Resumos de Novelas

“Sol de Inverno”: resumo de 18 a 24 de Novembro

[tabs class=””]

[tab title=”Ep. 63″]

Sofia recusa-se a dar mais uma oportunidade a Manel.

 

Carlos revela a Fátima que não é rico e que trabalha como motorista para uma família rica.

 

Quando Eduardo pensa que vai negociar a compra do rim para a irmã, é atirado ao chão e adormecido com uma injeção.

 

 

Sofia recusa-se a dar mais uma oportunidade a Manel, afirmando que não consegue perdoar-lhe por não ter confiado em si, preferindo fazer o jogo de Laura. Ele ainda argumenta que julgou ser a única forma de não perder o filho mas Sofia não se comove e aponta-lhe a porta da rua. Manel sai mas antes promete a Sofia que não vai desistir dela.

Joana conta a Matilde que tem andado deprimida nos últimos tempos e a prima oferece-se para falar com uma psicóloga amiga para que se ocupe do seu caso. Joana mostra-se disposta a tentar a sua sorte e confessa que gostava que voltassem a morar todos juntos, contando a Matilde que a mãe dela está a ver casas para comprar. A prima argumenta que já tem casa mas promete visitá-los com frequência.

Concha regressa ao palacete e Lé fica toda contente, saudando o facto de ela ter decidido despedir-se do pai, ao mesmo tempo que lembra que tem uma relação especial deferente. Fátima vê que concha está se regresso, revelando que a revista que tem na mão tem a solução para a incapacidade que Mariano tem para lidar com as raparigas. A empregada vai ter com ele e consegue convencê-lo a ler a revista para tentar arranjar um encontro.

Beatriz conta a Sofia e Adelino que ficou horrorizada com Miguel, pois convidou-a para ir com ele para um motel, logo no primeiro encontro. O pai lembra-lhe que uma andorinha não faz a primavera, enquanto Sofia também desvaloriza o incidente e conta ao pai e à irmã que já tem uma casa em vista, desejando que fossem morar todos juntos, incluindo Matilde. Sofia reconhece que está a ser egoísta. Adelino conta que Joana está muito entusiasmada com a mudança.

Teresa visita Salvador, que está a convalescer em casa e fica surpreendida quando ele lhe conta que Margarida está grávida. Teresa acha que ela não devia ter ido fazer compras para Madrid estando à espera de bebé, mas Salvador começa a desconfiar de que a mãe pode ter sabido e foi ao estrangeiro com a filha para resolver o “problema”.

Simão e Nuno visitam Manel que se mostra penalizado por ter feito um disparate ao chantagear o juiz, podendo agora perder o filho de vez. Simão culpa-se por ter falado com Laura e ela ter sabido por si que o juiz é homossexual mas Manel iliba-o de qualquer responsabilidade, pedindo que o ajudem a ver o filho. Nuno promete que vai falar com os pais.

Eduardo liga para Andreia e diz-lhe que está prestes a regressar a Portugal mas sem revelar a razão de ter viajado até ao México. Ela pede ao marido que lhe leve um presente, o que o deixa agastado. Depois de desligar, Andreia assume-se como a patroa da casa, libertando Carlos que lhe pede para ir sair.

Sandra insinua que os conselhos que Dulce lhe deu para confeccionar as refeições dos patrões não foram os melhores. Dulce mostra-se ofendida e diz que ela terá de se desenrascar sozinha a fazer o almoço no dia seguinte. Carlos prepara-se para sair e procura um CD que tinha deixado na cozinha. Sandra abre uma gaveta e entrega-lho, enquanto a mãe assegura que o disco é para conseguir mais presas entre as mulheres. Carlos nega e chama a atenção de Dulce para que não diga mal de Fátima, a sua namorada.

Sofia confessa que sente a falta de Manel mas acha que é melhor manter-se afastada dele. De seguida diz a Beatriz que gostava que tanto ela como o pai deviam acompanhá-la a ver a casa nova.

Salvador comenta com Matilde que acha estranho que Laura tenha ido viajar com Margarida, logo na altura em que ele está a sair do hospital. Na sua mente volta a ocorrer que Laura já sabe de tudo.

Carlos vai ter com Fátima ao palacete e oferece-lhe o CD que gravou com músicas do Tony Carreira. Ela fica entusiasmada e desafia-o para irem para os copos. O namorado desculpa-se dizendo que se esqueceu da carteira e convence-a a irem para o quarto. Lé e Concha percebem que a empregada está a ser enganada.

No quarto, Carlos ganha coragem e confessa a Fátima que andou a enganá-la fingindo ser patrão, quando na realidade é apenas o motorista da família para a qual trabalha. A namorada diz que gosta dele pelo que é e não pelo que poderia ser e de seguida pergunta-lhe se passou no teste para saber se o amor que tem por ele é verdadeiro. Carlos fica desolado ao perceber que Fátima continua a pensar que ele é rico.

Tomás e Benedita concordam que precisavam de passar uns dias fora para fugirem á rotina mas reconhecem igualmente que isso é impossível de momento. O casal beija-se e é observado por Lúcia que acaba por disfarçar o seu desagrado por ver Tomás com outra mulher. Vicente aparece por essa altura e tenta convencer Lúcia a voltar para casa com Matias e Violeta, uma vez que os filhos não gostam de morar no palacete. Ela lembra-lhe que falharam redondamente da primeira vez e que não quer passar pelo mesmo. Vicente confessa que da primeira vez que lhe pede para voltarem a morar juntos não esperava outra resposta. Insiste no entanto que as portas da sua casa estão abertas para eles.

Sofia insiste com o pai para que vá morar com ela mas Adelino recusa-se a desfazer-se da casa onde vive há tantos anos. A filha argumenta que não precisa de vender a casa, podendo alugá-la. Adelino fica sem argumentos.

Joana ajuda a mãe a criar o seu blogue e aproveita para lhe contar que Matilde está a procurar saber se uma psicóloga clínica amiga a pode ajudar. Beatriz fica contente por si e pela filha.

Eduardo encontra-se manhã cedo no seu hotel com Garcia, o homem que está a intermediar a compra do rim que pode devolver a Teresa a sua vida normal. Garcia faz sinal a Eduardo e ambos deixam o hotel.

Constança surpreende Isabel e viaja para a sua terra mais depressa do que ela esperaria. No entanto, antes de partir, comove Isabel falando-lhe do pai e vincando que nunca quis que ele tivesse deixado a mãe dela. Benedita apressa a mãe, dizendo que agora está a falar demais e consegue tirá-la dali. Isabel fica pensativa.

Lé serve o pequeno-almoço a Tomás. Concha aparece nesse momento e pede à mãe os livros das contas do palacete. Lé afirma que ainda não os procurou e leva a filha a dizer que não estranha o facto de ela não os ter encontrado. Mariano causa repulsa aos presentes, por aproveitar um pacotinho de chá que usou na noite anterior. O livreiro desvaloriza os comentários e chama-lhes gastadores. De seguida, anuncia que vai tomar o chá para o jardim enquanto lê. No entanto, a sua atenção é desviada para os gritos que Fátima dá e vai ver, já algo preocupado, o que se passa. Ao chegar à porta do quarto da empregada percebe que ela está a fazer amor com o namorado e vai embora cabisbaixo.

