Resumos de Novelas

“Os Nossos Dias”: resumo de 23 a 27 de Setembro

[tabs class=””]

[tab title=”Ep. 6″]

Susana ajuda Beatriz com os deveres escolares. Bia confessa que não brincou muito na escola porque assim que tentou fazê-lo ficou logo muito cansada, temendo ficar doente para sempre, ou até mesmo morrer, como aconteceu à avó do amigo Henrique. Um beijo e um abraço são suficientes para que Beatriz volte a sorrir.

Marta desabafa com Bela e confessa que está a sentir grandes dificuldades para encontrar um fiador que se responsabilize pelo empréstimo bancário que necessita para a operação de Beatriz. A amiga quase pede desculpa por não a poder ajudar, mas insiste que ela deveria procurar Rodrigo. Marta prefere esgotar todas as possibilidades, pedindo a Bela que não conte a Susana que ainda não conseguiu resolver o problema.

Ricardo e Daniela desesperam por não conseguirem alugar o quarto que lhes sobra na casa. Laura tenta atrair a atenção de Manuel ao jantar, mas esbarra na indiferença do marido, que lhe responde por favor, sem sequer lhe prestar atenção.

Patrícia e João convidam Bárbara e Nuno para seus padrinhos de casamento. Os amigos ficam radiantes e honrados coma distinção e Bárbara pergunta ao João se os seus pais gostaram da ideia. Ele responde que a mãe não achou muita piada e Patrícia assume que a futura sogra não gosta dela. João confessa que Laura nunca gostou de nenhuma das suas namoradas e Nuno chama-lhe gabarolas.

Rodrigo fica chocado quando os pais o pressionam para que se divorcie de Luísa, já que a mulher decidiu abandonar a ideia de engravidar, desistindo de continuar os tratamentos de fertilidade.

Marta pede ajuda a Susana para construir a página no facebook, onde vai fazer o peditório para arranjar o dinheiro necessário à cirurgia de Beatriz. Susana volta a dizer que tudo já estaria resolvido se ela não fosse orgulhosa e pedisse dinheiro ao pai da irmã. Marta reafirma que ele não é boa pessoa e que a enganou quando escondeu que estava noivo de outra mulher. Susana não fica convencida mas aceita ajudar a mãe.

Bela fica possessa quando recebe uma chamada do ex-marido a dizer que não pode ir buscar o filho à escola, pois teve de alterar os treinos da sua equipa de futebol. Na central de táxis, Paulo explica a Valdemar que as mulheres não percebem nada de futebol, referindo-se à incompreensão que a ex-mulher demonstrou, por ele não poder ir buscar o filho. Valdemar vai corrigindo o colega, cujo forte não é mesmo a língua portuguesa. Nesse instante, chega uma rapariga deslumbrante que procura pela dona Lurdes. Esta está a dar ordens a um taxista para que execute o serviço e causa apreensão pela sua rudeza. Quando encerra a comunicação, Carla apresenta-se como a nova taxista. Lurdes afirma que ela já podia ter dito ao que ia pois assim escusava de ter sido tão simpática para ela. Carla fica indignada mas detém-se quando percebe que está a falar com a responsável pela central de táxis.

Paulo e Valdemar, convencidos, decidem apostar contra Lurdes que a nova colega não vai aguentar. Valdemar está ansioso para que Carla se estreie como motorista de táxi para poder ganhar a aposta que fez com Lurdes, em como a novata não vai conseguir desempenhar a tarefa a contento. Carla aparece com os papéis assinados e Lurdes atribui-lhe o carro que tinha combinado com os “sócios” de praxe. Carla não esconde a sua excitação e Lurdes repreende-a por falar demais, dando ordem para que se dirija para a praça de táxis da Brandoa. Paulo reconhece a dificuldade de arranjar clientes no local, enquanto Valdemar esfrega as mãos de contente, certo de que vai ganhar a aposta a Lurdes. A encarregada da praça manda-os trabalhar, sob pena de perderam os seus postos de
trabalho.

