Resumos de Novelas

“Sol de Inverno”: resumos de 30 de junho a 6 de julho

[tps_title]251º Episódio[/tps_title]

Destaque: Lurdes lidera o protesto das gaspeadeiras contra a intenção de Isabel que quer criar um turno nocturno na fábrica, reduzindo o salário de quem trabalha de dia. As trabalhadoras ameaçam com a greve e Isabel ameaça despedi-las.

Salvador desabafa com Tomás sobre o que aconteceu com Clara e teme que Matilde tenha perdido a confiança em si para tomar conta da filha. O amigo faz-lhe ver que os acidentes com os filhos acontecem e que não é por isso que os pais se devem sentir culpados.

Margarida regressa a casa com Alce depois de terem ido dar um passeio a cavalo. Marisa prepara-lhes um sumo e Alice diz que aceita uma fatia do bolo que ela oferece. Já na sala, Margarida dá conta das suas angústias e reconhece que a morte do pai foi um factor decisivo para o seu desequilíbrio emocional. Alice promete ajudá-la no que puder.

Entretanto, na clínica, Laura estuda com o psicólogo de Margarida a melhor maneira de continuar a tratá-la, ressalvando no entanto que ela não quer voltar a ficar internada. O médico assume que será mais difícil curar dessa forma a depressão de que ela padece mas dispõe-se a encontrar com o seu colega psiquiatra a melhor forma de prosseguirem o tratamento. Laura sublinha que é fundamental continuarem a fazer análises de despiste à filha, para evitar a repetição de incidentes anteriores.

Lurdes lidera o protesto na fábrica contra as ordens de Isabel e é apoiada por todas as outras gaspeadeiras que não estão dispostas a escolher entre trabalhar à noite ou verem o salário reduzido se preferirem o turno diurno. Benedita e Horácio ficam apavorados quando Lurdes lhes comunica que enquanto Isabel não ceder, as máquinas não voltam a trabalhar.

Alheia à rebelião que se está a desenrolar, Isabel esconde-se num recanto do terraço com Artur e dá-lhe carinhos a que ele não corresponde por estar desconcentrado. Isabel protesta e o namorado tenta chamá-la à razão, dizendo que as exigências que está a impor às trabalhadoras são injustas e que a mãe também vai ser afectada com elas. Isabel fica irritada e toma uma atitude prepotente decretando que se Lurdes não quiser que o salário seja cortado, que se inscreva no turno da noite, acrescentando em sussurro que quem manda ali é ela e que vai continuar a ser assim.

Ao chegar à sala das máquinas e vendo tudo parado, Isabel pergunta porque é que as máquinas estão desligadas. Lurdes assume-se como líder da revolta e assegura que enquanto ela não recuar nas decisões que tomou, ninguém trabalha. Isabel não se atemoriza e dá ordem a Benedita para que anote os nomes de todas as funcionárias que se recusam a trabalhar, ameaçando despedi-las. Artur percebe o que se está a passar e tenta demover Isabel. Ela grita-lhe que não se meta e o namorado vai colocar-se, magoado e humilhado, ao lado da mãe. Horácio e Benedita tentam acalmar os ânimos mas Isabel repete que quem não regressar à sua máquina será despedido e diz a Lurdes que perdeu o seu lugar de chefe de linha, uma vez que já não merece a sua confiança. Uma a uma, as gaspeadeiras voltam a ligar as máquinas, conscientes de que não têm outra forma de sustentar as famílias. Célia conforta Lurdes e aconselha-a a voltar também ao seu posto de trabalho. É o que a mãe de Artur faz, não sem antes dizer a Isabel que ela está irreconhecível desde que se tornou dona da fábrica.

Isabel vai para o gabinete mas Horácio detém-na e tenta que ela volte atrás nas duras decisões que tomou, pois a fábrica é feita pelas pessoas e que não pode pensar apenas em números. Ela explica que o que está a fazer é a pensar no bem do negócio, pois se a fábrica falir, todos ficam sem trabalho. Isabel lembra que se comprou a fábrica foi para ajudar as pessoas e não por necessidade própria. Horácio sente-se atingido e promete continuar a trabalhar como até ali, desistindo de convencer Isabel. Dulce também não se contém e vai ao encontro da afilhada, criticando a sua atitude. Isabel responde que se alguém não estiver satisfeito pode sempre procurar outro emprego, mas duvida que encontre. Dulce vê Isabel afastar-se e fica desiludida com ela.