Sandra esforça-se por se redimir dos fracassos culinários mas Dulce continua a dificultar-lhe a tarefa de agradar aos patrões. A propósito, lembra que Simão também vai almoçar e Sandra confessa o seu interesse no rapaz. Dulce afirma com segurança que com ele não tem qualquer hipótese pois o rapaz é “sensível”. Sandra assume que percebe o que lhe diz mas que se recusa a acreditar.

Eduardo confere que a clínica onde a irmã irá fazer novo transplante reúne todas as condições, aguardando agora que chegue o intermediário.

Simão confirma a Teresa que margarida foi a Madrid não para fazer compras, mas sim para abortar, pois não deseja ser mãe nesta altura. Teresa ainda pensa em falar com a irmã mas Simão desaconselha por poder ser-lhe prejudicial.

O suposto dador do rim de Teresa chega ao local do encontro e, quando nada o faz esperar, arranca a mochila que tem o dinheiro do ombro de Eduardo, enquanto um outro homem lhe segura os braços atrás das costas. Garcia não intervém e Eduardo leva uma injecção que o deixa a dormir.

[/tab]

[tab title=”Ep. 64″]

Eduardo é drogado e roubado quando negoceia a compra de um rim para a irmã. Depois de conseguir libertar-se vai para a estrada pedir ajuda mas volta às mãos dos seus raptores.

 

Beatriz cria um blogue e começa a escrever.

 

Eduardo é roubado e deixado inconsciente no gabinete da clínica onde pensava negociar a compra de um rim para Teresa.

Alheia ao drama que o irmão vive, Teresa explica a Simão que Laura detectou uma oportunidade de expandir os negócios da Boheme nas Américas e que, por isso, enviou Eduardo para tratar de tudo. Teresa pergunta a Simão quando é que se digna levar Nuno lá a casa e o irmão responde que será necessário que a mãe faça o convite. Mesmo assim afiança que não gostaria de sujeitar o namorado às crueldades de Laura.

Matilde conta a Joana que a sua amiga psicóloga está disposta a atendê-la e diz que lhe vai passar os seus contactos.

Sofia entra em casa para almoçar mas não consegue esconder a sua satisfação dizendo ao pai e à irmã que de tarde vão visitar a casa que ela tenciona comprar. O pai tenta que ela não leve toda a família para viver com ela, pois a relação com Manel ainda pode recompor-se, ou mesmo arranjar outra pessoa. Sofia reafirma que é com eles que quer viver e Adelino resigna-se à vontade da filha.

Manel chega ao bar da praia carregado de revistas e é recebido por Lúcia a quem conta que Vasco ficou entregue aos avós, até que o juiz decida a quem vai atribuir a sua guarda. Manel mostra-se desalentado e Lúcia apoia-o como pode, sugerindo que vá ter com Tomás e que vá com ele até à água, para se distrair. Ele assume que sem Vasco, não faz sentido.

Horácio não aguenta ver o sofrimento que Vasco está a passar por estar afastado do pai e na primeira oportunidade em que fica a sós com Ana, censura-a violentamente por estar a tentar separar Manel do filho. Ela indigna-se com o facto de o pai estar ao lado do genro e não do seu, que é sua filha. Horácio lembra-lhe que virou costas ao filho quando ele mais precisou dela e que nunca soube o que era melhor para ele. Horácio fecha a discussão dizendo que devia ter sido mais enérgico com ela e com o irmão, pois transformaram-se em dois degenerados. Quando o pai vai para a cozinha, Ana automutila-se para descarregar a raiva.

Sandra deixa que os nervos tomem conta de si e volta a falhar no serviço, deixando desta vez cair uma porção de pudim em cima da roupa de Andreia. Dulce aproveita para criticar a rapariga, dizendo que bem a ensina mas que ela não aprende.

Carlos assegura a Dulce que já contou a Fátima que não passa de um motorista, mas acrescenta que ela não acreditou, convencida que ele lhe fez um teste para ver se ela é uma oportunista. Dulce só acredita na versão do filho quando ele lhe mostra a mensagem que a namorada acabou de lhe enviar a dizer que a partir de hoje só lhe vai chamar Jarbas, o motorista milionário. Sandra aparece na cozinha com água quente e um pano para ir limpar Andreia e Dulce recomenda-lhe com cinismo que se acalme, senão só faz disparates.

Fátima aconselha Célia a vestir roupas mais ousadas para conquistar Fábio mas ela insiste que não quer nada com ele. A empregada volta à carga e insiste que Célia gosta dele. Ela fica muito irritada repetindo que não pode gostar do rapaz e que não quer gostar dele.

Concha anda às voltas para pôr em ordem as contas do palacete. Mariano atrapalha-lhe o trabalho, pois quer saber mais pormenores do speed dating, um programa de encontros rápidos que podem acabar em namoro. Concha remete para Célia que pergunta se eles acham que ela é alguma desesperada. As duas raparigas acabam por sorrir, ao perceberem que Mariano está a esconder uma revista no meio de um livro, indiciando que anda à procura de companhia. Ele opta por deixá-las sozinhas. Concha recebe uma chamada de Artur, que a convida para darem uma volta. Ela recusa porque está a tratar da contabilidade da mãe. No entanto, lembra-se de perguntar se ele já se inscreveu no curso. Ele responde que não o pode fazer por não ter dinheiro, mas recusa o empréstimo que a namorada está disposta a fazer-lhe, preferindo passear cães, pois assim não terá dividas. Concha desliga o telefone. Não consegue disfarçar a irritação com a falta de ambição do namorado.

Isabel incentiva Beatriz a modernizar-se e conviver mais com os homens. Ela reconhece que a saída com Miguel foi um desastre e que nunca mais marcará encontros pela internet. Beatriz conta que a mudança de casa está para breve, pois Sofia meteu na cabeça que têm de ir morar com ela. Isabel lembra-se que na altura do desfalque ninguém sabia em quem acreditar mas Beatriz assegura que foi Laura quem enganou Sofia.

Teresa tenta convencer Simão a trabalhar na Boheme, mas ele teme que isso piore a relação com a mãe. A irmã acrescenta que seria bom para ela contar com a sua ajuda para controlar Eduardo quando ele se excede.

Eduardo desperta do torpor que o sedativo que lhe deram provocou. Á medida que se recompõe, procura uma solução para sair da sua prisão domiciliária.

Sofia fica desiludida porque o processo relativo aos desenhos e computador que lhe roubaram foi arquivado. Apesar disso, continua a suspeitar de Laura e insinua que vai responder na mesma moeda. Adelino tenta demovê-la de reabrir outra guerra mas a filha reconhece que, tal como Laura, também não gosta de perder.

Isabel insiste em abrir os horizontes amorosos de Beatriz mas acaba por ser vitima dessa sua vontade quando a amiga lhe pergunta se nunca sentiu a vontade de casar e ter filhos. Isabel engole em seco.

Matilde e Joana entregam-se a marcar sessões de embelezamento. Salvador lembra-se que têm de voltar a juntar-se na casa da barragem e Joana confessa sentir saudades dos bons tempos que passaram juntos. Simão chega entretanto e Matilde pergunta por Nuno. Ele conta que o namorado foi a casa dos pais.

Nuno conversa com Rosa e Ana e manifesta desejo que o processo de regulação paternal térmite depressa. Ana acrescenta com ironia que ele também deseja que Manel ganhe no tribunal. O irmão vai-se embora e diz que vai jogar à bola com Vasco.

