Resumos de Novelas

“Os Nossos Dias”: resumo de 7 a 11 de Outubro

[tabs class=””]

[tab title=”Ep. 16″]

Bela e Marta fazem os salgados para a noite de fados e desafiam Henrique para as ajudar. O rapaz nem responde porque está concentrado a jogar no telemóvel novo e Bela ordena-lhe que desligue o telefone. O filho fica irritado e grita-lhe que é uma injustiça. Filipe não gosta da atitude de Henrique e levanta a voz, proibindo-o de falar assim com a mãe.

Paulo começa muito bem a entrevista depois da sua equipa ter ganho o jogo que a qualificou para o campeonato distrital. Carla escuta com expectativa, orgulhosa do trabalho que teve para o ensinar a falar em público. Valdemar e Lurdes confessam a surpresa pela desenvoltura que ele revela, mas por pouco tempo. Quando o repórter começa a fazer perguntas, Paulo espalha-se ao comprido, levando Carla ao desespero e Valdemar e Lurdes, às gargalhadas.

Nuno tranquiliza Tatiana e afirma que ela está preparada para cantar sem problemas na noite de fados do café. O ensaio prossegue e Tatiana descobre a letra que Bárbara fez para Nuno, convencendo-o a deixá-la cantar.

Marta confessa a Bela e a Filipe que está mesmo a precisar que a noite de fados a favor de Beatriz corra bem para ganhar animo e não lhe faltarem as forças.

Nuno e Tatiana não resistem à tentação e beijam-se com paixão, deixando que as mãos percorram os seus corpos. O pianista cai em si e afasta-a, dizendo que a mulher pode chegar a qualquer momento. Ficam constrangidos com a situação e despedem-se até à hora do espectáculo no café.

Teodoro mostra-se galante com Elvira, pretendendo saber se ela já tem o vestido pronto para a noite de fados. Ao invés do irmão, Júlia ataca a sua inquilina dizendo que ela anda sempre tão descuidada. Elvira reage com indignação e Júlio chama engatatão a Teodoro.

Paulo regressa à central de táxis e Valdemar faz questão de o ridicularizar perante os colegas, por causa da entrevista que ele deu no final do jogo como treinador da equipa. Carla reconhece que ele começou bem mas assume que acabou mal. Lurdes interrompe a galhofa e anuncia que o patrão decidiu cortar-lhes o subsídio de refeição por causa da crise. Inicialmente os taxistas fazem grande burburinho mas Lurdes lembra que o subsídio era um privilégio e não um direito, clamando que quem tiver opinião contrária deve falar directamente com o patrão. O grupo desmobiliza, restando Carla que continua a protestar e Valdemar que a avisa que os colegas não mexem uma palha para nada. Carla fica incrédula com aquela passividade.

Otília fica indignada com Rodrigo quando ele lhe diz que vai ficar com Luísa, até que ele se recupere emocionalmente. A mãe afirma que quando o pôs no mundo jurou defender a sua felicidade e garante que não vai desistir disso.

Elvira elogia a fatiota com que Júlio e Teodoro se apresentam no café. Júlio, provocador, responde que ela devia seguir o exemplo deles e arranjar-se melhor. Nesse momento, Ricardo entrega à patroa um ramo de flores que não traz qualquer cartão. Teodoro e Júlio dizem logo que não foi qualquer deles. Ricardo adivinha que Elvira tem um admirador secreto que pode ser um dos cavalheiros à sua frente. Ela retira-se e exige respeito. Teodoro afiança que não quer nada com ela e garante a Júlio que pode estar à-vontade. O irmão dispara que está à-vontade mas que não está à-vontadinha.

João e Patrícia fazem de mediadores no “conflito” entre Laura e Manuel por causa do computador. Ela está radiante com o aparelho e ele farta-se de por defeitos, mas apenas por inveja. Quando a conversa começa a entrar no nível da discussão vai refugiar-se no quarto, pedindo para o chamarem quando forem para o café assistir aos fados. João segue atrás do pai e tenta convencê-lo de que também pode tirar partido do computador, mas ele mantém-se renitente, acusando a mulher de não ver outra coisa à frente.

