Palcos & Letras

Decifrar o Antigo Testamento na Culturgest

Toma lugar no pequeno auditório da Fundação Culturgest, ao longo do mês de março, a conferência “Lança o teu pão sobre as águas (sobre o Qohélet/Ecclesiastes)” envolta na reflexão aprofundada sobre a tradução de Maria Filomena Molder, a partir de Guido Ceronetti, de Qohélet, um livro do Antigo Testamento.

A professora catedrática traz-nos, ao longo de quatro sessões, uma perspetiva aprofundada da tradução do filósofo italiano deste livro enigmático e esquecido do Antigo Testamento. Da sua análise não se conclui qualquer explicação para o sentido da vida, mas este debate de ideias será uma perspetiva diferente do conhecimento teológico com a introdução ao estudo do pensamento de Ceronetti conduzido pela autora de Leitor de Baudelaire, obra distinguida com o Prémio Pen-Club 2012 para Ensaio.

Coisas amargas, que despertam a repulsa, coisas inesperadas e surpreendentes, coisas que se contradizem e não podem deixar de se contradizer. Nenhuma delas nos deixa indiferentes. Trata-se de um conjunto de axiomas e não de provérbios. Não foi escrito para ser comentado por filósofos ou teólogos, mas para ser decifrado. Os axiomas ficam abandonados a eles mesmos, não fazem parte de uma cadeia dedutiva. Ter chegado a eles é sabedoria, e isso implica ter visto “estas coisas” repetidamente. Por isso as repetições não são problemas de estilo.

A entrada é gratuita e todas as sessões decorrem à terça-feira, pelas 18h30, de 3 a 31 de março, partindo de questões de filologia, que relacionam história, literatura e linguística, e culminando na análise da teologia mínima, determinada pelo conceito de limite.

Categorias
Palcos & Letras

Se o Jornalismo não se pode considerar uma ciência temos certamente de olhá-lo como uma arte. A arte de saber contar estórias e marcar a história. Estudante de Jornalismo (ESCS-IPL)

Comentários