Destaques

SoundCloud: Madonna perdeu a coroa – Capítulo “Quanto maior a subida, maior a queda!”

Hey rubys! Eu prometi que faria a review do novo álbum da Nicki Minaj, e irei fazê-la. Mas neste momento outros valores se levantam… ou deitam. Eu disse que isto ainda daria muito que falar e cá está: voltamos a “MDNA” e a Madonna.

Já são conhecidos os resultados das vendas de álbuns nos Estados Unidos da América (EUA) durante a última semana. Depois de se ter estreado no top em primeiro lugar, “MDNA” de Madonna conseguiu a maior queda na segunda semana de vendas, desde que a Nielsen mede a venda de álbuns no país.

O longa-duração atingiu a liderança da tabela na semana passada, com cerca de 359 mil exemplares “vendidos”. Os elevados números deveram-se a uma estratégia de “vendas” diferente. A “rainha da Pop” ofereceu a todos aqueles que comprassem bilhetes para os seus espetáculos nos EUA a oportunidade de levar gratuitamente “MDNA”. Resultado: o álbum mais vendido na semana em que estreou.

Madonna, rainha da Pop… e do Marketing – Capítulo “Os recordes de Madonna”

Mas vejamos números concretos para os mais cépticos… e defensores de Madonna (que também não estou a acusar de nada!): do total de 359 mil exemplares “vendidos”, apenas 179 mil o foram na realidade. Ou seja, cerca de 185 mil exemplares de “MDNA” foram oferecidos com os bilhetes comprados (números de Hollywood Reporter). É incrível como são mais os álbuns oferecidos que os vendidos.

Na prática, Madonna não teria atingido a liderança da tabela de álbuns mais vendidos, caso os exemplares oferecidos não fossem contabilizados. No seu lugar estaria “Tuskegee” de Lionel Richie, que estreou na mesma semana e vendeu (mesmo!) cerca de 199 mil exemplares.

E tudo isto para atingir um “número um” que não passou da primeira semana de vendas (onde forma contabilizados todos os exemplares oferecidos durante toda a fase de compra de bilhetes).

Ora, na segunda semana de vendas, e já sem a contabilização dos álbuns oferecidos, “MDNA” conseguiu, num tão curto intervalo de tempo, baixar em 86,7% o valor das suas vendas. Em números concretos da Billboard, na segunda semana à venda foram vendidos apenas… 48 mil exemplares! Esta é só a maior queda de um álbum na segunda semana de vendas dos últimos 20 anos. Foram “vendidos” menos 86,7% de discos que na primeira semana de vendas, o que coloca “MDNA” agora na 8ª posição.

Em primeiro lugar da tabela está agora Nicki Minaj. A rapper deverá vender(mesmo!) na semana de estreia de “Pink Friday: Roman Reloaded” entre 215 e 235 mil exemplares do álbum.

Perante tudo isto há duas críticas que tenho a fazer: a quem mede as vendas e a Madonna.

Comecemos pelos responsáveis pela medição de vendas de álbuns, neste caso, a Nielsen SoundScan. Sabendo de antemão da estratégia de Madonna, acho incompreensível que não tenham sido tomadas medidas para evitar que os álbuns oferecidos fossem contabilizados.

“MDNA” tem pouco ADN de Madonna (a crítica ao álbum faixa a faixa)

Quanto a Madonna (ou à sua equipa), a história é outra. À venda fracassada, junta-se o conteúdo de “MDNA”… ou a falta dele. Não há um único hit. Não há um “Vogue” ou um “Music”. Há algumas músicas boas, mas nenhuma delas tem a capacidade de marcar “MDNA” como o melhor, ou pelo menos um dos, da sua discografia. Não há singles a fazerem furor na rádio. Não há word of mouth pela qualidade da música. Mas isso também não interessa nada porque a nova digressão vai arrancar. E lá estará Madonna a dançar em cima do palco rodeada de bons profissionais e luzes incandescentes ao ritmo dos êxitos do passado.

Desde o regresso com “MDNA”, a atuação no Super Bowl, as Gagas e Britneys da vida etc, tenho questionado se ainda se justificará chamar a Madge “rainha da Pop”. Pois bem, perante os resultados de vendas, perante a música e perante o panorama musical, acho que hoje consigo afirmar plenamente que Madonna já perdeu a coroa. E não é apenas por haver artistas melhores que ela, mas também pelo impacto e pela influência, ou falta deles, que o seu trabalho tem tido na música… MÚSICA!

Apesar de querer que esta história fique por aqui, parece-me que ainda vem por aí muuuuito que falar. Rubys, esperai pela digressão mundial!

Aconteça o que acontecer eu juro que no próximo SoundCloud chega a review a “Pink Friday: Roman Reloaded” de Nicki Minaj. Stay tuned & enjoy the music!

Para o “adeus” à rainha, fica “Vogue”, quando a coroa ainda lhe pertencia…

Categorias
DestaquesMúsicaRubricasSoundCloud

Media student, workaholic, tv-radio-web addicted, fashion victim, music lover. A life enjoyer.

Comentários