Joana despede-se de Salvador, Simão e Matilde. Esta pede que lhe conte depois como foi a sessão de psicoterapia. Margarida liga a chorar a Simão e conta que já fez o aborto. O irmão tenta reconforta-la e, sobretudo, desculpabilizá-la. Simão conta depois que Teresa o convidou para trabalhar na Boheme, hipótese que vai considerar, pois não lhe desagrada trabalhar sob as ordens da irmã.

Dulce comenta com Teresa que ouviu a dada altura aventarem lá em casa a hipótese de recorrerem à compra de um rim para ela no estrangeiro. Teresa descarta essa possibilidade dizendo que isso é muito arriscado e na maior parte das circunstâncias uma prática ilegal.

Eduardo arrasta-se pela beira da estrada, suplicando aos automobilistas que o ajudem. Depois de muito andar, sinaliza um carro que abranda à medida que se aproxima dele. Eduardo desespera quando olha para dentro do carro e vê lá dentro os homens que assaltaram.

[/tab]

[tab title=”Ep. 65″]

Eduardo consegue fugir mas é novamente apanhado pelo gang mexicano.

 

Sofia oferece dinheiro a Benedita para que ela possa comprar a Isabel a parte que cabe à irmã da casa onde vivem. Como contrapartida, Sofia exige-lhe que a mantenha sempre informada de tudo o que se passa na Boheme.

 

 

Eduardo é de novo raptado pelos bandidos mexicanos, obrigado a entrar no carro deles sob a ameaça de uma pistola.

Andreia tenta falar com Eduardo e fica desconfiada porque ele tem sempre o telemóvel desligado. Desagradada, desabafa com Teresa, convencida de que o marido já não gosta dela. A cunhada faz notar que se ele a aceitou de volta depois de uma traição, isso quer dizer alguma coisa. Andreia lembra que no início do casamento estavam muito apaixonados e que agora tudo mudou. Teresa diz que ainda vão conseguir ficar bem.

Matias e Violeta estão a colorir os cartazes para colocarem na arrecadação que vai funcionar como escola de surf. Tomás chega acompanhado por Benedita e os irmãos entram em picardias, querendo ganhar o título de melhor desenho. Tomás ajuda Violeta a melhorar o seu cartaz e Lúcia olha embevecida para eles. Benedita repara mas não diz nada, enquanto Matias provoca a irmã, dizendo que ela só consegue melhorar o cartaz com ajuda. Vicente aparece vindo da cozinha do bar e fica desagradado por notar que Tomás tem a simpatia dos filhos e da ex-mulher. Quando Tomás sai com Benedita para lhe mostrar o espaço que vai servir de sede à escola de surf, Vicente tenta por o seu braço em cima do ombro de Lúcia mas ela esquiva-se e abre-lhe os olhos em sinal de reprovação.

Joana pergunta à tia se já sabe o que lhe vai dar para fazer na nova empresa, pois está desejosa de se despedir do call centre. Sofia afirma que decidirá esse assunto na próxima semana e Joana confessa sentir saudades do tempo em que passavam férias todos juntos, numa festa constante. Ambas concordam que o mau tempo já lá vai e que conseguiram de novo serem felizes.

Sofia arruma os seus desenhos, para que Adelino possa por a mesa. Beatriz comenta que Isabel e Benedita passam a vida a discutir e que a melhor solução para acabar com as brigas é que uma delas saia de casa, uma vez que para a venderem não será fácil. Sofia diz que a escritura da nova casa pode ser feita na semana seguinte e que o maior problema será mesmo a mudança. A irmã e o pai concordam que a casa nova é um luxo e Sofia mostra-se penalizada por ter de abrir os caixotes que trouxe da casa de Manel. Depois de ela sair para trabalhar no escritório, Beatriz comenta com Adelino que Sofia está a tentar manter-se ocupada para não se lembrar de Manel.

Manel, por seu lado, pensa em telefonar a Sofia mas acaba por ligar para Horácio, perguntando se pode ir ver Vasco no dia seguinte. O ex-sogro responde que têm de combinar bem a visita e confirma que Ana está lá em casa. Apesar do constrangimento, promete ver o que pode fazer.

Rosa pergunta quem era e Horácio mente, dizendo que estava a falar com um colega que insiste em jantar consigo. Vasco vem do quarto com Ana e pergunta ao avô quando é que pode ver o pai. Rosa tenta desviar a atenção do neto mas Horácio exerce a sua autoridade e marca o encontro para o dia seguinte. Rosa desconversa e vai para a cozinha, enquanto Ana mostra o seu desagrado ao pai por estar a defender Manel, mas Horácio deixa claro que só está preocupado com o bem-estar do neto.

Simão serve o jantar e pergunta a Nuno como quer a sua salada. Tem de repetir a pergunta porque o namorado está perdido nos seus pensamentos. Nuno confessa que está preocupado com Vasco e com a situação de indefinição que o sobrinho está a viver. Simão esclarece com Nuno se ele está aborrecido com a possibilidade de ele aceitar ir trabalhar para a mãe na Boheme. O namorado responde que ele deve fazer o que for melhor para si e diz que se não encontrar já um ajudante para a loja de flores, vai safar-se bem sozinho durante uns tempos.

Concha discute com Lé depois de constatar que a gestão do palacete como pensão está um caos porque a mãe não se preocupa em cobrar o dinheiro que deve aos hóspedes. Como sempre, Lé desconversa e irrita a filha que ameaça marcar uma reunião com os hóspedes para estabelecer regras. A mãe fica preocupada que ela incomode as pessoas e Concha decreta que a partir de agora as coisas vão mudar por ali.

Concha liga para Artur propondo que vão ao cinema mas ele responde que está ocupado deixando-a desanimada. Célia oferece-lhe um chá mas ela responde bruscamente que detesta. Logo de seguida pede desculpa e confessa que o que lhe apetecia era um chocolate mas não quer voltar à cozinha para não enfrentar a mãe outra vez. Célia diz que lhe vai buscar o chocolate e aconselha-a a não brigar com a mãe, pois Lé já não vai mudar com a idade que tem.

Artur, Jacinto e Lurdes conversam animados, começando a encontrar uma luz ao fundo do túnel para os seus problemas financeiros. Artur fica espantado com a quantidade de artigos em pele que o pai produziu e Lurdes gaba a perfeição do marido na execução das peças. Jacinto fica orgulhoso e feliz com os elogios e alimenta a esperança de juntar em breve o dinheiro para pagar a viagem para França.

No atelier, entre as recordações nostálgicas de um passado feliz e a nova realidade  do seu trabalho, Sofia telefona a Matilde e confessa à filha que está com saudades dela, pedindo para a visitar. A filha convida-a para almoçar consigo e com Salvador mas Sofia assume que tem de terminar a nova colecção de sapatos que está a desenhar.

Artur fica constrangido porque Concha lhe dá o dinheiro para ele se ir inscrever no curso. Ela afirma que ele não quererá tratar de cães o resto da vida e levanta-se para ir reunir com os hóspedes no palacete. Artur recomenda-lhe calma, para não colidir com a mãe nas mudanças que pretende implementar.

Jacinto revela-se um verdadeiro desastre a vender na feira porque assusta os clientes e Lurdes decide assumir essa função.

Concha estabelece as novas regras de funcionamento do palacete e decreta que a partir deste dia todos os hóspedes pagarão o que consumirem. Lé fica revoltada com a filha, mas como é a única a discordar, abandona a reunião. Concha vai ter com a mãe e assume que não quer afrontá-la mas apenas impor as regras que são normais num estabelecimento daquele tipo. Mariano confere se pode levar o que não comer ao pequeno-almoço e Concha dá autorização, frisando que o que acabou são as visitas ao frigorífico para levar restos. Lé continua desagradada e garante que não vai mudar de ideias.

