565 mil no primeiro Shark Tank Portugal
Televisão

565 mil no primeiro programa de Shark Tank Portugal

Shark Tank Portugal arrancou na SIC este sábado para a sua primeira temporada e os primeiros negócios já foram fechados. No total, foram investidos 565 mil euros.

O programa contou com 5 negócios avaliados pelos tubarões Miguel Ribeiro Ferreira, Mário Ferreira, João Rafael Koehler, Tim Vieira e Susana Sequeira que resultaram em 3 negócios fechados. Conheça os primeiros negócios:

Sock Buster

Dois jovens estudantes do ensino superior inventaram um utensílio de silicone para manter os pares de meias juntos durante a lavagem e que também serve de mola no estendal. Foi pedido o valor de 5.000 euros pela patente e 5% dos royalties.

O negócio foi João Rafael Koehler de 15.000 euros pela patente e 7,5% de royalties.

Museu Erótico de Lisboa

Trata-se do menos surpreendente dos negócios da noite, uma vez que a imprensa já havia deslindado o seu desfecho. 200 mil euros por 25% da empresa foi o valor que o casal de empreendedores pediu pela ideia. Os tubarões mostraram-se pouco entusiasmados com a ideia e afirmaram desconhecer os negócios de arte e dos museus, acabando por não fechar este negócio.

Tela de Projeção

O senhor Candeias e os seus filhos apresentaram no programa uma tela de projeção que é sempre nítida mesmo em ambientes com muita iluminação, como o estúdio. A família propôs um negócio de 500 mil euros por 35% da empresa.

A discussão com os tubarões acabou por ser acesa com acusações de que os números seriam irreais, apesar da qualidade do produto estar à vista. João Rafael Koehler acabou por fechar negócio por 500 mil euros e 100% da empresa.

Barroca do Retiro

Ana herdou a casa do pai, trata-se de um imóvel do século XVIII com reconhecido valor patrimonial. A empreendedora pretende construir um turismo rural e pediu 1 milhão de euros por 100% da empresa. A casa poderia ser transformada hum hotel rural com 9 suites e possibilidade de expansão. Os tubarões alertaram para o facto de o negócio não ser viável dado o reduzido número de quartos e aconselharam Ana a desistir da ideia.

Comida de Rua

O último negócio da noite foi uma empresa que explora o conceito de comida de rua. Isabel Tavares apresentou a proposta de 50 mil euros por 12,5% da empresa. O volume de negócio é de 80.000€ anuais com dois pontos de venda fixos e um terceiro prestes a abrir.

Os tubarões consideraram os números irreais. Tim Vieira acabou por fechar negócio por 50 mil euros e 45% da empresa, sendo depois adicionado um produto ao menu em que lucraria 100%.

Categorias
Televisão

Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.

Comentários