Televisão

Nuno Santos “trava luta” contra despedimento da RTP

Nuno Santos foi despedido por justa causa e não vai ter direito a indmnização ou compensações financeiras. O antigo diretor informativo da RTP é acusado de violação dos deveres de obediência e lealdade. Mesmo assim, o jornalista garante que não vai desistir e vai pedir recurso da decisão.

“Fui despedido da RTP. A decisão acaba de me ser comunicada pelo conselho de administração da empresa à qual dei o melhor de mim próprio durante 15 anos. Travarei a partir de hoje uma luta sem quartel, nos tribunais e em outros fóruns, contra este saneamento anunciado e agora oficializado. A honra dos homens não se atira impunemente aos cães”, afirmou Nuno Santos num comunicado publicado na sua página do Facebook.

O canal público emitiu também um comunicado onde diz que o antigo diretor não foi demitido por “delito de opinião”, e que “as razões que fundamentam a decisão do despedimento são de natureza estritamente jurídica e decorrem dos vários comportamentos que o trabalhador assumiu”.

Em Dezembro do ano passado, a RTP instaurou um processo disciplinar a Nuno Santos depois de terem sido cedidas à PSP imagens da manifestação de 14 de Novembro na Assembleia da República, nunca transmitidas pelo canal. Além de despedido, o antigo director de informãção do canal foi ainda proíbido de entrar nas instalações da RTP.

Categorias
Televisão

Comentários