Televisão

Relembre Aniki-bóbó no “Perdidos e Achados”

No Perdidos e Achados, do Jornal da Noite, deste sábado fala-se de Aniki-bóbó, um célebre filme de Manoel de Oliveira. Aniki-bóbó era a fórmula mágica que as crianças usavam, há muitos anos, para dividir os grupos quando brincavam aos polícias e ladrões. A lengalenga vai ficar para sempre ligada ao universo do cineasta Manoel de Oliveira.

Aniki-bóbó foi a primeira longa-metragem do realizador portuense. O filme, que marcou o cinema português, estreou em 1942. Fala de amizade, de ciúme e de amor. A história tem como protagonistas um grupo de crianças, entre elas, o “Carlitos” e a “Teresinha”. “Carlitos” gostava de “Teresinha” e rouba uma boneca para lhe oferecer.

No ‘Perdidos e Achados’, desta semana, revemos “Carlitos” e “Teresinha”, o casal de miúdos que ficou famoso. Passaram 70 anos…o que será feito deles? A não perder, este sábado.

Ficha Técnica:
Jornalista: Patrícia Mouzinho
Imagem: Fernando Silva
Edição: João Nunes
Produção: Madalena Durão; Diana Matias
Coordenação: Isabel Horta
Direção: Alcides Vieira

Categorias
Televisão

Se o Jornalismo não se pode considerar uma ciência temos certamente de olhá-lo como uma arte. A arte de saber contar estórias e marcar a história. Estudante de Jornalismo (ESCS-IPL)

Comentários