Elvira abre a noite de fados e agradece aos presentes a comparência, lembrando que se trata de uma noite em que todos devem dar largas à sua generosidade para somarem contributos que vão ajudar Bia a ser operada no estrangeiro, já que o estado não comparticipa a cirurgia que ela tem de fazer para sobreviver. Marta sobe também ao palco para agradecer emocionada a presença de todos. Vai acompanhada de Susana e Beatriz. Depois daquelas breves palavras, Elvira emociona-se e derrama uma lágrima ao chamar Tatiana para cantar, assumindo perante a plateia o enorme orgulho que sente da filha. Quando Tatiana começa a cantar, todos escutam a sua bela voz com espanto e admiração.

[/tab]

[tab title=”Ep. 17″]

Carla indigna-se com os taxistas por aceitarem de forma passiva que o patrão lhes retire o subsídio de refeição. Paulo quase nem lhe presta atenção mas sempre lhe diz que não vale a pena reclamar. O pior é quando vai todo lampeiro tirar um café da máquina e ela não lho dá.

Paulo desata a bater na máquina e Lurdes intervém, informando que o patrão também não vai comprar mais café e que quem quiser cafeína que vá ao café da esquina. Paulo insurge-se de forma veemente contra a medida do patrão e sobe para cima de uma caixa e grita que enquanto não houver café, os taxistas estão em greve. Os colegas apoiam e Lurdes fica muito preocupada, percebendo que agora a situação é séria. Carla fica espantada com a reação daqueles que há segundos criticava.

Tatiana agradece à plateia do café o acolhimento que lhe está a dar na sua estreia como fadista.

Rodrigo termina o jantar com Luísa e sente-se a seu lado para tomarem café, sempre muito atencioso e preocupado com o seu bem-estar. Ela elogia-o por ter enfrentado a mãe, duvidando que ela aceite que continuem juntos e muito menos a adoção de uma criança.

O concerto de Tatiana e Nuno é um verdadeiro êxito e Marta agradece a Laura e Manuel por terem participado. Ele lamenta não poderem dar mais dinheiro mas justifica-se com os tempos que atravessamos. Mais afastados estão João e Patrícia. Ela reclama porque estão a passar por dificuldades mas ele insiste que devem deixar a sua contribuição para ajudarem Beatriz.

Embora contrariada, Patrícia lá vai deixar a Ricardo dez euros para a menina, no fundo, o único dinheiro que tem. Daniela está a tentar convencer Ana a ficar mais um pouco na festa quando Júlio e Teodoro as interpelam e com alguma agressividade tentam perceber porque é que ela ali está. Ana fica atrapalhada mas Daniela socorre-a perguntando-lhes porque estão tão interessados nisso e se já contribuíram com algum donativo para a menina doente. Os irmãos ficam encabulados, percebendo-se o quanto são sovinas. As raparigas aproveitam para lhes escapar.

Muito fragilizada, Marta abeira-se de Susana que conta o dinheiro amealhado na noite de fados e diz à filha que não vale a pena, pois sabe bem quanto ali está. Susana está longe de imaginar o que se passa e lembra à mãe que ainda falta a resposta do banco ao empréstimo que pediram. Fica em choque quando a mãe começa a chorar descontrolada, revelando que não sabe o que fazer, pois o banco recusou emprestar o dinheiro para a cirurgia de Beatriz.

Susana reage com incredulidade, depois de Marta revelar que o banco não aceitou Bela e Filipe como fiadores e que, por consequência, não emprestará o dinheiro necessário para a operação de Bia. Marta justifica que não disse nada para não a preocupar ainda mais e que agora lhe resta como solução pedir um crédito pelo telefone, desdobrando-se a trabalhar para pagar os juros que são altos. Susana controla-se e não recrimina a mãe, chegando mesmo a dispensar-lhe um sorriso de conforto. No entanto, depois de ela virar costas, adota uma postura muito séria e nervosa. É assim que vai ao quarto observar a irmã, que dorme profundamente.