[/tab]

[tab title=”Ep. 7″]

Laura desfaz-se em mimos com Manuel e até lhe faz as torradas com o seu pão preferido. Aproveitando a satisfação do marido, desafia-o para irem almoçar à baixa, já que está um dia tão bonito. Ele afirma que já desconfiava que o pão de Mafra trazia fatura e levanta-se da mesa para ir enfiar-se na sala dos rádios a soldar circuitos. Laura tem um ataque de fúria e Manuel não tem outro remédio senão corresponder aos desejos da mulher.

Ana é pressionada por Júlio e Teodoro para lhes alugar as águas furtadas que foi ver, mas fica incomodada com as suas desconfianças e com as exigências que eles fazem. No entanto, não consegue libertar-se dos irmãos e Ricardo vai em seu auxílio, oferecendo-lhe um café. Ana aproveita para escapar e Ricardo aproveita para a convencer a ir ver o quarto que ele e a prima têm para alugar, pedindo-lhe que mantenha segredo sobre o assunto.

O patrão de Marta também não consegue ajudá-la a conseguir o dinheiro para o tratamento de Beatriz, afirmando que já contraiu um crédito bancário considerável e não pode assumir mais compromissos.

Bárbara recebe uma carta das finanças a dizer que as contas da empresa vão ser auditadas e comunica o facto a Eduardo assim que ele chega à empresa. O patrão fica muito nervoso com a notícia e diz que quer falar com Rodrigo imediatamente. O filho chega pouco depois e a secretária informa-o que o pai o espera no gabinete. Rodrigo confessa que a conversa que teve com a mulher na noite anterior acabou em discussão, escondendo que a mulher o expulsou de casa.

Paulo e Valdemar cantam vitória quando Carla contacta a central de táxis a comunicar que o seu carro ficou parado, adivinhando que não tem combustível porque o ponteiro do painel está avariado. Lurdes mantém a sua pose intratável e aconselha-a a começar a andar à procura de gasóleo, porque não tem o reboque disponível.

Elvira dá uma valente descasca a Júlio e Teodoro por terem recusado serem fiadores de Marta junto do banco. Elvira detalha a Laura e Manuel a tragédia que Marta está a viver por não conseguir o dinheiro de que necessita para tratar a filha. O casal fica sensibilizado com a questão e avançam que organizar um espetáculo seria uma boa iniciativa para ajudar. Elvira chama Tatiana, propondo-lhe que cante uns fados mas a filha fica inibida por já não atuar em público há muito tempo. Nuno levanta-se da mesa onde estava a ouvir a conversa e associa-se à causa, propondo-se tocar piano e arranjar outros músicos para participarem. Tatiana fica entusiasmada e aceita logo a ideia, pois tem a sua grande oportunidade de estar mais perto do músico, que pretende conquistar. Elvira estranha a súbita mudança de opinião da filha e percebe que ela pode estar interessada em Nuno. Ele não se manifesta mas não se mostra muito incomodado com o assédio velado da rapariga.

Filipe desabafa com Bárbara e conta que aceitou ser fiador com Bela, para o empréstimo que Marta quer pedir ao banco para tratar de Bia. Gonçalo ouve os desabafos de Rodrigo, que lhe acaba de contar como Luísa o expulsou de casa. Rodrigo vê a sua confiança abalada e percebe que se não tomar uma decisão, será a mãe, Otília, a escolher por si. Otília não esconde a sua preocupação por causa da investigação que as finanças lançaram sobre a empresa, mas Eduardo garante que não vai deixar que o fisco lhes cobre impostos sobre os lucros e muito menos dividi-los com o irmão ou com o sobrinho.

Rodrigo tenta reconciliar-se com Luísa mas a mulher exige que deixe de insistir em ter filhos, pois já decidiu que não vai continuar a fazer os tratamentos de fertilidade. Rodrigo ensaia um discurso que não é seu e Luísa volta a dizer que não o quer lá em casa, enquanto não for capaz de pensar pela sua própria cabeça. Ele fica sozinho na sala sem saber o que fazer. João, desesperado, procura Nuno e conta ao amigo que a empresa em que trabalhava fechou. O patrão levou toda a maquinaria e desapareceu, deixando os trabalhadores no desemprego.