Sofia visita Matilde e Salvador que lhe diz estar quase recuperado do atropelamento que sofreu. Matilde convida a mãe para almoçar mas ela assume que está assoberbada de trabalho para organizar a nova empresa e que está com pouco tempo. Salvador recebe uma chamada de Andreia e fica perplexo ao saber que Eduardo está incontactável desde a noite anterior.

Fátima esconde-se nos arbustos da casa dos Aragão e vê que Carlos conduz o carro que transporta Laura e Margarida. A sua curiosidade aumenta e quase denuncia a sua presença caindo para trás, quando percebe que o namorado é mesmo o motorista da família e não um milionário.

Já dentro de casa, Laura instrui Carlos para que leve os sacos das compras e as malas para os quartos mas, ao ver Andreia, pede um dos sacos e oferece à nora a prenda que comprou em Madrid. Ela sorri de felicidade ao ver a mala que lhe trouxeram. Margarida diz que ficou maldisposta com a viagem e refugia-se no quarto. Andreia conta a Laura que não consegue falar com Eduardo e a sogra diz que vai tentar saber o que se passa. As inquietações de Laura não ficam por ali, pois toma conhecimento de que Teresa foi a casa de Manel, temendo que filha fique a saber que ela o beijou.

Manel confessa a Teresa que está a morrer de medo de perder o filho, triste por já não estar com ele há algum tempo e confessando que não consegue viver sem ele. Teresa tenta animá-lo e como Manel mostra desejo de levar o miúdo à inauguração da escola de surf, sugere-lhe que convide os avós para o acompanharem. Teresa fica surpreendida por Manel e Sofia já não estarem juntos e ele diz apenas que as coisas não resultaram, evitando contar o que Laura fez para que isso acontecesse.

Sofia vai a casa de Benedita e oferece-lhe o dinheiro que ela precisa para comprar a Isabel a parte da casa que pertence à irmã, assumindo saber que elas não se dão bem. A secretária estranha tamanha generosidade e Sofia diz-lhe que exige que ela, como contrapartida, a mantenha informada de tudo o que se passa na Boheme. Benedita fica surpresa com a proposta.

[/tab]

[tab title=”Ep. 66″]

Manel vai ter com Sofia. Pede-lhe que volte para ele. Sofia diz que não volta.

 

Laura vai ter com Manel e pede-lhe desculpas pelo que aconteceu. Manel demonstra pouco interesse nas suas descuplas.

 

Laura recebe uma chamada do embaixador de Portugal no México que lhe relata terem descoberto um corpo carbonizado que, segundo as primeiras avaliações pertence a Eduardo. Laura fica em choque e revela a Teresa e Andreia que o filho morreu

 

 

Benedita aceita a proposta de Sofia, dispondo-se a passar-lhe todas as informações importantes sobre a Boheme e sobre Laura. A secretária pergunta quando é que Sofia lhe dá o dinheiro e ela estabelece que assim que Benedita provar que é confiável, informando-a de algo que considere de valor, terá o dinheiro disponível nesse mesmo dia.

Laura e Andreia estão seriamente preocupadas porque continuam sem conseguir falar com Eduardo. A mãe ainda lhe deixa uma mensagem no telemóvel mas logo de seguida decide avançar para a biblioteca com a intenção de contactar o hotel em que Eduardo se hospedou no México.

Sofia entra no atelier e depara-se com Manel sentado no sofá. Fria, diz que se era para devolver a chave, podia tê-la deixado no correio. Manel suplica-lhe uma segunda oportunidade e insiste que a ama. Sofia não cede e mantém que quem ama não faz o que ele fez. O contabilista ainda argumenta que estava desorientado mas ela manda-o sair dizendo que tem de trabalhar. Manel vai embora destroçado e Sofia fica arrasada ao vê-lo sair.

Fátima espera por Carlos à porta da casa dos patrões dele e quando o namorado aparece, tira um pau das costas e tenta agredi-lo. Fátima acaba por se estatelar no chão e começa a chorar. Ele diz que tentou contar-lhe a verdade e confessa que não o fez logo por não querer desiludi-la. Fátima não aceita as explicações de Carlos e foge dali, deixando-o a gritar pelo seu nome.

Laura coloca o seu detective em campo e pede-lhe que descubra o que se passa com Eduardo, pois o filho não dá notícias há bastante tempo. Teresa entra na biblioteca e depois de cumprimentar a mãe, pergunta-lhe por Margarida e se correu tudo bem com ela. Percebendo que a filha já sabe de tudo, Laura tenta abreviar a conversa dizendo que o assunto foi resolvido e que não quer falar mais dele. O incómodo da empresária não acaba, pois Teresa introduz mais um assunto melindroso ao confirmar que sabe a razão que conduziu à prisão de Manel. A mãe assegura que nunca o quis prejudicar e que pretendeu apenas ajudá-lo a ficar com o filho. Teresa reprova toda a conduta que Laura teve, mas ela insiste que tudo fará para ajudar Manel.

Joana e Matilde fazem juntas uma sessão de beleza e conversam descontraidamente. Joana conta que o avô já está mais acostumado com a ideia de mudar de casa, aproveitando para confessar à prima que chega a sentir alguma inveja da casa em que ela vive com o noivo. Matilde confessa que apanhou um grande susto quando Salvador foi atropelado.

Tomás toma conta de Violeta e Matias ao pequeno-almoço, uma vez que Lúcia teve de ir abrir muito cedo o bar da praia. Os miúdos têm saudades de Vasco e interrogam-se sobre as razões que fizeram com que nunca mais tenha aparecido. Tomás liga a Manel para saber se ele vem com o filho à inauguração da escola de surf. A resposta é negativa e Tomás esconde de Violeta e Matias a curta conversa que teve com o amigo. Fátima entra de supetão no palacete e chora convulsivamente. Tomás percebe que é grave e diz para os miúdos que é melhor chamar Lé, pois ela é mais entendida neste assunto. Fátima afirma em lágrimas a Violeta que nunca confie nos homens.

Margarida recebe a visita de Simão e conta que em termos de saúde correu tudo bem em Madrid e que o aborto que fez não deixou sequelas. Apesar de se sentir aliviada por Laura ter ficado a saber de todos os erros que cometeu, lamenta que a mãe a tenha tratado com tanta dureza. O irmão transmite-lhe conforto e apela para que tenha juízo no futuro e, sobretudo, mais respeito por si própria. Margarida mostra-se empenhada em dar uma volta positiva à sua vida, começando já por não relaxar nos seus treinos de equitação.

Lé conversa com Célia e Mariano, mostrando-se receosa que a intransigência de Concha na gestão do palacete leve a uma debandada dos hóspedes. Mariano assume que se a conta começar a aumentar muito terá de procurar outro sítio para morar. Célia acaba por defender as posições de Concha, uma vez que quem mora ali tem de ajudar a conservar o espaço. Lé até dá alguma razão à filha embora pretenda conservar o espírito de partilha que sempre defendeu, sem se subjugar à lei do dinheiro.

Benedita desdenha das compras que Isabel fez no supermercado mas a irmã responde à altura e lembra-lhe que à noite, quando tem fome vai surripiar os iogurtes que ela comprou. Benedita aproveita a deixa para, sem falar que recebeu uma proposta financeira de Sofia, dizer que vai ao banco tentar um crédito para comprar a parte da irmã na casa, pois não está para suportar estas conversas o resto da vida.