Lurdes acaba com a greve dos taxistas porque consegue que o patrão ofereça um frigorífico com cervejas frescas para eles beberem depois do trabalho. Valdemar e Paulo ficam nas nuvens, tal como os restantes colegas que ignoram Carla quando ela lembra que devem continuar a greve, pois vão perder o subsídio de almoço e o café da máquina. Lurdes grita-lhe para que regresse ao trabalho, frisando que ainda está para nascer um sindicalista que a derrote. Carla fica muito desiludida com a atitude dos colegas.

[/tab]

[tab title=”Ep. 18″]

Eduardo conversa com Otília ao almoço e diz que está desconfiado que Rodrigo não vai ter coragem de pedir o divórcio a Luísa. A mulher recorda-lhe que já o afastaram uma vez de uma mulher e, portanto, também o afastarão de Luísa se for necessário. Otília afirma que se a secretária de que se livraram não era mulher para o filho por ser mãe solteira, Luísa deixou de ser por não lhe dar filhos. Eduardo comenta que a nora se revelou uma desilusão e que o filho nunca soube escolher as mulheres.Enquanto Luísa prepara o almoço, Rodrigo conta a Gonçalo que optou por continuar ao lado da mulher, pelo menos até que ela se restabeleça emocionalmente. O amigo volta a ser a sua consciência e lembra-lhe que a felicidade não se constrói em cima de mentiras, convicto de que a grande duvida do problema é se ela sofrerá mais se ele lhe disser agora que já não a ama, ou se disser depois. Luísa entra na sala com o tabuleiro da comida e interrompe a conversa. Gonçalo elogia-a pela forma rápida como recuperou e ela provoca grande constrangimento em Rodrigo, assegurando que isso se deve ao facto de ter feito as pazes com o marido. Luísa acrescenta que foi parar ao hospital por acidente, pois ao tomar os comprimidos queria apenas ficar a dormir e nada mais.

No café, Teodoro assume que a história do admirador secreto de Elvira não lhe está a cheirar nada bem. Júlio acusa-o de estar interessado nela mas o irmão não assume, justificando que apenas está atento ao que se passa à sua volta, apesar de ele ser o coscuvilheiro do bairro.

Bárbara conversa com Patrícia e conta que já disse a Nuno que era interessante continuarem a fazer espetáculos no café e elogia os dotes vocais de Tatiana, que agradece. Tatiana reconhece que Nuno fez um grande trabalho com ela e Bárbara, um pouco venenosa, lembra que ela chegou a deixar uma écharpe lá em casa, que ela arrumou a um canto. Tatiana não acusa o toque e fica a ouvir a conversa das duas amigas, que planeiam almoçar fora. Rápida a pensar, vê na ausência de Bárbara o caminho aberto para si e diz à mãe que vai ter de sair por uns instantes. Elvira insiste para que não faça disparates, mas Tatiana diz que vai tratar de assuntos seus e diz-lhe para se socorrer de Ricardo se precisar de ajuda no café. Júlio aproveita o momento em que Elvira abandonou o balcão para lhe pôr sorrateiramente um postal no livro de fiados.

A pretexto de ir buscar a écharpe de que se tinha esquecido, Tatiana vai a casa de Nuno. Ele estranha a sua aparição, mas a rapariga não perde tempo e vai direta ao assunto, assumindo que não está a ser fácil gerir a química que existe entre os dois. Nuno assume ter medo de que a mulher os apanhe juntos mas Tatiana tranquiliza-o e diz saber que ela foi para a Ericeira com a amiga. Tatiana beija Nuno que não resiste, começando ambos a despir-se, com pressa de se amarem.