[/tab]

[tab title=”Ep. 8″]

Rodrigo procura conforto em casa dos pais depois de ter sido escorraçado por Luísa. No entanto, não recebe o apoio que esperava, pois Otília recrimina-o por não ter feito frente à mulher.

Valdemar canta vitória convencido que Carla desistiu de ser taxista e reclama o dinheiro da aposta que fez com Lurdes. No entanto, o tiro sai-lhe pela culatra, porque nesse preciso momento a novata entra na central e relata como conseguiu resolver o problema da falta de gasóleo.

João está apreensivo e não sabe como dizer a Patrícia que ficou sem emprego e que têm de adiar o casamento. Patrícia fica à beira de um ataque de nervos quando João assume que ficou sem emprego, revelando que já tinha um mês de salário em atraso e que agora o patrão fechou portas, levando com ele toda a maquinaria da empresa. Patrícia fica desolada porque o noivo confirma que já não têm dinheiro que chegue para a renda de casa desse mês.

Luísa recorda o momento em que Rodrigo lhe jurou que a apoiava na decisão de não ter filhos mas, logo de seguida, assalta-lhe a memória essa discussão que teve com o marido, quando ele lhe quis impor que continuasse a fazer os tratamentos de fertilidade.

Otília e Eduardo insistem com Rodrigo para que se divorcie de Luísa. O filho contraria-os e mostra-se decidido a conceder algum tempo à mulher para que reconsidere e retome os tratamentos de fertilidade. Nesse momento Luísa telefona a Rodrigo e este, pressionado pela mãe para que não atenda, rejeita a chamada.

Daniela critica Ricardo por não a ter consultado quando levou Ana a ver o quarto que tem para alugar. A prima também se mostra preocupada com o facto de Júlio e Teodoro descobrir o que eles estão a fazer. Sempre descontraído, Ricardo garante que ela vai gostar da rapariga e que os senhorios não vão dar conta de nada.

Laura desafia Manuel para irem tomar o pequeno-almoço ao café. O marido recusa-se a sair de casa e ela toma uma posição de força, dizendo que se quer comer que o faça.

João e Patrícia tomam café, muito desanimados por estarem desempregados. A noiva defende que ele deve contar aos pais a situação que estão a viver mas João prefere esperar mais algum tempo, esperançado que possa resolver a situação por si. O casal dispõe-se a aceitar qualquer emprego, pois já nem para pagar a renda da casa tem dinheiro.

Laura entra no café e conta a Elvira e Tatiana que deixou Manuel às voltas na cozinha, já que não quis acompanhá-la para o pequeno-almoço, criticando o marido por querer estar sempre enfiado em casa á volta com os rádios. Elvira lembra que seu falecido marido era muito jeitoso de mãos e Tatiana dispara logo que também gostava de ter um homem muito jeitoso de mãos. Laura queixa-se de não ter qualquer ocupação, agora que está reformada e Tatiana sugere-lhe que compre um computador.

[/tab]

[tab title=”Ep. 9″]

Rodrigo fica surpreendido quando Luísa lhe entra pelo gabinete dentro, questionando a razão de não ter atendido as suas chamadas. Ele responde que não faz sentido outra atitude, depois de ela o ter posto fora de casa. Sem se deter, deixa claro que não gostou de não ter sido consultado quando a mulher decidiu acabar com os tratamentos de fertilidade, acabando com o seu desejo de ser pai. Luísa pede ao marido que apoie a sua decisão e acusa-o de ter adotado o discurso dos pais. Rodrigo tenta que Luísa volte atrás com a sua decisão, mas a conversa é interrompida por Bárbara, que o chama para a reunião com o pai. Rodrigo sai da sala sem olhar para Luísa e esta fica em lágrimas, sendo confortada por Bárbara que percebe que a conversa com o marido não correu bem.