Rosa faz uma visita a Nuno na florista e confessa que não gostou muito que Adelino tivesse combinado estar com os amigos sem a avisar. O filho desvaloriza o problema e faz-lhe ver que também é importante que as pessoas tenham tempo para si próprias e para estarem com os amigos. Rosa reconhece que a idade a tornou menos tolerante e que vai seguir o seu conselho e falar com Adelino sobre o assunto.

Bruno procura Ana no escritório do ginásio e fica desapontado porque encontra Andreia em vez da namorada. Ela repara na decepção do patrão mas Bruno não lhe dá grande conversa, limitando-se a convocá-la para uma reunião. Andreia fica a finalizar um trabalho no computador e, ainda que contrariada, atende uma chamada de Morais a quem já trata por tu e com quem combina um encontro.

Sofia conta a Ricardo e Beatriz que o lançamento da nova colecção de sapatos ficou marcado para dia quatro. Ele faz notar que esse é o dia do azar para os chineses e fica envergonhado quando ela expõe outras superstições que já lhe detectou. Sofia brinca e afirma que gosta de sextas-feiras treze, de gatos pretos e de passar debaixo de escadas. Ele alinha na brincadeira e afirma que isso é que é viver a vida no limite.

Lurdes não se conforma com a prepotência de Isabel e comenta que o dinheiro muda mesmo as pessoas, lembrando que ela, quando era simples trabalhadora, chegou a ser delegada sindical e a defendê-las com unhas e dentes. Lídia acrescenta que precisam de uma pessoa dessas e tenta que Célia assuma o lugar. Ela fica muito nervosa e deixa claro que estará com elas na luta mas que mais do que isso nem pensar. Lurdes irrita-se e afirma que com tanto medo ainda lhe compra um cão. Lídia acentua que é importante reunirem-se nesse mesmo dia mas quando Dulce aparece, todas se calam. Ela diz para estarem à-vontade, pois não foi ali para espiar. Lurdes contra-ataca e é agressiva respondendo que agora nunca se sabe.

Benedita conversa com Artur e garante-lhe que pode falar à-vontade, pois o facto de ser irmã de Isabel não significa que concorde com tudo o que ela faz. Para provar o que diz, confessa que desconhecia que a irmã queria criar um turno nocturno na fábrica. Isabel interrompe-os e diz de forma autoritária para Artur não marcar nada para a noite pois já tem planos para eles. Artur não gosta da abordagem e responde que não vai dar para estar com ela porque já combinou ir ter com o pai. O rapaz diz que depois lhe liga e v ai embora. Isabel fica irritada e pergunta com maus modos a Benedita o que é que estavam ali a cochichar. A irmã não gosta da forma como ela lhe fala e vinca que estavam apenas a conversar e que é normal que isso aconteça depois de tudo o que tem acontecido na fábrica. Isabel fica desconfiada.

Gonçalo e Lúcia observam com grande expectativa os juízes que avaliam os pratos de marisco que ele apresentou ao concurso gastronómico. Ele não consegue controlar a ansiedade e aproxima-se deles para tentar saber se estão a gostar. A resposta não é esclarecedora e ele fica desapontado. Tomás chega quando os juízes estão a sair e quando Gonçalo vai atender um cliente confessa a Lúcia que está cheio de vontade de a beijar. Ela avisa que ali nem pensar e Tomás convence-a a irem fazer surf. Lúcia pede a Gonçalo que tome conta do bar e ele diz que não há qualquer problema.

Mariano aparece vestido com o seu fato para ir ao ginásio e provoca o riso em Fátima, Lé e Concha. A empregada pergunta porque é que não se veste só quando chega ao ginásio e ele responde que não consegue estar num espaço exíguo com outros homens nus e que já bastou a despedida de solteiro de Carlos. Fátima começa a ficar furiosa e é Concha quem o salva. A empregada vai limpar os quartos e Lé grita para não ir ao seu, justificando que já o limpou de manhã. Concha diz à mãe que se não resolve o problema enlouquece e desperta a atenção de Mariano. Com tanta insistência da filha no assunto, Lé é obrigada a contar ao amigo que Mário lhe enviou uma mala cheia de dinheiro. Ao contrário de Concha a Mariano que já têm onde gastar o dinheiro, Lé diz que enquanto não souber a sua proveniência não lhe vai mexer.

