Cinema

“O Polícia” já chegou às salas nacionais (Crítica)

Estreou na passada Quinta-feira, dia 10, a primeira longa-metragem do isrealita Nadav Lapid, O Polícia (Ha- Shoter), filme envolvido tanto em polémica no país de origem como em reconhecimento, tendo arrecadado vários prémios entre os quais o de melhor Primeiro Filme no Festival de Cinema de Jerusalém e mesmo o Grande Prémio do Júri no Festival de Locarno.

A fita apresenta-nos duas visões, duas realidades que se cruzam no final. Por um lado temos Yaron (Yiftach Klein), que integra um grupo de polícia de elite que faz parte da unidade de anti-terrorismo de Israel. Por outro lado, temos um grupo de jovens radicais que, com o objectivo de se fazerem ouvir contra as desigualdades sociais e a opressão do seu país, planeia um sequestro de três milionários israelitas durante um casamento.

É um filme que marca pela diferença, em vários aspectos. Desde mais, por ser uma história sobre conflitos em Israel, mas cuja a verdadeira acção apenas ocorre no terço final do filme. Por outro lado, apresenta uma ambiguidade algo interessante por apelar, através de uma narrativa algo distante e sem paixões, ao afecto do público por este polícia ao mostrar, não o indivíduo como personagem fria e insensível, mas sim o indivíduo dotado de sentimentos de alegria por estar prestes a ser pai, de companheirismo para com os seus colegas de ofício, de apreensão pelo cancro do amigo. Fundamentalmente, Yaron é um indivíduo que, apesar da sua profissão, vive em harmonia consigo próprio e com as suas ideias, até ao preciso momento em que surgem estes jovens revoltados pela necessidade desesperada de mudar o país.

Aqui é representado Israel, não sobre o conflito com a Palestina, mas sob o ponto de vista interno, de conflito entre classes. Embora tenha, por algumas vezes, cenas que se estendem mais do que o devido e outras algo fora do contexto, não deixa de ser um bom filme, bem narrado e com boa fotografia. E não esquecer em dar mérito ao realizador pela escolha de um tema bastante actual mas que acaba por não ser mais abordado pelo receio da polémica.

Classificação: [xrr rating=3/5]

httpv://www.youtube.com/watch?v=yDQcpe5nyYA

Categorias
CinemaDestaques

Comentários