Marta confessa a Bela que está preparada para recorrer às empresas de crédito por telefone, desde que arranje dinheiro para a operação da filha. Bela lembra que os juros dessas empresas são altíssimos, mas Marta não se importa.

Daniela confessa a Susana que está inquieta porque vai conhecer a rapariga a quem Ricardo quer alugar o quarto que lhes sobra em casa. O primo chega entretanto acompanhado por Ana e faz as apresentações. Daniela mostra-se desconfiada com a possível inquilina mas depois de quebrado o gelo, acaba por gostar da rapariga e aceitar que ela se mude lá para casa. Ricardo fica radiante com o desfecho da conversa.

Júlio e Teodoro pressionam Elvira para pagar a renda e fazem o mesmo com Ricardo assim que ele entra no café. Ele, com todo o descaramento que se lhe reconhece provoca os senhorios e responde que nunca mais se atrasará a pagar a renda porque agora os negócios lhe correm bem. Os irmãos ficam com a pulga atrás da orelha mas nem sonham que ele sempre alugou um dos quartos da casa deles.

Tatiana e Nuno preparam-se para começarem a ensaiar mas ambos se mostram constrangidos por estarem sozinhos em casa dele.

Laura troça de Manuel quando o marido lhe pede um comprimido para a azia, adivinhando que o almoço lhe deve ter caído mal. Ele não dá parte fraca e assegura que fez uma bela omeleta, só que a comeu demasiado depressa e não fez a digestão. Laura conta que decidiu comprar um computador e que vai pedir ajuda ao filho para escolher o mais adequado. Manuel critica-a duvidando que ela consiga aprender a trabalhar com o computador.

Nuno e Tatiana quase se envolvem durante o ensaio, excitados quando ele lhe explica como deve controlar o diafragma para cantar melhor. Ela insinua-se mas o músico consegue a custo resistir à tentação.

Filipe regressa a casa com Henrique depois de o ter ido buscar á escola mas avisa Bela que houve um problema. Ela fica aflita quando vê o filho com um olho negro e a criança conta que lhe roubaram o telemóvel novo. Bela deixa-se abraçar por Henrique, enquanto percebe que Filipe a olha muito sério.

Paulo gaba-se de ter entregado um cliente em tempo recorde no destino, com a ajuda do GPS. Valdemar afirma que ele está a contar histórias e Carla recrimina-o por rejeitar as novas tecnologias. Lurdes intervém e decreta que o aparelho deve ser utilizado com moderação. Lurdes já não suporta a tagarelice de Carla e, muito irritada, manda-a calar. A rapariga fica sentida mas por pouco tempo. Lurdes começa a receber as comunicações de Valdemar e Paulo que disputam o primeiro lugar de chegada até ao cliente que aguarda a chegada do táxi para ser transportado. A luta para ganhar a aposta é tão intensa que acabam por chocar um com o outro. Lurdes, ameaçadora, promete cortá-los às postas por terem sofrido o acidente.

Bela confronta Paulo por ter oferecido um telemóvel topo de gama ao filho, fazendo com que o miúdo fosse assaltado. O ex-marido desvaloriza a situação e faz com que ela se exalte. Filipe consegue acalmá-la, com alguma dificuldade.

[/tab]

[tab title=”Ep. 10″]

João vive um verdadeiro inferno em casa dos pais por ter de lhes esconder que foi despedido. Laura oferece-lhe bolo e café, insistindo em saber porque é que ainda não lhe deram a promoção que esperava, mas o filho não consegue pensar em comer e desvia o assunto para o computador que ela quer comprar. Laura fica desconfiada de que algo se passa de errado com o filho.

João vai despedir-se do pai, que está embrenhado a concertar um dos seus rádios. Manuel volta a dizer que é contra a mulher querer comprar um computador mas João quase o convence a mudar de opinião, fazendo-lhe ver que também ele pode usufruir do equipamento para o seu trabalho com os rádios. O pai nota que João está diferente e adivinha que algo se passou no seu trabalho. Ele contorna a questão, embora tentado a contar que foi despedido.