Laura vai a casa de Manel e pede-lhe desculpa por ter sido precipitada quando o beijou logo à saída da prisão. Ele diz não ter levado a mal mas frisa que não é necessário insistir em seduzi-lo, pois já conseguiu afastá-lo de Sofia. Laura assume que o seu interesse nele vai muito para além de uma vingança mas Manel não acredita na bondade das suas intenções, dizendo que ela é demasiado fria e calculista para gostar de alguém. Laura arrisca que talvez ele se engane.

Simão chega a casa e cumprimenta Nuno com um beijo. O namorado pergunta como estava Margarida e Simão conta que as coisas em Madrid correram bem mas que lhe fez ver que precisa evitar cometer os erros que cometeu. Nuno conta que a mãe lhe ligou a pedir para levarem Vasco à inauguração da escola de surf no bar da praia. Simão não vê qualquer problema e Nuno aproveita para sugerir que vão à Santa Casa da Misericórdia para iniciarem o processo de adopção de uma criança. Simão apoia a ideia e fala sobre a forma como o sistema de adopção em Portugal está muito longe do que seria de esperar.

Lurdes e jacinto selam com um beijo o dia de trabalho na feira, depois de verem com agrado que facturaram um dinheiro generoso com as vendas que fizeram.

Matilde dá um pontapé na monotonia de Salvador e conta que Joana os está a desafiar para irem dar uma volta. Ele aceita logo e só lamenta não poder ainda fazer surf. Matilde anima-o e diz que na próxima semana já vai poder levar tareia das ondas.

Laura fica muito enervada ao receber um telefonema do detective informando que Eduardo nunca mais foi avistado no México, temendo-se agora o pior. Laura insiste com o detective para continuar a procurar, prometendo tomar providências.

Já na festa de inauguração da escola de surf, Tomás responde a Matias que já tem duas inscrições confirmadas e Benedita adivinha que serão mais ao fim do dia. Vasco chega entretanto e Matias e Violeta monopolizam o amigo para irem brincar na praia. Nuno e Simão encaminham-se para uma mesa depois de Tomás dizer que toma conta das crianças. Vicente aproxima-se de Tomás e, por estar despeitado avança que teria sido melhor ter mantido a arrecadação do que fazer dela uma escola de surf. Tomás não responde mas também o olha de lado.

Mariano acompanha Célia ao bar e pega-se com Beatriz, pois estão ambos a disputar a mesma mesa. A persistência feminina acaba por triunfar e Beatriz acaba por ficar com a mesa, por desistência do livreiro.

Fátima está desorientada por ter descoberto que Carlos é um farsante. Lé assume que reparou desde o inicio que ele não lhe inspirava confiança mas aconselha-a a ter uma conversa com o namorado, já que ele quis contar-lhe a verdade sobre a sua condição. Concha, como sempre, é mais radical e acha que Fátima não deve perdoar, pois já não acredita no amor. No desfiar da conversa acaba por revelar que nem ela própria sabe porque é que continua com Artur. Manel liga para Sofia mas ela rejeita a chamada, explicando a Adelino que ainda não está preparada para o perdoar. Adelino avisa a filha que corre o risco de o perder.

A festa de inauguração da escola de surf prossegue com altos e baixos. Mariano não descansa enquanto não se vai embora, pois está irritado pelo facto de ter abdicado da mesa que acabou por entregar a Beatriz. Joana avista a mãe e desvaloriza a sua presença. Beatriz conta que está á espera de Isabel. Quando esta chega, esbarra com o olhar em Salvador e fica muito desconfortável quando tem de falar com o filho, na qualidade de patrão.

Teresa, Andreia e Laura tentam adivinhar o que se terá parecido para Eduardo não ter dado mais notícias. Nesse momento, Laura recebe uma chamada do embaixador português e fica progressivamente em choque a ouvir o diplomata contar que descobriram um corpo carbonizado e que pelos documentos juntos, tudo indica, pertencerá a Eduardo. Transtornada, Laura desliga o telefone e volta-se para Teresa e Andreia dizendo que Eduardo está morto.

[/tab]

[tab title=”Ep. 67″]

Beatriz fica à beira de um ataque de nervos quando se prepara para sair de casa e dá de caras com Fernando, o homem que a violou quando namoravam e que a engravidou de Joana.

 

Laura conta a verdade à família sobre o verdadeiro motivo da viagem de Eduardo ao México. Todos em choque.

 

Fátima pede Carlos em casamento. Carlos aceita.

 

 

Teresa chora convulsivamente e entra em negação, gritando que Eduardo não morreu, querendo acreditar que houve um engano. Andreia também está arrasada com a notícia, enquanto Laura assume que foi ela que mandou o filho para o México, revelando que o embaixador acabou de lhe dizer que encontraram os documentos de Eduardo ao lado do corpo, completamente carbonizado. Margarida aparece com Dulce, ambas alertadas com o choro que se ouve na sala. Margarida fica em choque e começa a chorar ao saber que o irmão morreu. Dulce está igualmente em choque, enquanto Laura de refugia na biblioteca, onde pode deixar que as lágrimas lhe preencham o rosto sem que alguém note a sua fraqueza.

Margarida lembra-se que têm de avisar Simão e Salvador e perante a impotência de Teresa, decide tomar a iniciativa de o fazer.

No bar da praia ninguém imagina a tragédia que se vive em casa da família Aragão. Vicente insiste em tentar reconquistar Lúcia mas a ex-mulher mantém a distancia. Beatriz desperta Isabel dos seus pensamentos e depois de conseguir a sua atenção lembra-lhe que está prestes a mudar de casa. A amiga lamenta que se afastem agora que começaram a dar-se mais. Beatriz reafirma que a acha muito em baixo e aconselha-a a não discutir tanto com a irmã. Nesse momento, noutra mesa, Salvador recebe uma chamada de Margarida que o convoca e a Simão para uma reunião familiar de emergência, sem contudo explicitar o assunto. Salvador, Simão e Matilde preparam-se para ir embora e Joana fica contrariada pelo facto de a prima lhe dizer para ficar com a mãe. Isabel disfarça o seu constrangimento ao ver Salvador afastar-se. Simão avisa Nuno que tem de se ausentar por causa da reunião familiar que Laura marcou. O namorado mostra-se disponível para ficar ao seu lado assim que deixar Vasco em casa dos avós.

Benedita confessa a Tomás que está feliz com o seu sucesso na inauguração do espaço para a escola de surf. Tomás beija-a agradecendo a inspiração que tem sido para si.

Violeta, Matias e Vasco entram no bar com o vigor habitual em crianças daquela idade mas Lúcia não vai na conversa de os deixar ir para a praia fazerem surf. Eles aceitam fazê-lo no dia e preparam-se para irem jogar à bola. Vicente diz que também vai, já que acabou o seu turno. Lúcia concorda que ele não esteve mal na ajuda que prestou e reconhece que era capaz de o contratar. O ex-marido não perde a oportunidade de vincar que é um homem disponível. Ela percebe as segundas intenções e esclarece que estava a falar apenas na hipótese de ele servir às mesas. Ele sorri e vai embora para a praia.

Adelino serve um lanche a Sofia e reconhece que lhe faz confusão que ela passe tanto tempo trabalhar sem comer nada. A filha reconhece que está muito empenhada em tirar partido do que herdou de Lourenço para criar a sua própria marca de calçado e combater a Boheme. O pai detecta naquele discurso uma sede incontrolável de vingança e tenta convencê-la a não travar essa guerra. Sofia reafirma que o seu objectivo é deixar Laura sem nada e que não acredita em justiças divinas.