Elvira fica desiludida quando Marta conta que a receita apurada na noite de fados resulta apenas numa pequena ajuda para a operação da filha Beatriz. A dona do café sofre por não poder ajudar mais e culpa a crise que o País atravessa, que impede as pessoas contribuírem mais. Bela nota que a amiga está muito pesarosa e tenta animá-la com a esperança de que tudo se resolva.

Valdemar entrega a chave do táxi a Lurdes depois de acabar o turno e prepara-se para ir beber a cerveja da ordem. Quando chega ao frigorífico vê que tem um cadeado e que só pode ser destrancado se ele pagar um euro por cada cerveja. O taxista faz um escândalo e os outros prestam atenção ao colega que vai protestar com Lurdes. Carla aproveita para lembrar que é bem feito porque se venderam ao patrão a troco de cervejas e que devem é reivindicar a reposição do subsídio de almoço. Lurdes percebe que pode ter de enfrentar outra greve e apressa-se a negociar a venda das cervejas por metade do preço. Os taxistas aceitam e Carla é novamente derrotada. Lurdes lembra-lhe que ainda está para nascer o sindicalista que lhe fará frente.

Nuno e Tatiana compõem as roupas depois de terem feito amor. Ela, maliciosa, pergunta-lhe se está arrependido. Ele, reconhece que passou com ela um momento muito bom e que se sente atraído por ela, mas deixa claro que não quer perder a relação que tem com Bárbara. Tatiana garante que não será ela a contar seja o que for. Já de saída, a rapariga rouba mais um beijo ao pianista, que fica extasiado no meio da sala a olhar para a porta.

Ignorando que foi traída pelo marido, Bárbara compra pão no café e conta a Elvira que a praia estava muito boa. Tatiana regressa ao estabelecimento e troca um sorriso cordial com a secretária. Esta nota que ele já trás a écharpe e a rapariga mente, dizendo que acabou de ir rapidamente buscá-la, mostrando-se pesarosa por ter interrompido o trabalho de Nuno. Bárbara desvaloriza e afirma que o marido teve muito tempo para estar sozinho. Bárbara regressa a casa e Nuno fica muito enervado quando ela conta que se cruzou com Tatiana e soube que ela foi lá a casa. A mulher deixa-o mais aliviado ao dizer que percebeu que a rapariga do café tinha ido buscar a écharpe de que se esquecera. Nuno nem consegue dizer o que quer para jantar, de tão atordoado que está. Apesar disso, Bárbara não desconfia que foi traída.

Marta confessa a Bela que já lhe passou pela cabeça ir ter com Rodrigo e contar-lhe que é pai de uma menina que agora precisa dele. Bela garante à amiga que terá sempre o seu apoio.

No dia seguinte, logo pela manhã, Susana invade o gabinete de Rodrigo e pergunta-lhe se o nome de Marta Brito lhe diz alguma coisa. Rodrigo fica atordoado ao recordar o nome da sua antiga namorada. Susana nem deixa que ele respire e atira que Marta é mãe de Beatriz, que é sua irmã e filha dele. O empresário fica atónito a olhar para Susana.

Filipe chega à empresa e apanha Bárbara ainda a digerir a entrada intempestiva de Susana no Gabinete de Rodrigo. O estafeta pergunta se ela sabe o motivo da reunião convocada pela administração com os trabalhadores. Bárbara responde que não faz ideia e Filipe arrisca que, se calhar, vão anunciar cortes nos salários. Ela duvida porque não ouviu falar de nada. Filipe vai à sua vida, enquanto a secretária fica a olhar para a porta do gabinete do patrão.

