Simone de Oliveira comenta Festival da Canção: "ficava triste se não tivesse passado"
Festival da Canção

Simone de Oliveira comenta Festival da Canção: “ficava triste se não tivesse passado”

Simone de Oliveira levou ao Festival da Canção 2015 “À Espera das Canções”. O tema foi um dos mais votados pelos portugueses na semi-final desta quinta-feira e estará presente na final de sábado.

Simone esteve à conversa com o Propagandista Social após a emissão televisiva e revelou-nos, entre outras coisas que “ficava triste se não tivesse passado”.

Veja aqui o vídeo e leia a entrevista na íntegra.

Simone, 50 anos depois o que é que muda?

Não muda nada, muda que passaram 50 anos, eu tenho mais 50 anos. Continuo a amar a vida como sempre amei. Continuo a cantar como sempre cantei, com uma voz diferente e ainda bem. Gosto mais desta do que da outra. Continuo a respeitar o público como sempre respeitei e acho que os autores continuam a achar que eu sou capaz de cantar e isso é uma das razões que eu estou aqui. Eu acho que as pessoas podem viver com a idade que tiverem desde que amem viver e eu amo viver. Tenho a sorte de ter esta energia toda que a divina providência me deu, também não sei por onde. Sou igual a mim própria, estou cá. Era o que eu queria dizer a todos, estou cá.

Esperava este resultado?

Gostava de ter passado e passei. Posso dizer que ficava triste se não tivesse passado. Acreditei que sim porque acho que a canção tem muito a ver comigo e eu acho que as pessoas têm de perceber as palavras porque as palavras não estão gastas.

O que é que sentiu naquele palco?

Eu tenho os mesmo anos de caminho que a RTP, são 58 anos. O que é que eu lhe posso dizer? Dir-lhe-ia um lugar comum. Eu já estive em tantos palcos, já tive tanto medo, já entrei em tantos aviões, já fiz tantos espetáculos, já fiz tanto teatro, já morreu tanta gente que trabalhou comigo de quem eu tenho uma saudade infinita: a Ivone, a Laura, a dona Mariana Rey Monteiro, o senhor Paulo Renato, o senhor Varela Silva. O que é que você quer que eu lhe diga, um lugar comum? Não digo.

A Eurovisão está mais perto. Isso assusta-a?

Não porque eu não estou nada interessada em ir a Viena de Áustria portanto vá um dos novos.

E se acontecer?

Eu tenho tanto medo de andar de avião!

E relativamente à música, apaixonou-a desde o primeiro momento?

Eu não canto coisa de que não gosto. Eu não como coisas de que não gosto. Eu não falo de pessoas de quem não gosto e digo as coisas assim. Se eu não gostasse de estar a falar consigo dizia assim: olhe agora se faz favor vá à sua vida. Já não tenho idade para ter medo dessas coisas. O que é que me pode acontecer? Ir para casa com as minhas reformas? Há quem tenha menos e tenha filhos, atenção, o meu respeito é muito.

Como é que vai ser a final agora?

Eu sei lá! Ainda agora acabei já me está a perguntar como é que vai ser a final. É outra camada de nervos. Eu penso que este ano de facto as canções melhoraram muito em relação ao que aconteceu ao ano passado. Eu acho que o ano passado foi um desastre. A canção que ganhou foi um desastre. “Uaué uauá” não tenho paciência. Eu gosto de rock, tanto gosto que gosto muito da Marisa, fui ver o concerto de rock dela. O tal mostrar a perna, mostrar o decote não dá com o meu feitio. Não dá hoje como não dava há 30 ou há 40 anos e o meu feitio continua igual desde o tempo do liceu. Continuo igual e vou continuar igual até ao fim, sem raivas. Medos é evidente que todos temos. Se você me disser que eu gosto muito de viver sozinha há 19 anos, claro que não! Vamos ter a coragem de dizer que há às vezes uns 10 minutos que eu digo assim: “e se eu tenho aqui um piripaque, o que é que eu faço?”. Mas é a minha vida… Há pessoas que estarão muito mais sozinhas do que eu, que têm a minha idade, que não têm os filhos a acompanhá-las. Eu não consigo perceber. Oh filhos das pessoas mais velhas olhem para o vosso pai e para a vossa mãe, percebam que vocês vão lá chegar!

 

Categorias
Festival da CançãoTelevisão

Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.

Comentários