Teresa fecha-se na biblioteca com Laura e obriga-a a confessar porque é que mandou Eduardo ao México. Sem ter mais como fugir, Laura conta que mandou o filho negociar a compra do rim que ela precisa para sobreviver e que nunca pensou que a operação corresse tão mal. Teresa continua a chorar e acusa a mãe de não ter respeitado a sua vontade e de ter enviado o irmão para a morte. Laura tem de encaixar no meio do desgosto que está a viver, as palavras demolidoras da filha. Teresa que se sente indirectamente culpada pela situação, deixa Laura sozinha a digerir a angústia que se apoderou dela.

Quando Salvador, Simão e Matilde chegam a casa de Laura, encontram Andreia devastada e chorosa pela perda do marido. Matilde oferece-lhe todo o apoio que ela precisar e faz o mesmo com Laura que vem da biblioteca e fica mais consolada ao encontrar os outros filhos ao pé de si. Salvador tenta adivinhar a razão que explique a morte do irmão, enquanto Simão reclama da mãe que diga o que sabe. Laura afirma que já conversou com Teresa sobre o sucedido e que chegou a hora de lhes explicar o que é que Eduardo foi realmente fazer ao México.

Na cozinha, Dulce diz para Carlos que não acredita que o seu menino morreu. O filho avança com a possibilidade de Eduardo ter sido apanhado numa luta de gangs de droga, deixando a mãe horrorizada com esse cenário. Ingénua, Sandra afirma que é por isso que não entra num avião. Dulce revira os olhos de impaciência e pergunta se ela não tem mais nada para fazer. A jovem cozinheira diz que estava a pensar fazer um chá calmante para os patrões mas Dulce manda-a fazer limpezas, assumindo para si essa tarefa.

Na sala dos Aragão o ambiente é tenso, Pois Laura acaba de contar que Eduardo foi ao México comprar um rim para que Teresa pudesse fazer novo transplante. Andreia está entorpecida e perplexa, Salvador censura a mãe por ter decidido pedido semelhante coisa a Eduardo. Laura defende-se e justifica que foi tomada pelo desespero de salvar Teresa. Simão mostra-se solidário com a mãe mas afirma que uma situação tão perigosa devia ter outro tipo de tratamento. Laura reconhece que todos estão a sofrer muito mas deixa cair a sua capa mais dura e pergunta se alguém já tentou imaginar como é que ela se está a sentir, afirmando que nunca podia imaginar que para salvar um filha teria de perder outro. Simão percebe a aflição da mãe e diz que não serve de nada fazer acusações. Laura contrapõe que ninguém consegue imaginar a sua dor e o sentimento de culpa e sai de casa. Salvador, Simão, Matilde e Andreia ficam em silêncio sem saberem o que dizer.

Laura chega às estrebarias e encontra Margarida ao pé de um cavalo que acaricia, ao mesmo tempo que chora a morte do irmão. A mãe decide que vai montar o cavalo que António já tem aparelhado e diz a Margarida que vai no dia seguinte para o México para ir buscar o corpo de Eduardo. Laura recomenda-lhe que se junte aos irmãos em casa, lembrando-lhe que ainda não pode montar, depois de Margarida se ter oferecido para a acompanhar. Laura frisa que precisa de estar sozinha.

Joana continua a construir o seu futuro com base no que os outros têm e não naquilo que ela própria consegue conquistar. Quando Beatriz lhe conta que descobriu umas fotos dela com Matilde e quase acha impossível que a sobrinha já tenha uma casa e esteja a viver com o namorado, Joana diz que quando chegar a sua altura só espera não se apaixonar por um pelintra, invejando claramente a relação de Matilde com Salvador. No entanto, Joana não fica tão aflita, lembrando que a tia está de novo rica, pensando que ela vai certamente providenciar-lhe tudo do bom e do melhor. A mãe lembra-lhe que o dinheiro é de Sofia e não deles, fazendo com que Joana fique incomodada. Nesse instante Matilde liga-lhe e Joana fica incrédula com o que a prima lhe conta.

Beatriz vai ter com Sofia à sala e pede-lhe o tablet emprestado. Perante a curiosidade da irmã, vê-se forçada a contar que precisa de pesquisar um site de encontros que Isabel lhe aconselhou. No entanto, fica envergonhada e quer desistir mas Sofia não permite e decide ajudá-la. Joana surge nesse instante e dá a notícia da morte de Eduardo. Sofia som consegue desabafar que por muito que odeie Laura, nunca lhe desejaria a morte de um filho.

Salvador conversa com os irmãos e afirma que serão necessários testes de ADN para identificar o corpo de Eduardo e Simão admite a hipótese de o irmão estar vivo. Teresa questiona-se porque é que ele não contacta a família, enquanto Margarida conta que a mãe decidiu viajar para o México no dia seguinte. Simão diz logo que isso é muito perigoso e Salvador concorda afirmando que isso está fora de questão. Teresa acrescenta que por terem perdido Eduardo não têm de perder também a mãe. Salvador candidata-se a acompanhá-la mas por estar em recuperação é afastado. Simão decide que vai com a mãe mas ela entra na sala nesse momento e garante que não vai perder mais filhos, garantindo que não corre qualquer perigo por estar apoiada pela embaixada. Laura demonstra uma secreta esperança de que o corpo encontrado não seja de Eduardo e assume que se os testes assim o revelarem, o trará consigo para junto dos irmãos.

Benedita regressa a casa e, desta vez, senta-se à conversa com Isabel sem discutir. A irmã elogia o facto de ela ter deixado Eduardo e assume que gostou de Tomás. Benedita aproveita para tentar saber como era Sofia quando trabalhava na Boheme e se foi ou não culpada do desfalque na empresa. Isabel confirma que Sofia era uma pessoa muito querida na empresa e que acabou por sofrer muito com a má-língua dos outros. No entanto, não deixa de estranhar o súbito interesse da irmã e pergunta-lhe porquê. Benedita disfarça, dizendo que se trata apenas de mera curiosidade.

Teresa culpa-se pela morte de Eduardo, dividindo esse sentimento com a mãe, ao mesmo tempo que afiança que se lhe tivessem dito que ele ia para o México com o propósito de lhe comprar um rim, nunca teria permitido. Salvador desculpabiliza a irmã e também a contém, dizendo que ela não deve ser tão dura com a mãe.

Dulce censura Carlos que, apesar da tragédia que se abateu sobre a família Aragão, não resiste a sair de casa para ir ver como Fátima está, depois de terem rompido o namoro.

No palacete, Fátima vocifera raios e coriscos contra Carlos, praguejando contra ele por a ter enganado. Lé esforça-se por aplacar a raiva da empregada que fica ainda mais furiosa com as citações literárias de Mariano sobre o amor. É neste cenário que Carlos mergulha, ajoelhando-se aos pés de Fátima para se desculpar e pedir uma segunda oportunidade. A lamúria é tão bem executada que, depois de o cobrir de insultos, Fátima não resiste e arrasta-o para o quarto, dizendo que tem de se despachar a fazer as pazes, antes que se arrependa. Já a sós, ele explica que se fez passar por milionário por temer que ela não quisesse nada com ele ao saber que era um simples motorista. Fátima aceita todas as justificações e dispõe-se a perdoá-lo, ainda mais quando assegura que a ama e que ela é a mulher da sua vida. Fátima só vê uma forma de endireitar as coisas e pede a Carlos que case com ela. Ele gagueja, pois não contava com aquela decisão, mas é obrigado a aceitar.