[/tab]

[tab title=”Ep. 19″]

Rodrigo recusa-se a acreditar na história que Susana lhe conta e afirma que é impossível ser pai de uma filha, resultante da relação com Marta. O gestor acusa Susana de estar a tentar extorquir-lhe dinheiro, apesar de ela lhe garantir que a irmã tem um tumor no coração e só pode ser operada no estrangeiro. Rodrigo irrita-se ainda mais quando Susana o acusa de não querer assumir as suas responsabilidades e que se não o fizer vai para os jornais denunciá-lo. É a gota de água que entorna o caldo e faz com que Rodrigo a expulse do gabinete, dizendo que lhe põe um batalhão de advogados em cima se ela ousar destruir-lhe a imagem. Susana sai furiosa a gritar que agora compreende porque é que a mãe nunca lhe pediu ajuda.

Rodrigo sai do gabinete e acaba por confirmar com Bárbara que a rapariga falou a verdade. A secretária conta que Susana é irmã de uma menina que está muito doente e que as pessoas do bairro organizaram um espetáculo de angariação de fundos para a sua operação no estrangeiro. Rodrigo ouve com atenção e pede a Bárbara que não comente o sucedido.

Rodrigo está metido com os seus pensamentos quando Eduardo lhe entra pelo gabinete e confirma que a reunião com os trabalhadores está marcada para depois do almoço. Rodrigo tenta demover o pai de levar por diante os cortes de salários e despedimentos que se prepara para apresentar. Eduardo fica zangado e acusa-o novamente de estar a adotar o comportamento de um sindicalista e de contestar a sua liderança.

Ana está de saída para o trabalho mas não o faz sem apanhar a roupa que Ricardo deixou espalhada pelo chão, bem como a toalha de Daniela. Esta impede-a de lavar a loiça como queria e empurra-a para fora de casa. Susana chega nesse momento e aparenta uma grande tensão. Daniela mostra-se assustada e ela acaba por contar a discussão que teve com Rodrigo e que lhe disse que Bia é sua filha. Daniela adivinha que a mãe dela não vai gostar do que ela fez e Susana fica ainda mais aflita, também arrependida da iniciativa que tomou.

Ricardo vê Ana entrar no café e pergunta porque está tão afogueada. Ela esclarece que esteve a arrumar algumas coisas lá em casa, especialmente o quarto dele. Ricardo agradece e vai dar um grande abraço a Ana que reage com a habitual timidez. Aquele momento de carinho é testemunhado com desagrado pelos manos Teodoro e Júlio. Este dispara que a menina está a ambientar-se muito rapidamente ao bairro. Elvira vai socorrer os jovens e manda os senhorios para a outra sala, dizendo que Tatiana os vai atender. Elvira repreende Ricardo e Ana que por pouco não foram apanhados, garantindo que Júlio e Teodoro desconfiaram de tanta intimidade e que ainda vão descobrir que Ricardo alugou um quarto dos seus a Ana. Ele continua a pensar que está tudo controlado.

Nuno aproveita a visita de João para lhe contar que se envolveu com Tatiana, admitindo que não quer voltar a enganar Bárbara nem ser infiel, apesar de ter gostado do que viveu com a rapariga do café. João alivia o sentimento de culpa do amigo e aconselha-o a não contar nada à mulher, uma vez que acha que se tratou de um único deslize. O pianista pede desculpa por estar a falar dos seus problemas quando João é que tem problemas sérios. João conta que julga estar para breve o seu regresso ao trabalho e que Patrícia também já tem uma entrevista de emprego marcada. Nuno afirma que as coisas parecem estar a melhorar para eles.

Manel diz a Laura que acha que João anda estranho, pois foi fazer perguntas sobre as economias que eles têm. Laura admite que o filho até possa estar com dificuldades financeiras porque é o único a ganhar e a mulher não deve ser meiga a gastar. Manel fica irritado por ela estar sempre a atacar Patrícia e Laura defende-se dizendo que é para compensar o facto de ele estar sempre a proteger o filho. Laura mostra-se convencida de que o filho está a atrasar o casamento, por que Patrícia não quer que ela os ajude.

