Estado da TV

Estado da TV # 13

Seja bem-vindo à minha crónica de opinião semanal no Propagandista Social!

 

Os Jotas

 

Foi no início de 2011 que Júlia Pinheiro, vinda da TVI, teve direito a um regresso triunfal à SIC onde foi recebida como a “salvadora” do canal, uma espécie de “Dom Sebastião” que há muito era ansiado em Carnaxide.

Talvez por ser uma mulher que assumidamente gosta de desafios, Júlia decidiu tomar conta do horário mais difícil da televisão portuguesa: as manhãs, e bater de frente contra a poderosa dupla do «Você na TV!» que a própria ajudara a criar anos antes em Queluz de Baixo. Confiando que o público a iria seguir incondicionalmente ou por achar que não deveria arriscar muito, Júlia optou por reproduzir nas manhãs da SIC o mesmo estilo que tinha no extinto programa vespertino da TVI “As Tardes da Júlia”. Os conteúdos e o tom geral do programa eram os mesmos e a disposição do estúdio muito semelhante.

A verdade é que os meses foram passando e apesar dos apelos à paciência que foram ecoando regularmente na imprensa pela voz da própria apresentadora, os resultados teimaram em não aparecer e o programa nunca chegou a convencer os telespectadores. Se no início era claro que o público não tinha perdoado a transferência da apresentadora da TVI para a SIC (talvez por esta nunca se ter despedido oficialmente dos telespectadores da estação de Queluz), com o passar do tempo foi-se tornando óbvio que Júlia tinha errado no formato escolhido para as manhãs e que com aquele programa nunca ameaçaria a TVI.

Rendida às evidências e numa espécie de “se não os consegues vencer, junta-te a eles” Júlia recrutou no início deste ano João Paulo Rodrigues para as manhãs numa tentativa de reproduzir o ambiente de “palhaçada” e de alegria constante de Goucha e Cristina. O registo do programa da SIC aproximou-se mais do “Você na TV!” da TVI e a estratégia resultou. Júlia e João trocam piadas, riem-se compulsivamente, protagonizam danças estranhas e o mais importante, tal como os seus colegas da TVI, não têm medo de cair no ridículo. As manhãs da estação de Carnaxide, agora mais viradas para este tipo de entretenimento puro e desprentensioso, tornaram-se mais populares e competitivas. Ainda é muito cedo para perceber se esta dupla dos “ Jotas” (como gostam de se intitular) irá um dia igualar ou até ultrapassar o carisma da dupla da TVI. O que já é certo é que, pelo menos, é uma boa tentativa.

Até para a semana,

Filipe Vultos

 

Categorias
Estado da TVRubricasTelevisão

Farmacêutico de formação, químico de profissão, com interesse no mundo do audiovisual e da televisão em particular. Tenho uma visão crítica e analítica sobre a televisão em Portugal estando especialmente atento às estratégias de programação e de promoção.

Comentários