Destaques

SoundCloud: Madonna, rainha da Pop… e do Marketing

O SoundCloud desta semana volta a falar de Madonna. A “rainha da Pop” lança o novo álbum daqui a menos de 10 dias e a imprensa não fala de outra coisa. Mas porquê? Por causa da qualidade do disco? Por causa da surpreendente sonoridade das músicas? Por causa de um escândalo? Por causa de um beijo lésbico? Não, por causa da estratégia de marketing.

Depois do tão agitado regresso com as declarações sobre Lady Gaga, a participação no SuperBowl e o lançamento de “Give Me All Your Luvin’” (tudo isto há um mês), Madonna não saiu mais dos websites de música, das revistas, dos jornais, das televisões, das rádios… enfim, dos nossos olhos e ouvidos.

Ao longo das duas últimas semanas foram apresentados excertos de 9 músicas das 12 que compõem “M.D.N.A.” (e das 17 da edição deluxe). “I’m addicted”, “Love Spent”, “Gang Bang”, “Girl Gone Wild”, “Superstar”, “Falling Free”, “I Don’t Give A”, “Beatiful Killer” e “I Fucked Up”. Ou seja, no total, já conhecemos 75% do álbum. E mais que isso, como se suspeitava: nada de novo!

Esta semana conhecemos novas faixas… todos os dias. E resultado: ouvimos falar de Madonna… todos os dias. Chega ser ridículo receber notícias intituladas “Madonna revela música nova” dia após dia, num período de tempo tão curto. O objetivo é claro: mais que chegar aos fãs, é chegar à imprensa e ver escrito “O álbum está à venda a partir de dia 26”. E a imprensa vai publicando. Madonna entra facilmente na agenda dos media. Tudo isto seria legítimo – estaria a ganhar a vida – se se tratasse de um trabalho extraordinariamente inovador, de um feito na sua carreira, de um momento inigualável. Mas não é. É simplesmente mais um álbum. E não vale a pena tentar mascará-lo de algo mais fascinante, porque não é.

Como se não bastasse todo o murmurinho gerado em torno do disco, há também a promoção da digressão mundial. A equipa de Madonna tem divulgado nas redes sociais imagens dos ensaios (e até das lesões da cantora… nódoas negras!), tentando criar um grande suspense na digressão que arranca no final de maio. E para chamar as atenções desde o início, o primeiro palco da tour foi escolhido a dedo: não será Nova Iorque, nem Los Angeles, nem Londres… Tel Aviv é o destino. A sério? Israel?

Mas a verdade é que toda esta estratégia de marketing tão bem montada resulta. “M.D.N.A.” anda nas bocas do mundo (e mais andará quando dia 21 for apresentado o vídeo para “Girl Gone Wild”, que inclui beijos gay). As pré-vendas do álbum estão ao rubro, tal como a venda de bilhetes para os concertos da digressão que passa por Coimbra a 24 de junho.

Resumindo: Madonna é a rainha da Pop… e do Marketing. Já lá vão 30 anos desde o lançamento do primeiro disco, e o sucesso continua. O lado mais comercial e vendível continua a sobrepor-se aos atributos mais fracos da cantora. Vale o espetáculo, a imagem, a dança. Não vale a música, a voz… o essencial (ou o que deveria ser essencial).

E por tudo isto, vem aí um SoundCloud Especial. Vamos analisar faixa-a-faixa o álbum “M.D.N.A.”, que é lançado a 26 de março em todo o mundo. Fique atento!

Deixo o teaser do que ainda está para vir: o vídeo de “Girl Gone Wild” chega dia 21 de março.

Categorias
DestaquesMúsicaRubricasSoundCloud

Media student, workaholic, tv-radio-web addicted, fashion victim, music lover. A life enjoyer.

Comentários