não ficar indiferente à grande diversidade de pessoas que já se apinhavam às portas da Câmara Municipal à espera do primeiro desfile do dia. Um verdadeiro desfile de rua de estilos diferentes e únicos que enriquecem esta homenagem à moda que é o Moda Lisboa.

O primeiro desfile desta edição ficou a cargo de SayMyName, marca criada por Catarina Sequeira, na sala A em Paços do Conselho (na Câmara Municipal). Partindo da imagem dos samurais, nobres guerreiros da aristocracia Japonesa, originou-se uma colecção com formas oversize, kimonos, casacos sólidos, fazendo lembrar armaduras e saias abaixo do joelho. Preto e cobre são as cores que reinam nesta colecção.

De seguida, com o atraso já habitual destes eventos (ou não fossemos nós portugueses), foi a vez de Evgenia Tabakova e Pedro Noronha-Feio apresentarem as propostas de White Tent para a estação fria, desta vez, na nova sala B, nas instalações do BPI. Atitude minimalista e desportiva são as palavras-chave numa colecção que usa sobretudo a malha jersey para criar peças confortáveis do quotidiano. Mais uma vez, há predominância do preto e cobre como cores principais para o próximo Inverno.

E chegou a hora de nos mudarmos para o Pátio da Galé, que apresentava uma nova porta de entrada (pela Praça do Município) e uma nova disposição do espaço e da própria passerele. O desfile inaugural desse espaço ficou a cargo de Lidija Kolovrat, que apresentou mais uma colecção elegante e intemporal. Sob o tema I Can See Myself in Your Eyes, a estilista depura-se de acessórios, dando ênfase às necessidades primárias do corpo, o conforto físico para o corpo e o visual para os demais. Portanto, uma colecção mais minimalista relativamente ao que a estilista nos tem vindo a apresentar. Predominância de tons simples, escuros e ainda a presença de alguns padrões, discretos.

Por fim, o último desfile ficou à responsabilidade de Luís Buchinho, que apresentou uma colecção cosmopolita, actual, confortável, com alguns elementos desportivos. Inspirado nas cidades e nos elementos que a constituem (nomeadamente a calçada das ruas portuguesas), o estilista usou formas geométricas, linhas gráficas e longíneas, sem nunca esquecer a elegância própria de um ambiente metropolitano.

Como já seria de esperar, várias personalidades não perderam a oportunidade de espreitar as tendências para o Inverno de 2013:

Raquel Strada e António Costa

Mariza

Vanessa Oliveira

Isabel Angelino e Ângelo Rebelo

Luís Borges, Mariza e Eduardo Beauté

 

Margarida Rebelo Pinto

 

E, no fundo, este evento é mais do que uma grande festa em honra da moda com gente bonita, é uma oportunidade de se mostrar criatividade e paixão pela arte de criar e combinar peças únicas:

Categorias
DestaquesModa

Comentários