Palcos & Letras

Excelência e interpretações brilhantes em O Pai, no Teatro Aberto

O Pai é o último espetáculo de João Lourenço em cena no Teatro Aberto até ao próximo dia 12 de março. O encenador volta a trazer à cena um texto atual que deixa o público em reflexão.

O Pai conta a história de um idoso que sofre de doença de Alzheimer, explorando na primeira pessoa os obstáculos trazidos pela patologia. A história apresenta-se de uma forma muito crua, transportando o público para a ação de uma forma muito bem conseguida.

Mais uma vez a mestria de João Lourenço transparece em cada marcação de cena. A escolha deste texto não é inocente, adequando-se perfeitamente ao encenador numa simbiose natural. A dramaturgia assinada por  Vera San Payo de Lemos consegue também tirar o melhor dos atores que conseguem aqui a excelência nas interpretações.

Como não poderia deixar de ser o grande destaque vai para João Perry. O veterano ator consegue com O Pai um dos grandes papeis da sua vida. A interpretação é exímia, de um rigor e excelência que só os muitos anos de carreira, e uma experiência de palco, conseguem proporcionar.

Todo o elenco tem aliás interpretações de luxo. O Teatro Aberto mais uma vez consegue surpreender com uma produção de uma qualidade extraordinária que dignifica o Teatro Português.

Categorias
Palcos & Letras

Estudante de Farmácia, amante das ciências e das artes. Gosto particular por entretenimento em diversas áreas: televisão, cinema, teatro, música.

Comentários