Filipe entra no escritório da fábrica e conta a Bárbara que vem incomodado porque mais uma empresa faliu e acabou de lhes devolver o material. A secretária comenta que o desemprego é cada vez maior e dá o exemplo de Patrícia e João que estão os dois sem trabalho. Bárbara teme que a investigação das finanças à Mob&Line possa colocar os seus postos de trabalho em risco mas Filipe confia na habilidade do patrão para esconder eventuais irregularidades.

Eduardo chama Rodrigo ao gabinete e mostra desagrado com o relatório que ele elaborou sobre as soluções que defende para melhorar a situação financeira da empresa. Rodrigo fica em choque quando o pai lhe comunica que tenciona cortar nos salários dos funcionários e avançar mesmo para o despedimento de alguns, para recuperar os lucros da Mob&Line. Rodrigo tenta demover o pai de implementar cortes salariais e despedimentos na empresa mas acobarda-se à vontade de Eduardo que recusa perder lucros para as finanças, ou para o sobrinho que acusa de nunca se ter preocupado com o negócio da família. Rodrigo discorda das opções paternas mas obedece, quando ele lhe diz para chamar a secretária porque quer apressar o anúncio dos cortes.

Manuel embirra com Laura e João quando eles entram em casa com o computador portátil que foram comprar. Primeiro queixa-se de que lhe estão a roubar espaço e depois que a mulher não tem cabeça para aquilo. De caminho ainda critica o filho por não estar a trabalhar, colocando em risco a promoção que tanto deseja. João fica desconfortável mas defende que a mãe é muito bem capaz de aprender a usar o portátil e Laura manda o marido de volta para o buraco tratar das coisas do século passado, já que ela é uma mulher do seu tempo. Apesar de se mostrar contra o que chama como calculadora emancipada, Manuel não deixa de mostrar curiosidade sobre o equipamento.

Bela leva Henrique a casa de Marta para o filho brincar com Beatriz. Quando estão todos à conversa na sala, soa um toque de mensagem num telemóvel e Henrique é forçado a acusar que é o seu. Quando tira o aparelho do bolso, a mãe vê que é exatamente igual ao que lhe roubaram. Henrique tem de contar que o pai lhe deu outro telefone igual quando passou pelo colégio à hora do almoço. Bela rebenta de indignação e tira o aparelho ao miúdo. Henrique amua mas fica resignado, enquanto Bela jura a Marta que Paulo acabou de comprar uma guerra.

Paulo regressa à base dos táxis um pouco atrasado depois do almoço e justifica que teve de ir à escola do filho levar-lhe outro telemóvel porque o outro lhe foi roubado. Valdemar defende um polícia a cada esquina para evitar os roubos mas Lurdes diz que dorme com a sua arma à cabeceira e defende que todos os taxistas deviam andar armados e fazer uso das pistolas se necessário. Carla fica horrorizada e começa a utilizar um discurso pacifista. Lurdes não gosta e depois de ela sair com Paulo, tem uma ideia ao ouvir Valdemar desabafar que os jovens não sabem o que custa a vida.

Rodrigo vai conversar com Luísa tal com ela lhe tinha pedido e é apanhado de surpresa quando ela se diz disposta a adotar uma criança, como forma de resolverem a crise que se instalou no casamento.

Nuno e Tatiana fazem uma pausa no ensaio para descansar e comerem qualquer coisa. Tatiana descuida-se e derrama vinho sobre a blusa, perguntando se ele não lhe arranja uma de Barbara para se trocar. Enquanto o músico vai buscar a blusa seca, Tatiana usa a sua malícia e tira a roupa suja, ficando em soutien. Quando Nuno regressa à sala fica sem fala ao vê-la despida e a sorrir.

[/tab]

[/tabs]

Categorias
Resumos de Novelas