Cultura

As Raposas andam à solta no Teatro Aberto

Por  | 

O espetáculo As Raposas estreia hoje na Sala Azul do Teatro Aberto. Com encenação de João Lourenço, o texto de Lillian Hellman é interpretado por um elenco de luxo onde fazem parte Luísa Cruz, Virgílio Castelo, Marco Delgado, Gracinda Nave, João Perry, Pedro Caeiro, entre outros.

Uma família poderosa de três irmãos do Norte que tem uma empresa de produção de Vinho do Porto pretende diversificar a área de negócio e construir um empreendimento turístico. Para isso contam com um investidor estrangeiro pronto a largar metade dos milhões necessários à construção, a restante metade deve ser financiada pela família.

Virgílio Castelo, Marco Delgado e Pedro Caeiro em As Raposas

Em As Raposas explora-se as complexas relações familiares de poder e dinheiro. Um dos membros da família é também um importante banqueiro, o que nos traz um rasgo de atualidade a um texto que data de 1939 e que foi propositadamente adaptado aos dias de hoje: “Este teatro contemporâneo que fazemos é muito o que se passa à nossa volta”. As relações de interesse ficam a descoberto quando todos se degladeiam por mais dinheiro e por mais poder sobre o outro. O original Little Foxes foi aqui adaptado para As Raposas já que para o encenador há muito que estas deixaram de ler pequenas: “estão cada vez maiores, estão aí à mostra”.

Os personagens são riquíssimos com traços distintos mas com uma verdade que a dramaturgia de Vera San Payo de Lemos tão bem conseguiu imprimir. As interpretações são realmente muito marcantes e denotam uma qualidade irrepreensível. Os três protagonistas irmãos: Virgílio Castelo, Marco Delgado e Luísa Cruz dão uma lição na arte de bem representar.

Luísa Cruz em As Raposas

As Raposas andam à solta: no Teatro e no quotidiano

Destaque seja feito a Luísa Cruz, assim o obriga a complexidade e a subtileza que tão bem sabe interpretar na sua riquíssima personagem. A Regina é uma vilã sublime que nos remete para um ânsia de poder e dinheiro sem filtros. João Lourenço refere mesmo: “Aquilo é emancipação da mulher, é uma mulher que pode fazer mal”. O espetáculo cruza-se aliás com várias destas personagens, que em tudo se assemlham com As Raposas da vida real. Mas tal como nos diz o encenador,

João Lourenço já nos habituou a grandes espetáculos no Teatro Aberto portanto qualquer texto que leva à cena eleva a bitola de um grande momento de teatro. Uma encenação contemporânea cujas marcações pretendem transparecer a verdade dos atores, que segundo o próprio é diferente todos os dias.

As-Raposas-no-Teatro-Aberto

Nota muito positiva também para o cenário que teve direção de arte do próprio encenador. A escada é um elemento central, como se tratasse de uma escada do poder, aquela que todos se atropelam para subir.

Como diria Diogo Infante, temos de agradecer ao Ministério da Cultura por subsidiar este tipo de teatro em Portugal. Bem, não temos…

As Raposas estão em cena no Teatro Aberto de Quarta a Sábado às 21h30 e Domingo às 16h. As reservas podem ser efetuadas através do número 213 880 089 ou [email protected]


Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.