Lúcia regressa ao palacete com Tomás, falando do sucesso que o bar teve com a inauguração da escola de surf. Ambos são surpreendidos por Vicente que justifica a sua presença por ter querido estar um pouco mais com os filhos. Depois de Vicente sair para jogar cartas com os miúdos, Tomás constata que ele não quer apenas reconquistar Violeta e Matias, mas a ela também. Lúcia não responde e diz que vai fazer chá. Lé, a sós com Tomás diz-lhe que a dona do bar está a abanar mas o surfista insiste que está com Benedita indiciando que é isso que quer. Apesar disso fica indeciso quando Lé o aconselha a perceber se é mesmo isso que deseja.

Andreia pede a Margarida e Teresa que ajudem a convencer Laura a deixá-la ir consigo resgatar Eduardo. Margarida nota que a mãe faz questão de ir sozinha. Dulce conta que a patroa não dormiu nada e passou a noite na biblioteca. A empregada não contém a comoção e é amparada por Teresa. Laura vem do quarto e dá as suas ordens para ultimar os preparativos da viagem.

Concha visita Salvador e Matilde para se solidarizar com a o que estão a passar com Eduardo. Salvador reafirma que será necessário que as autoridades mexicanas façam testes de ADN ao corpo que descobriram, para determinaram se é ou não o irmão. Apesar de ter uma secreta esperança de que o corpo encontrado não seja o do irmão, Salvador reconhece que ele se deve ter metido numa situação muito perigosa.

Lurdes entra em casa extenuada depois de ter feito manhã cedo a limpeza de uns escritórios. Jacinto toma o pequeno-almoço e confirma que Artur já saiu para passear os cães que tinha em agenda. O marido conta que vai pagar aos angariadores de trabalhadores, mostrando esperança que possa viajar para França na próxima semana. Lurdes lamenta que tudo esteja a correr depressa demais mas acaba por dar razão a Jacinto quando ele diz que pessoas desempregadas como eles não se podem dar ao luxo de perderem oportunidades destas. Jacinto sai de casa e Lurdes refastela-se no sofá com um sorriso.

Adelino comenta com Sofia que Beatriz está muito diferente e que já se arranja de forma mais cuidada, perecendo estar a ultrapassar o trauma causado pela violação que sofreu. O pai brinca e mostra-se feliz com a perspectiva de ela ir viver com um namorado, pois assim ele poderá ter a televisão só para si e ver os programas da bola. Beatriz apanha o pai e a irmã a rirem e desconfia que é de si, voltando-se para Adelino e dizendo que lhe vai arrancar a verdade quando regressar a casa. Nesse instante Joana aparece vinda do quarto e cumprimenta a mãe, o avô e a tia. Nesse instante Beatriz abre a porta para sair de casa e vê à sua frente Fernando, o homem que a violou e que á o pai de Joana. A filha esclarece que como ele ia sair da prisão e não tinha onde ficar o convidou lá para casa. Beatriz nem acredita no que ouve e pede explicações a Joana, que fica surpreendida com a reacção a agressiva da mãe, como se não tivesse feito algo de errado ao abrira as portas de casa ao pai. Este está desconfortável, tal como Adelino e Sofia, tolhidos pela surpresa e sem saberem como agir.

[/tab]

[tab title=”Ep. 68″]

Fernando leva um murro de Adelino, quando tenta explicar a Beatriz que só foi a sua casa pedir desculpa por a ter violado quando ainda namoravam.

 

Fátima pede ajuda a Lé para escolha do vestido de noiva. Diz que tem uma ideia na cabeça que nunca viu nas lojas.

 

Laura vai até à morgue identificar o corpo e Eduardo.

 

 

Joana mal consegue explicar à mãe o que é que o pai está ali a fazer e Fernando avança para justificar a sua presença. Diz que a filha não tem qualquer responsabilidade na situação e que nunca lhe passou pela cabeça ficar ali em casa. Adelino saúda com ironia que ele não tenha realmente pensado nisso, enquanto Beatriz se atira a Joana e dispara que não tinha o direito de lhe fazer aquilo. Sofia diz que ele só está a piorar a situação mas Fernando afirma que só quis pedir desculpa a Beatriz por tê-la violado. Ela fica ainda mais indignada e manda calar Joana quando ela tenta interceder pelo pai. Adelino insiste para que ele se vá embora mas quando Fernando se aproxima de Beatriz o taxista dá-lhe um murro. Sofia vai em auxílio do pai que fica a queixar-se da mão, enquanto Fernando decide finalmente ir embora, avisando Joana de que depois a contacta. Beatriz repreende a filha perguntando o que lhe fez para a tratar assim. Joana afirma que tem o direito de ver o pai mas a mãe lembra-lhe que aquele foi o homem que a violou e vai a chorar para o quarto, amparada por Sofia. A irmã consegue acalmá-la e pouco depois Joana entra e pede desculpa à mãe, explicando porque é que Fernando ali foi parar. Beatriz acaba por amolecer e abraçar a filha.

Sofia vai tratar da mão do pai. Adelino geme se dor ao fazer gelo mas reconhece que esperou vinte e seis anos para dar aquele murro.

Manel espera à porta de casa dos ex-sogros para ver o filho, escondendo-se no carro a uma distancia a que não pode ser detectado. Vasco sai de casa cheio de sono e Rosa confirma que ele até se deitou cedo e que levou foi muito tempo para adormecer. Vasco insiste em perguntar quando é que pode ver o pai e Ana, irritada, diz que o juiz decretou que ele tem de viver com os avós e que é por isso que o vai visitar. O miúdo contrapões que se é assim o pai também podia ir e Ana aproveita logo para responder que se ele não vai vê-lo é porque não quer. Rosa reprova a atitude manipuladora da filha mas ela insiste que está a dizer a verdade.

Matilde conta a Concha que Laura está arrasada com a notícia da morte de Eduardo, embora evite chorar à frente dos filhos e tenha que ir certificar-se que o corpo pertence mesmo ao filho mais velho. Concha reconhece que a vida da família Aragão não tem sido fácil e que os seus problemas, comparados com os da amiga são problemas menores. No entanto não deixa de se queixar que a sua relação com Artur está estagnada e que a mãe também não lhe tem facilitado a vida para implementar novas regras de funcionamento no palacete. Matilde empresta um livro a Concha que lhe agradece e vai embora. Mariano pergunta a Matilde se aquele livro é da livraria pois não tem vontade de emprestar seja o que for a Concha, depois da revolução que ela quer fazer na pensão. Matilde sossega-o e garante que o livro é seu. A conversa é interrompida por um carteiro que entrega a Mariano a notificação de que o julgamento do avô foi remarcado para dali a um mês. Matilde lembra-lhe que pode contar sempre toda a verdade mas o livreiro insiste em que a sua salvação está em Célia, pois contar ao avô que não é advogado, está fora de questão.

Fátima conta a Lé, com grande entusiasmo, que vai casar com Carlos o mais depressa que puder e pede à patroa que a ajude a fazer o vestido de noiva, Lé fica feliz por ela mas confessa que chegou a duvidar que ela perdoasse ao namorado. Fátima reconhece que ele a quis avisar que não era rico e que ela á que não quis ouvir.