Carla acaba o seu turno e ao chegar à central de táxis percebe que está tudo de mau humor e que a pior é Lurdes, que resmunga por tudo e por nada. Carla pergunta o que se passa a Paulo e Valdemar que, a custo, lá contam que este é o pior dia do ano por se tratar do dia de aniversário de Lurdes, que nunca permitiu festejos. Carla diz que isso não faz sentido e vai comprar um bolo, certa de que Lurdes vai apreciar o miminho. Paulo acha que a colega é capaz de ter razão e de ser a pessoa certa para lhes levar algumas coisas novas. Paulo, mais cético, considera que Carla ainda vai acabar mal.

Filipe protesta contra os cortes que a administração da empresa anunciou e pede a Bárbara para falar com Eduardo. Ela diz que o patrão está com a agenda cheia e até é capaz de ser melhor reunirem no dia seguinte, para que Filipe se acalme e pense melhor no que vai dizer para não se prejudicar e aos colegas que o escolheram como seu representante. Filipe está muito enervado e acusa-a de encarar o caso de forma descontraída por que o seu salário não sofreu cortes. Bárbara fica ofendida e Filipe acaba por perceber que se excedeu e pede-lhe desculpa.

Rodrigo declina o convite de Luísa para lanchar, justificando que está cheio de trabalho na empresa. Depois de desligar comenta com Gonçalo o facto de poder ter uma filha resultante da relação que teve com Marta, antes de casar com Luísa. Rodrigo confessa que não lhe pareceu que Susana tenha mentido ao contar que a irmã precisa de ajuda mas confessa que ainda não sabe se deve procurar a antiga namorada. Gonçalo sublinha que no fundo era Marta que ele amava e que acabou por casar com quem os pais quiseram. Rodrigo mantém-se cheio de dúvidas, sem saber o que fazer.

Depois de se despedir do amigo, pergunta a Bárbara se teve ecos de como os trabalhadores estão a reagir aos cortes nos salários. A secretária avança que os maiores protestos chegam da fábrica. Rodrigo aproveita para mudar de assunto e perguntar se ela sabe onde pode encontrar Susana, justificando que o encontro matinal lhe deixou um travo amargo que quer retificar. Bárbara responde que lhe pode dar a morada do supermercado onde a mãe da rapariga trabalha, o que ainda o satisfaz mais.

Susana conversa com Daniela e mostra-se convencida que o pai da irmã fez bluff quando disse que lhe punha os advogados à perna se lhe denegrisse a imagem, pois se alguém tem alguma coisa a perder é ele, se a mãe reclamar em tribunal que ele é o pai de Bia e que não assumiu as suas responsabilidades. Daniela lembra-lhe que ela devia era ir contar à mãe que foi procurar Rodrigo, antes que ela descubra por outra pessoa. Susana mostra-se arrependida do que fez e afirma que vai buscar a irmã à escola e que depois vai para casa ganhar coragem para contar à mãe o que fez sem a sua autorização.

Marta confessa a Bela que vai ter de inventar uma forma de pagar o empréstimo para a operação de Bia, sem saber como o poderá fazer, colocando como alternativa arranjar outro emprego. A amiga gaba-lhe a coragem. Filipe chega enervado para a ir buscar e Bela fica em estado de choque quando ele lhe conta que o ordenado que ganha na fábrica vai ficar com menos cento e cinquenta euros, porque o patrão decidiu fazer cortes, alegando que só assim conseguirá salvar a empresa. Filipe conta que os trabalhadores se organizaram para reivindicarem uma alternativa mas Bela não fica convencida, pois não sabe como pagar as contas do mês que vai chegar. Filipe promete arranjar uma solução.

[/tab]

[tab title=”Ep. 20″]

Quando Lurdes entra na central de táxis, os taxistas começam a cantar-lhe os parabéns, sob a batuta de Carla. Lurdes faz um escândalo e dá um raspanete a Carla por ter organizado a festa. A rapariga começa a chorar e a encarregada fica desarmada com aquela reação, consolando-a. Valdemar e Paulo amolecem-lhe o coração e Lurdes acaba por concordar, no seu jeito resmungam, em comer o bolo mas sem cantiga de aniversário.

