Cinema

Antestreia de «Os Gatos Não Têm Vertigens» traz atores ao São Jorge

«Os Gatos Não Têm Vertigens» é o novo filme de António Pedro Vasconcelos que chega às salas de cinema esta quinta. Protagonizado por Maria do Céu Guerra e João Jesus o filme conta ainda com a participação de Nicolau Breyner, Fernanda Serrano e Ricardo Carriço. O Propagandista Social marcou presença na antestreia no Cinema São Jorge e traz-lhe algumas declarações de atores do elenco.

António Pedro Vasconcelos, realizador do filme, explica como surgiu a ideia de «Os Gatos Não Têm Vertigens»: “A ideia surgiu do Tiago Santos, o argumentista com quem eu trabalho há já três filmes que me deu um lamiré, uma história que se teria passado com a mãe de um amigo dele de um miúdo que foi parar ao terraço da casa dela é que ela em vez de chamar a polícia resolveu tomar conta dele é que me trouxe à memória uma história que um grande amiga me tinha contado que tinha sucedido com ela muito parecida. Também se recusou a apresentar queixa de um miúdo que lhe assaltou a casa mas não roubou nada, assaltou a casa porque não tinha onde ficar”.

 

Sobre a escolha de Maria do Céu Guerra para o papel da protagonista Rosa, o realizador explica como decorreu o casting: “eu inicialmente ainda pensei fazer com uma não atriz. Mas a partir do momento que decidi que ia fazer com uma atriz fiz experiências com várias atrizes fantásticas mas de facto para este papel ela era indiscutivelmente a pessoa certa”.

“para este papel ela [Maria do Céu Guerra] era indiscutivelmente a pessoa certa”
António Pedro Vasconcelos

Maria do Céu Guerra adianta o que a fez aceitar esta protagonista: “O facto de ser um papel extraordinário,o facto de ter gostado imenso da história, achar que o guião é das melhores guiões de cinema que vi no cinema português,o facto de ser o António Pedro Vasconcelos, o facto de ter o Nicolau Breyner depois ter conhecido o João Jesus foi também um brinde”.

maria do céu guerra

A atriz que interpreta Rosa sublinha também a riqueza da sua personagem: “É uma personagem raríssima, talvez única na vida de uma atriz. Porque é uma personagem de uma faixa etária supostamente sem o glamour que o cinema exige e depois a história dá-lhe todo esse glamour porque lhe dá humor, contradição, paixão…”. Maria do Céu Guerra acredita no projeto e acha que vai apaixonar as pessoas: “Penso que o filme em si pode apaixonar as pessoas. As pessoas que não tiverem medo dos sentimentos”.

“É uma personagem raríssima, talvez única na vida de uma atriz”
Maria do Céu Guerra

João Jesus, que interpreta Jó no filme, tem com este projeto a sua primeira experiência em cinema: “A oportunidade obviamente foi espetacular. Foi a minha primeira experiência em cinema. Trabalhei com pessoas muito experientes que já tinham feito tudo de teatro e cinema e são pessoas que me conseguiram dar tudo o que tinham e acabei por aprender tudo com elas”.

O jovem ator destaca a história como diferenciadora de «Os Gatos Não Têm Vertigens»: “penso que tem uma história para oferecer aos portugueses em que todos conseguem percebe-la porque transmite muito a realidade portuguesa e é uma história de afetos, de amor em que as pessoas se dedicam umas ás outras e que isso está a faltar hoje em dia”.

joão jesus

Sobre a relação de Rosa e Jó, o ator sublinha a grande vontade que estes personagens tinham de se dedicarem um ao outro: “Apesar de serem de gerações completamente diferentes, se calhar daí esse fascínio em que tanto a Rosa aprende com o Jó a maneira como ele fala e tudo o que ele passa dos tempos de hoje. Ela gosta de ouvi-lo por isso e tanto ele aprende com ela sobre os tempos que passaram. Faz-lhe confusão para ele de repente saber que mulheres eram presas por abrir a boca ou homens obviamente”. Já nas gravações a relação construída pelos atores foi também muito rápida: “acho que foi mais instantânea até”.

“A oportunidade obviamente foi espetacular”
João Jesus

Fernanda Serrano, que interpreta a filha de Rosa, revelou também o que a fez aceitar o papel: “Ser um filme do António Pedro Vasconcelos, já não filmava há muito tempo com ele. É um mestre do cinema. Depois o elenco e também obviamente a história”. Questionada se considera que o filme abre um novo paradigma no cinema português, a atriz responde: “Eu nunca sei, eu acho sempre que o próximo filme vai ser o melhor, e o que não foi feito esse então ainda será melhor. Este filme prima pela simplicidade das relações, no acreditar no próximo. Por isso pode marcar a diferença”.

fernanda serrano

“Este filme prima pela simplicidade das relações”
Fernanda Serrano

Assista ao trailer do filme:

Categorias
Cinema

Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.

Comentários