Estado da TV

Estado da TV # 19

 

Assalto ao primeiro lugar

 

Estreada em Fevereiro, “O Beijo do Escorpião” tem sido a aposta da TVI para a primeira faixa do prime-time. Esta novela urbana protagonizada por Dalila Carmo e Sara Matos teve a difícil tarefa de combater a novela número 1 em Portugal  “Sol de Inverno”.  A novela da TVI teve nos primeiros meses de exibição um percurso razoável mas pouco entusiasmante no que toca às audiências, sendo quase sempre suplantada por larga diferença pela novela concorrente. A verdade é que este percurso não deve ter sido surpreendente para a TVI que já no ano anterior, com “Destinos Cruzados” no mesmo horário, tinha tido sérias dificuldades. A razão para tal é óbvia. Nos quatro meses anteriores a TVI transmitiu naquela faixa horária os diários do “Secret Story” levando a que o público noveleiro (público que no fundo foi o responsável pela liderança da TVI no horário nobre durante anos) se apegasse às novelas da concorrência que em termos de ritmo e de narrativa se tornaram alternativas refrescantes às da TVI.

“Destinos Cruzados”, com a confusa e alucinante história das sósias, nunca se chegou a impôr, o que lhe valeu o rótulo inequívoco de “fracasso”. “O Beijo do Escorpião” com a típica história da vilã que engana tudo e todos fazendo-se passar por uma menina ingénua e humilde (fórmula já adoptada com sucesso em inúmeras novelas) parecia ter tudo para agradar o público. No entanto, algo faltava. Faltava agilidade na narrativa, ritmo, e acontecimentos marcantes capazes de chamar a atenção do público e deixá-lo em suspense. Fazendo esse mesmo diagnóstico a TVI chamou José Eduardo Moniz, mestre no género das novelas em Portugal. Moniz percebe como ninguém que não basta ter uma boa história para se ter uma boa novela. É preciso que essa história chegue ao público num pacote atractivo, que não pareça o mesmo pacote que o público já viu vezes sem conta no passado. Moniz fez alterações no rumo de algumas personagens, introduziu dramas e enredos novos, e conseguiu dar ao público esse tal novo embrulho mais fresco e atractivo. O público reagiu e os números de “O Beijo do Escorpião” cresceram de forma sólida ficando muitas vezes muito próxima de “Sol de Inverno”.

Porém, na última semana, a novela da TVI conseguiu suplantar todos os dias a concorrente da SIC tornando-se na novela mais vista em Portugal e dando toda uma dinâmica diferente ao horário nobre da TVI. É um sinal muito preocupante para a SIC que tem visto naquele horário o ponto mais forte da sua programação e em simultâneo o ponto de partida para bons números nas novelas exibidas nos horários seguintes. Para além das melhorias introduzidas em “O Beijo do Escorpião” e do facto de esta estar a atravessar uma fase crucial na sua história, uma análise mais atenta das audiências leva-nos também à importância de um outro horário: o das 19 horas. De facto, no acesso ao horário nobre, “Em Família” da SIC tem-se revelado um flop monumental o que prejudica muito a estação no início do prime-time e consequentemente afecta as audiências de “Sol de Inverno”.

A grande questão é se a TVI voltou a ter a novela mais vista em Portugal, como aconteceu durante anos, ou se esta foi apenas uma semana atípica e “Sol de Inverno” irá recuperar o primeiro lugar. Essa resposta só será dada com a continuação deste campeonato.

 

Até para a semana,

Filipe Vultos

 

 

 

Categorias
Estado da TVRubricasTelevisão

Farmacêutico de formação, químico de profissão, com interesse no mundo do audiovisual e da televisão em particular. Tenho uma visão crítica e analítica sobre a televisão em Portugal estando especialmente atento às estratégias de programação e de promoção.

Comentários