Sandra desabafa com Carlos estranhando que os seus cozinhados tenham sido sempre tão elogiados e que agora tudo lhe corra mal. O motorista pouco liga ao que ela diz, mais interessado em olhar para o seu decote. Apesar de tudo ainda responde que quando não estiver tão nervosa tudo irá melhorar. Ela acha que isso será difícil pois a mãe dele está sempre a embirrar. Carlos reconhece que Dulce tem um feitio difícil mas mostra-se convencido que elas ainda se vão dar muito bem. Dulce aparece nesse instante e não gosta de os ver juntos, mandando Sandra trabalhar, sugerindo-lhe que vá levantar o tabuleiro de Andreia. Quando a rapariga se retira, Dulce chama-lhe calona.

Inês vai a casa dos Aragão para seguir com Margarida para a faculdade. No entanto, enquanto espera pela amiga, é interpelada por Laura que está de saída para o aeroporto. Laura proíbe-a de voltar lá a casa e intima-a a afastar-se da filha pois é uma má influência para ela. Inês defende-se e afirma que nunca obrigou Margarida a nada. Margarida aparece entretanto e não contraria a mãe, dizendo à amiga para ir andando que depois fala com ela na faculdade. Laura reafirma a Margarida que quer que ela se afaste de Inês e que se for preciso até a muda de faculdade. Depois despede-se com grande emoção de Margarida e Andreia, que lhe pede que não a deixe sem notícias de Eduardo. Teresa insiste em levar a mãe ao aeroporto e recomenda que deixe o México se pressentir que existe perigo. Laura promete ficar atenta.

Simão está destroçado com a possibilidade de Eduardo estar morto e assume que as desavenças do passado são agora coisas pouco importantes, uma vez que ficou tanta coisa por dizer entre os dois. Nuno abraça-o e tenta fazer com que ele acredite que vai voltar a ver o irmão.

Manel procura Sofia no atelier e apela à reconciliação reafirmando que a ama. Sofia esconde o sofrimento por que está a passar e responde que já não sente nada por ele e que não poderia sentir, depois do que ele lhe fez. Manel tenta repetir que a culpa foi de Laura mas Sofia atalha a conversa e mostra-se inflexível reafirmando que nunca mais o quer ver. Manel vai embora destroçado e ela dá finalmente a imagem de que está a sofrer brutalmente com a separação.

Aproveitando-se de estar sozinha, Benedita entra no gabinete de Laura e tira alguns documentos que possam interessar a Sofia para prejudicar a empresa, incluindo os desenhos já acabados da nova colecção de sapatos. Quando regressa à sua mesa, assusta-se com a chegada inesperada de Teresa. Esta pede desculpa por tê-la assustado e informa que a mãe não vai trabalhar e que ela também não se vai demorar, pedindo à secretária para desmarcar todos os compromissos que ambas tinham para aquele dia. Benedita não resiste a perguntar se existe algum problema e Teresa concede em revelar que foi descoberto um corpo no México que pode ser o de Eduardo. Benedita sofre um choque com o que ouve e deixa cair no chão as pastas com os documentos que precisava desviar. Vendo que a patroa pode reparar neles, apressa-se a apanhá-los. Depois de Teresa entrar no gabinete, Benedita verte algumas lágrimas que se apressa a limpar.

Isabel anuncia que está na hora de fazer pausa no trabalho e afasta-se na companhia de Célia. Rita prepara-se para ir com as colegas mas Lídia, outrora sua mulher de mão, recorda-lhe que ninguém a convidou. Rita fica desmoralizada mas mesmo assim segue as colegas. Fábio aproxima-se de Célia a perguntar se quer ir com ele à livraria de Mariano. Ela recusa e ele pergunta porque é que ela agora mal lhe fala, percebendo logo de seguida que é por causa de Rita. Fábio desculpa-se, dizendo que já não tem nada com a antiga chefe de linha. Célia mantém a sua posição e manda-o pedir ajuda a Rita.

Rita queixa-se a Horácio de que está constantemente a ser maltratada pelas colegas e pede para ir para outro sector da empresa. O encarregado aconselha-a a ter calma pois a situação está tão má que ter aquele emprego é um milagre.

Rosa visita Lurdes para saber como é que ela está e se a família se está a aguentar. A amiga assume que ela e Jacinto vão conseguindo ganhar algum dinheiro e que ele até pode seguir para trabalhar em França dentro em breve. Rosa conta que Vasco continua a perguntar muito pelo pai.

Concha volta a desvalorizar o tipo de trabalhos que Artur faz para ganhar dinheiro e o almoço no bar da praia acaba em discussão.

Mariano carrega uma pilha de livros para a livraria e é abalroado por Beatriz que atira tudo ao chão. Ele reclama por ter dois livros danificados e Beatriz atira-lhe o dinheiro para cima, desistindo de explicar que não fez de propósito. Quando entra na livraria, Mariano comenta com Matilde que Beatriz é insuportável mas a rapariga defende a tia e adivinha que quando ele a conhecer melhor vai pedir desculpas de tudo o que disse a sue respeito.

Simão, Salvador, Teresa e Margarida esperam juntos por notícias de Laura. A mãe telefona-lhes a dizer que já chegou ao México e que está a caminho da morgue para reconhecer o corpo de Eduardo. Margarida diz aos irmãos que vai ver como está Andreia e sobe ao quarto da cunhada. Esta confessa que está sem ânimo e que não quer falar com ninguém. Apesar das divergências que tiveram, Andreia e Margarida acabam por se abraçar, tensas por poderem ter perdido Eduardo.

Tomás conversa com Lé e deseja começar a facturar com a escola de surf, senão não sabe como pagará a estadia no palacete. Lé assegura que ninguém irá embora da pensão por não ter dinheiro. Ele reconhece que Concha tem razão ao querer cobrar as despesas dos hóspedes. Lé insiste em opor-se á estratégia de gestão da filha mas ela e Tomás calam-se quando Concha chega. A filha nota mas fica indiferente e conta que Eduardo Aragão pode ter morrido no México. Tomás acusa o toque mas consegue disfarçar. Concha pede logo de rajada a Lé que a ajude a fazer a lista com a modalidade de que cada hóspede usufrui no hotel, para providenciarem as refeições necessárias e para ser mais fácil a facturação mensal. Lé protesta com o facto de a filha lhe estar a pedir semelhante coisa, quando acaba de lhe dar a notícia de uma morte. Concha afirma que uma coisa não tem a ver com outra.

Mariano suplica a Célia que o ajude no caso do avô, lembrando que o julgamento começa dentro de quinze dias. Célia reafirma que nem morta entra num tribunal, dizendo-lhe que arranje outra pessoa. Depois de ficar sozinho com Lé, Mariano confirma que não vai jantar por ter um encontro. Ela percebe que o livreiro se inscreveu no speed dating que Lúcia está a organizar no bar da praia.

Benedita tenta trabalhar mas não se consegue concentrar porque é assaltada pelas memórias de Eduardo e de bons momentos que viveu com ele. O telemóvel toca e Benedita coloca-o no silêncio ao ver que é Tomás que lhe está a ligar. Percebendo que o dia está perdido, Benedita arruma as suas coisas para sair.

Laura está já na morgue onde foi reconhecer o corpo do filho. Impaciente e depois de o embaixador fazer as apresentações da praxe, Laura pergunta desesperada ao médico legista se aquele é o corpo de Eduardo ou de outra pessoa qualquer.

[/tab]

[/tabs]

Categorias
Resumos de Novelas

Comentários