Adelino chega a casa e esbarra no tom crítico de Rosa que está zangada por ele ter demorado muito. Adelino diz que não esteve apenas com os amigos e tira de trás das costas um lindo ramo de rosas que lhe oferece. Rosa fica deleitada com o gesto do namorado e muda logo para um discurso mais doce.

Bruno desespera por não conseguir falar com Ana quando ela entra no ginásio e lhe entrega os papéis do divórcio para assinar. O namorado argumenta que falta a assinatura da ex-mulher e Ana surpreende-o ao dizer que foi ter com Renata e que ela já assinou os documentos depois de terem ido juntas ao advogado. Bruno fica irritado e afirma que esse era um assunto para ele resolver. Ana contrapõe que se tinha tanta vontade de se divorciar, agora é o momento de o provar. Ele assina os papéis e consegue a reconciliação com Ana, que sorri de felicidade.

Ricardo prepara-se para apostar na roleta a única ficha que tem quando recebe uma mensagem de Sofia a dizer que gosta muito dele. A mensagem faz com que sorria e aposte tudo o que tem num único número. Desta vez a sorte sorri e Ricardo ganha a aposta.

Beatriz está a ler um livro quando recebe uma chamada de Isabel a pedir-lhe para saírem porque precisa de desabafar. Sofia percebe que a irmã vai recusar e incentiva-a a aceitar. Beatriz decide ir ter com a amiga mas confessa que não lhe apetece nada. De repente tocam à campainha e é com surpresa que Beatriz constata que é Ricardo que chega para jantar. Sofia fica radiante e corresponde aos beijos que ele lhe dá, ainda mais depois de ele revelar que vai cozinhar para ela.

Vasco volta a sentir fortes dores de barriga mas tenta desvalorizar o problema. Manel fica preocupado e marca o número do médico para expor a situação. Vasco interrompe o pai e confessa que comeu bolachas que não pode comer enquanto esperava por ele na escola, pois ficou com fome por lanchar apenas fruta. Vasco pede desculpa a Manel que o abraça e beija dizendo que não teve culpa de nada.

Acácio tem mais um ataque de comichão mas tenta disfarçar porque Lé chega com Violeta. A menina queixa-se de que o irmão já não lhe liga nenhuma porque está tão parvo como os amigos parvos que tem. Lé explica que Matias está a entrar na adolescência mas isso não significa que tenha deixado de gostar dela. Acácio conta que por causa dessas coisas algemou Fátima a André e obrigou-os a andar um dia inteiro juntos. Lé diz que neste caso não vão fazer nada disso e leva Violeta para lhe oferecer uma das suas peças. Mariano chega vindo do ginásio e diz que vai desistir porque aquele não é ambiente para si. Acácio fá-lo gritar para ganhar confiança e incentiva-o a continuar.

As gaspeadeiras reúnem-se no bar da praia para definir a estratégia a adoptar para combater as decisões de Isabel. Célia chama a atenção para o facto de ela poder começar a despedir pessoas, pois tem formas legais de o fazer. Lídia acusa Célia de ajudar Isabel nas questões jurídicas da fábrica mas arrepende-se, pois Célia assume que também não está contente com o corte no ordenado, acrescentando que se ela e o marido forem para a rua não têm forma de sustentar o filho. Lurdes não se comove e diz que o medo não as pode impedir de lutar. Isabel entra no bar com Beatriz e fica possessa ao ver as funcionária reunidas, ironizando ao dizer que deve estar na sede do sindicato. Lurdes reage indignada e Isabel arrasta Beatriz para irem a outro lugar, prometendo explicar-lhe o motivo da sua irritação.

Categorias
Resumos de Novelas

Estudante de Ciências e Tecnologias, 17 anos, Porto.

Comentários