Moda

Passadeira Vermelha «Globos de Ouro»: comentário de Vanessa Faria

O Propagandista Social convidou a stylist Vanessa Faria do La Vie en Rouge Productions para opinar sobre a passadeira vermelha dos Globos de Ouro. A stylist foi uma das comentadoras do «EM FOCO! Antevisão dos Globos de Ouro» onde fez algumas apostas relativas ao estilo na red carpet. Fique com a análise de Vanessa Faria.

As minhas previsões, volto a relembrar, tinham sido em termos de cor, por um lado preto e branco ou por outro, cores vibrantes com assimetrias, costas à mostra e vestidos mais curtos á frente com sapatos à mostra, aplicações, tules, renda e algum padrão, principalmente o inspirado em mosaico português que eu queria tanto ver. Apostava também para além do clássico vestido princesa, ver uma mulher com estilo masculino.

Conforme ia vendo a Passadeira Vermelha, pensei que tinha falhado redondamente nas minhas previsões. A verdade é que nunca fui uma grande entendida no que toca a Passadeiras Vermelhas quanto muito nacionais. Sempre gostei de ver mas como humilde espectadora que acredita no bom gosto. Mas, ao construir este artigo, comecei a constatar que o problema não foram as minhas previsões baseadas nas tendências desta primavera/verão 2014, mas sim as escolhas inspiradas nas tendência da estação passada, talvez seja essa a regra e eu não sei, sou sincera. Inicialmente as escolhas pareciam um tanto o quanto básicas e sem graça ou sem grande novidade. A verdade, é que revendo as escolhas do ano passado não difere muito das de este ano. E claro, tivemos os clássicos casos de mau gosto levando-nos às mãos aos céus perguntando o que terá passado na cabeça daquela pessoa. Dentro da categoria masculina pensava que este ano os homens iriam arriscar mais apostando dentro do clássico smoking em algo com mais personalidade, enganando-me redondamente tendo sido poucos os meninos que quiseram sair da zona de conforto. Contudo, revendo as fotografias da gala, vejo que não falhei assim tanto nas minhas previsões e houve realmente uma mistura de estações e encontramos algumas escolhas interessantes e algumas personalidades começam a distinguirem-se pelo seu estilo próprio.

Fomos realmente presenteados com bastante preto e branco, algumas cores vibrantes mas que perdeu pelas cores pastéis (que eu adoro e fica sempre mas não a qualquer um), alguma aplicações, bastante renda e costas à mostra.

Não estou aqui para separar as boas escolhas das más, mas esta é a minha selecção dentro das minhas previsões.

 Preto e branco

Clara de Sousa retirava a echarpe e fazia toda a diferença melhorando consideravelmente. Tive pena da escolha pois é uma mulher com enorme potencial!

Cores

Entre cores mais quentes e outras mais vibrantes, dando-nos uma mistura de estações, comprovou-se que a mulher portuguesa também sabe vestir cor.

Cláudia Vieira, fazendo relembrar-nos a actriz americana Lupita, não deixa de ser um vestido com o toque especial que se procurava.

Dois exemplos do que para mim podia ser um grande sucesso com a escolha de cor mas que acabou por ser exemplo do que não vestir.

Costas

Croped top

Uma das grandes novidades desta estação e uma tendência que veio para ficar, tanto num estilo mais casual, como em gala. Não deixando de ser elegante, da um toque irreverente tornando o look especial.

As três na lista das minhas favoritas.

Pastéis

Ana Rita Clara num estilo mais descontraído californiano mas que eu adoro.

O meu ponto negativo vai para Diana Chaves, apesar de ser difícil pois é daqueles exemplos que tudo lhe fica bem e logo tinha de escolher este vestido. Há algo que não gosto. Talvez por ter as expetativas altas por ter sido a minha favorita nos globos de ouro do ano passado, me desiludi tanto com esta opção.

Assimetrias, rendas, aplicações, metálicos e padrões.

Favoritas

É escolhendo as favoritas que vejo que afinal, após uma boa filtragem, houve bom gosto nos Globos de Ouro 2014 e não foi assim tão fácil escolher apenas três favoritas.

Eu realmente tinha dito que gostava de ver o look masculino em mulheres na passadeira vermelha, mas não houve grandes exemplos, tendo encontrando apenas estes dois que na minha humilde opinião, não foram muito bem conseguidos.

Homens

Se não fosse Luís Borges a apresentar algo diferente, o que seria de nós.

Categorias
Moda

Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.

Comentários