João e Patrícia visitam os pais dele e a namorada descai-se e por pouco não diz que ele também perdeu o emprego.

Eduardo conta a Otília que a empresa está em pé de guerra depois de ele ter anunciado os cortes nos salários e afirma que se os trabalhadores adotarem formas de luta os ameaçará com o despedimento para eles amansarem. O empresário mostra-se furioso porque o filho se manteve calado e não o apoiou quando comunicou as medidas aos funcionários. Otília adivinha que o filho possa estar com problemas com Luísa mas Eduardo afirma que ele negou e dispara que está na altura de Rodrigo assumir as suas responsabilidades.

Rodrigo procura Marta no supermercado e pergunta-lhe se é verdade que ela foi mãe de uma menina há oito anos e se Beatriz é realmente sua filha, como Susana lhe contou quando o procurou na empresa. Marta fica sem pinga de sangue.

Marta discute violentamente com Rodrigo quando ele insinua que ela mandou Susana à sua procura para lhe exigir dinheiro, a pretexto da doença da filha que têm em comum e de que ele desconhecia a existência. Marta lembra que foi ele que a enganou e abandonou e que foi por isso que nunca lhe contou da existência de Beatriz. Uma cliente aproxima-se e Marta expulsa Rodrigo do supermercado. Ele sai sem custo e ela fica a controlar o choro.

Filipe confessa a Bela que está preocupado com a reunião que vai ter com Eduardo sobre os cortes que ele fez nos salários dos trabalhadores. Bela também não está descansada por ser Filipe a dar a cara pelos colegas, pois pode sofrer as consequências disso. Filipe afirma que não tem medo mas deixa Bela apreensiva quando fala outra vez na possibilidade de emigrar.

Nuno confessa a João que voltou a trair Bárbara com Tatiana mas jura que foi a última vez que isso aconteceu, mostrando-se arrependido. No entanto reconhece que Tatiana é uma grande tentação. João troça da fraqueza do amigo antes de contar que ainda não arranjou emprego, mas sem saber como conseguirá pagar a renda. No entanto esforça-se por dar a ideia de que tem tudo controlado.

Marta dá uma descompostura violenta a Susana por ela ter ido procurar Rodrigo contra sua vontade. A filha pede desculpa mas marta está demasiado exaltada para escutar seja o que for e reafirma que não pode contar com um homem que a abandonou como Rodrigo fez. Susana também se exalta e chama egoísta à mãe, acusando-a de não se importar com a saúde de Beatriz, ao recusar a ajuda do pai da irmã para que ela possa ser operada. Marta descontrola-se e agride a filha com uma bofetada. Susana fica petrificada e avisa-a para nunca mais lhe bater. Marta fica sozinha, muito afetada com a discussão.

Rodrigo chega a casa desgastado pelo encontro com Marta e é tomado de assalto por Luísa que o enche de carinhos, dizendo que preparou um jantar especial para os dois. O marido disfarça como pode a sua angústia e ainda tem de suportar as críticas que ela faz aos pais dele, em particular a Eduardo por ter decretado os cortes salariais na empresa. Otília também não é poupada e Luísa insiste que os sogros não têm um pingo de afeto genuíno por ele. Rodrigo escapa à polémica e diz que quer tomar um banho antes do jantar, deixando Luísa frustrada por ver quebrada a sua tentativa de ter um ambiente romântico em casa.

Elvira está preocupada porque não consegue pagar a segurança social e a renda de casa no mesmo mês. Ricardo ouve e pergunta a Tatiana se não foi pagar a segurança social como tinha dito e percebe que ela esconde um segredo. O empregado retira-se ao perceber que elas querem conversar a sós. Elvira dá um raspanete à filha e exige que ela se afaste de Nuno. Tatiana recusa, insinuando que ele a quer por perto.

[/tab]

[/tabs]

Categorias
Resumos de Novelas

Comentários